Nota esclarecimento: entrevista de Bela Gil realizada em seu canal no YouTube

Nota esclarecimento: entrevista de Bela Gil realizada em seu canal no YouTube

bella_gilRecentemente, a apresentadora Bela Gil realizou uma entrevista em seu canal no YouTube com um profissional da área de saúde sobre o tema “Higiene bucal nas Crianças”. Lamentamos que o profissional entrevistado tenha usado sua autoridade médica para emitir opiniões pessoais sobre o assunto sem base no melhor conhecimento científico atualmente disponível.
Assim, julgamos pertinente esclarecer que:

1- A cárie dentária é um importante problema de saúde pública, atingindo cerca de 3 bilhões de pessoas no planeta. No Brasil, mais da metade das crianças com 5 anos de idade possui cárie, sendo que 80% das lesões permanecem sem tratamento. A cárie não tratada interfere negativamente com a qualidade de vida das crianças e das suas famílias causando prejuízos à alimentação, ao sono, à fala e às interações sociais, entre outros problemas.

2- Água fluoretada é uma medida de saúde pública recomendada pela Organização Mundial da Saúde que é utilizada não só no Brasil, mas em muitos países, como Austrália, Estados Unidos, Irlanda, Nova Zelândia, entre outros, tendo em vista sua eficácia contra a cárie dentária, sem nenhum risco para a saúde geral da população, e a sua ótima relação custo-benefício.

3- Dentifrício fluoretado tem sido recomendado por órgãos governamentais, associações profissionais e diversas instituições de saúde em todo o mundo porque seu uso para prevenir e controlar a cárie dentária, tanto na dentição decídua como na dentição permanente , está fortemente baseado em evidência de estudos clínicos controlados. Em acréscimo, o uso de dentifrício fluoretado não impõe risco à saúde geral.

4- Fluorose dentária é o único efeito sistêmico decorrente do uso de água de abastecimento público e/ou dentifrício fluoretado  porém, quando ocorre, não implica em comprometimento da qualidade de vida das pessoas afetadas .+ Vale destacar também que, sendo uma alteração de ordem sistêmica, a fluorose afeta todos os dentes que estão se formando durante o período em que ocorreu a ingestão e a absorção do flúor. Logo, é um equívoco atribuir uma mancha isolada em um dente ao consumo de água fluoretada conforme foi mencionado pela entrevistadora no programa.

Considerando que a cárie dentária é um problema de saúde evitável que ainda compromete negativamente a vida de milhões de crianças no Brasil, especialmente aquelas socialmente mais vulneráveis, cremos ser imprescindível utilizar responsavelmente os meios de comunicação, inclusive as redes sociais, para disseminar informação embasada em evidências científicas sobre as medidas efetivas, atualmente disponíveis, de controle da doença.

A Associação Brasileira de Odontopediatria se coloca à disposição da sociedade para, sempre que necessário, prestar esclarecimentos sobre esse e outros temas relacionados à saúde bucal de crianças e adolescentes.

  1. Kassebaum NJ, Bernabe E, Dahiya M, Bhandari B, Murray CJ, Marcenes W. Global burden of untreated caries: A systematic review and metaregression. J Dent Res 2015.
  2. BRASIL Ministério da Saúde. Coordenação Geral de Saúde Bucal. SB Brasil 2010. Pesquisa Nacional de Saúde Bucal – Principais Resultados. Brasília: Ministério da Saúde; 2011.
  3. Feldens CA, Ardenghi TM, Dos Santos Dullius AI, Vargas-Ferreira F, Hernandez PAG, Kramer PF. Clarifying the impact of untreated and treated dental caries on oral health-related quality of life among adolescents. Caries Res 2016;50: 414-21.
  4. Kramer PF, Feldens CA, Ferreira SH, Bervian J, Rodrigues PH, Peres MA. Exploring the impact of oral diseases and disorders on quality of life of preschool children. Community Dent Oral Epidemiol 2013;41: 327-35.
  5. Moore D, Poynton M, Broadbent JM, Thomson WM. The costs and benefits of water fluoridation in NZ. BMC Oral Health 2017;17: 134.
  6. Rugg-Gunn AJ, Spencer AJ, Whelton HP, Jones C, Beal JF, Castle P, et al. Critique of the review of ‘water fluoridation for the prevention of dental caries’ published by the Cochrane Collaboration in 2015. Br Dent J 2016;220: 335-40.
  7. Iheozor-Ejiofor Z, Worthington HV, Walsh T, O’Malley L, Clarkson JE, Macey R, et al. Water fluoridation for the prevention of dental caries. Cochrane Database Syst Rev 2015;6: CD010856.
  8. Rugg-Gunn AJ, Do L. Effectiveness of water fluoridation in caries prevention. Community Dent Oral Epidemiol 2012;40 Suppl 2: 55-64.
  9. Wright JT, Hanson N, Ristic H, Whall CW, Estrich CG, Zentz RR. Fluoride toothpaste efficacy and safety in children younger than 6 years: A systematic review. J Am Dent Assoc 2014;145: 182-9.
  10. Santos APP, Oliveira BH, Nadanovsky P. Effects of low and standard fluoride toothpastes on caries and fluorosis: Systematic review and meta-analysis. Caries Res 2013;47: 382-90.
  11. dos Santos AP, Nadanovsky P, de Oliveira BH. A systematic review and meta-analysis of the effects of fluoride toothpastes on the prevention of dental caries in the primary dentition of preschool children. Community Dent Oral Epidemiol 2013;41: 1-12.
  12. Walsh T, Worthington HV, Glenny AM, Appelbe P, Marinho VC, Shi X. Fluoride toothpastes of different concentrations for preventing dental caries in children and adolescents. Cochrane Database Syst Rev 2010: CD007868.
  13. Marinho VC, Higgins JP, Sheiham A, Logan S. Fluoride toothpastes for preventing dental caries in children and adolescents. Cochrane Database Syst Rev 2003: CD002278.
  14. Onoriobe U, Rozier RG, Cantrell J, King RS. Effects of enamel fluorosis and dental caries on quality of life. J Dent Res 2014;93: 972-9.
  15. Moimaz SA, Saliba O, Marques LB, Garbin CA, Saliba NA. Dental fluorosis and its influence on children’s life. Braz Oral Res 2015;29.

Os dentes do bebê e da criança: tudo o que você precisa saber Entenda mais sobre o assunto e prepare-se para o que está por vir

Todo mundo deseja ver o filho feliz e sorrindo. Mas não basta ser bonito – o sorriso também deve ser saudável.

Cuidar da dentição da criança desde o início da vida é fundamental para que ela cresça com dentes fortes. CRESCER entrevistou dois especialistas em saúde bucal infantil: o odontopediatra Gabriel Politano, do Ateliê Oral Kids (SP) e Karla Mayra Rezende, diretora da Associação Brasileira de Odontopediatria (ABO). A seguir, te contamos tudo sobre o assunto.

Os primeiros dentes do bebê

Não existe idade certa, mas eles começam a surgir entre os 6 e 14 meses de vida. Os primeiros costumam ser os frontais de baixo. Em situações muito raras, o primeiro dente aparece ainda no primeiro mês de vida ou até já está na boca do bebê ao nascer. É o chamado dente neonatal. Caso aconteça com seu filho, é importante consultar um odontopediatra para avaliar se está tudo bem, se ele tem raiz e se não existe nenhum tipo de alteração.

Higiene bucal antes dos dentes

Enquanto o bebê não tem nenhum dente, as bactérias que causam a cárie são engolidas, sem danos à saúde bucal. Porém, quando nasce o primeiro dente, elas encontram uma superfície para se apoiar e, assim, a cárie pode surgir. Para evitar que isso aconteça, é importantíssimo fazer a higiene bucal adequada. Use uma escova pequena, macia e adequada para a idade (a embalagem traz a indicação etária). A pasta deve ter flúor, mas o ideal é colocar uma quantidade bem pequena: uma porção do tamanho de um grão de arroz cru é suficiente para os bebês. Para crianças maiores, que já sabem cuspir, use um pouco mais, como um grão de ervilha. Troque a escova a cada três meses mais ou menos.  Recomenda-se que os pais façam de duas a três escovações diárias nos filhos, sempre após as principais refeições (café da manhã, almoço e jantar). Caso consuma algo muito rico em açúcar entre as refeições (o que deve ser evitado), também é bom escovar depois. Para estimular a boa higiene bucal, dê o exemplo escovando seus dentes na frente da criança e explique sempre a importância da limpeza para evitar o surgimento de cáries. Utilizar livros infantis que abordam o assunto de forma lúdica pode ajudar. Deixar a criança escolher na compra da escova costuma funcionar também.

Dentição completa 

Na grande maioria dos casos, entre 2 anos e meio e 3 anos, todos os dentes de leite da criança já terão nascido. São dez superiores e mais dez inferiores.

Troca de dentes

É por volta dos 5 ou 6 anos de vida que tem início a troca dos de leite pelos permanentes.  Os primeiros são os de baixo, da frente. Os dentes costumam amolecer até que caiam sozinhos ou fiquem “por um fio”, bastando uma leve puxadinha para soltar. Porém, em alguns casos raros, quando ele fica mole por muito tempo e não quer saber de cair, pode ser necessária a ajuda de um odontopediatra. A troca completa dura até os 12 anos da criança.

Dentes permanentes

Com cerca de 12 anos, quando terminam todas as trocas, a criança deve ter 28 dentes. Aí, falta aparecer apenas os cisos – que, em alguns casos, não nascem ou não existem. Caso venham a surgir, é só por volta dos 18 anos.

Uso de fio dental

O uso ou não do fio dental depende da proximidade entre os dentes: quando são bem grudadinhos, é melhor utilizar (um vez por dia é suficiente). Caso sejam afastados, não precisa passar.

A importância da alimentação

Você sabia que a saúde bucal não depende apenas dos bons hábitos de higiene? Para dentes bonitos, é fundamental cuidar da alimentação de seu filho. Tudo começa com uma dieta balanceada, rica em verduras, frutas e legumes. O consumo de itens ricos em açúcar, como balas, chocolates e refrigerantes, deve ser evitado ao máximo. Quando a criança ingere muitos doces e não faz a escovação correta, aumenta a chance de surgirem cáries.

Consultas com o dentista

O odontopediatra deve ser consultado quando nasce o primeiro dentinho do bebê. Na ocasião, o profissional irá orientar a família sobre escovação. Não há regra para o retorno das consultas – isso dependerá da saúde bucal de cada paciente. Por exemplo, para uma criança com boa escovação e sem cáries, uma visita anual ao dentista é suficiente. Se ela tiver cáries, precisará voltar com mais frequência, de acordo com cada caso.

FONTES CONSULTADAS: Gabriel Politano, odontopediatra do Ateliê Oral Kids (SP) e Karla Mayra Rezende, diretora da Associação Brasileira de Odontopediatria (ABO).

Sorrisos das famosas: antes e depois de Grazi, Juliana Paes, Flávia Alessandra e mais

Há alguns anos, cuidar dos dentes não era prioridade para muita gente e também não havia tantos recursos. Com o avanço das tecnologias e descobertas da odontologia, as pessoas têm investido cada vez mais em um novo sorriso.

Além do clareamento, dentre as técnicas mais populares para deixar os dentes mais harmoniosos está a aplicação de lente de contato dental, que alinha, ajusta o formato e o tamanho dos dentes e ainda preenche os espaços entre eles.

Uma estimativa da Sociedade Brasileira de Odontologia Estética aponta que, entre 2014 e 2015, houve um aumento de 300% na procura por este procedimento.

E temos provas de que um belo sorriso faz toda a diferença! Veja fotos do antes e depois dos sorrisos das famosas que deram uma repaginada nos dentes:

Antes e depois dos sorrisos das famosas

Sorriso de Flávia Alessandra

O sorriso atual de Flávia Alessandra merece aplausos. A atriz foi eleita pela Sociedade Brasileira de Odontologia Estética a dona do melhor sorriso de 2015. Este prêmio não foi conquistado de uma hora para a outra. Flávia faz um acompanhamento odontológico rigoroso há 12 anos. Na foto da esquerda, em 2002, seus dentes eram desalinhados e amarelados. Já em 2016, na foto à direita, ela exibe um sorrisão bem branquinho, alinhado e em um formato mais quadradinho.

Sorriso de Alessandra Ambrósio

Na foto à esquerda, em 2004, os dentes de Alessandra Ambrósio possuíam um aspecto infantil, eram pequenos, tortinhos e ainda havia uma pequena abertura entre os dentes incisivos centrais. Mas 13 anos depois o sorriso da modelo é outro! Apesar dos dentes debaixo ainda não estarem alinhados, os de cima estão bem certinhos, maiores e mais claros, até a falha entre os dentes desapareceu.

Sorriso de Juliana Paes

Os dentes de Juliana Paes têm chamado a atenção dos telespectadores, completamente alinhados e branquinhos. Em 2016, Juliana desbancou Flávia Alessandra e conquistou o prêmio de “Sorriso do Ano” pela Sociedade Brasileira de Odontologia Estética.

Sorriso de Cleo Pires

Apesar de serem alinhados, em 2005, na foto à esquerda, os dentes de Cleo Pires possuíam desníveis e tamanhos diferentes, dando a ilusão de que eram tortinhos. Atualmente a atriz exibe um sorrisão perfeito, pois além de estarem ainda mais branquinhos, todos os dentes seguem um padrão de formato e tamanho.

Sorriso de Grazi Massafera

Os dentes de Grazi Massafera passaram por grandes mudanças desde a sua participação no BBB, em 2005. Apesar de alinhado, a atriz possuía um sorriso tímido, com dentes pequenos e amareladinhos. Há quem diga que Grazi exagerou na transformação, mas agora ela exibe um sorriso largo, seus dentes estão muito maiores, retangulares, brancos e até a sua gengiva, atualmente muito mais visível, passou por mudanças.

Sorriso de Vanessa Giácomo

Em 2004, aos 21 anos, Vanessa Giácomo exibia dentes muito infantis, pequenininhos, levemente desalinhados e bem amarelados. Entretanto, a atriz investiu fortemente, e agora, é dona de um sorrisão bem branquinho, com dentes um pouco maiores e superalinhados.

Sorriso de Taís Araújo

Taís Araújo sempre teve dentes uniformes, grandes e alinhados, em 1997, ela recebeu o prêmio de “Sorriso do Ano” pela Sociedade Brasileira de Odontologia Estética, mas nem por isso deixou de cuidar deles. Os dentes da atriz ainda tinham um tom amarelado, assim, ela investiu em um clareamento, e hoje, os exibe em um sorriso largo bem cativante.

Sorriso de Regina Duarte

Regina Duarte mudou completamente o aspecto de seu sorriso. Na imagem à esquerda, em 2002, ela exibia dentes desalinhados, com restaurações aparentes e muito amarelados. Após investir em laminados de porcelana, atualmente a atriz tem um sorriso de cinema! Completamente alinhado e bem clarinho.

Sorriso de Gloria Pires

O que mais chama a atenção no sorriso de Gloria Pires, na foto à esquerda em 2005, é o seu sorriso gengival. Ela foi uma das primeiras artistas a passar pelo procedimento para reduzir a gengiva. Hoje a atriz possui os dentes bem branquinhos e um pouco maiores.

Sorriso de Paolla Oliveira

Os dentes de Paolla Oliveira não sofreram muitas mudanças, eles que em 2004 eram levemente desalinhados, passaram por um alinhamento e clareamento. Entretanto, a atriz possui um probleminha em seu sorriso que passa despercebido por muita gente, ela possui mordida cruzada, uma questão óssea que pode acarretar dores e problemas na mastigação.

 

Amamentação: você sabia que o leite materno tem diferentes fases?

Saiba mais sobre as fases do leite materno e entenda porque ele é tão importante para o desenvolvimento do bebê


Fases do Leite Materno

A amamentação tem diversos benefícios, entre eles a reduzir o risco de doenças, além de estimular o desenvolvimento físico e cognitivo do bebê e orquestrar a colonização adequada do intestino. Mas você sabia que existem fases do leite materno? Que ele passa por algumas mudanças nos primeiros dias após o início da amamentação?

O leite materno é um complexo fluído que fornece a quantidade de água e nutrientes necessários para o bebê. Contém proteínas, lipídeos e carboidratos que são absorvidos pelo organismo da criança. Mas, ao contrário do que muita gente pode acreditar, o leite da mãe não é igual o tempo todo. Na verdade, ele sofre alterações durante todo o período de amamentação para se adaptar às necessidades da criança. Existem três fases do leito materno: o colostro, o leite de transição e o leite maduro.

Fases do Leite Materno

Colostro
Esse é o primeiro leite produzido pela mãe, entre o 1° e o 5° dia após o parto. É um líquido mais transparente ou amarelo, que é rico em proteínas. Também possui alta concentração de imunoglobulinas, o que faz com que tenha um papel de destaque para a imunidade do recém-nascido.
Saiba mais sobre o que é o colostro?

Leite de transição
A quantidade de leite aumenta entre o 6° e o 15° dia após o nascimento do bebê. E sua composição também é alterada: ele se torna mais rico em gorduras e nutrientes que contribuem para o desenvolvimento e o crescimento da criança.

Leite maduro
É o leite que alimentará o bebê do 15° dia em diante. Ele contém todos os nutrientes necessários para o desenvolvimento físico e cognitivo da criança.

É importante lembrar que a Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda o aleitamento exclusivo nos 6 primeiros meses de vida, podendo ser prolongado até os 2 anos ou mais.


Bibliografia: Nicholas J. Andreas, Beate Kampmann, Kirsty Mehring Le-Doare. Human Breast Milk: A review on its composition and bioactivity. Early Human Develpment. 2015;91: 629-635.

Os primeiros dentinhos nasceram. E agora?

Entenda a importância do cuidado com os dentes de leite para a saúde bucal do bebê

primeiro dentinho nasceu! E agora, o que fazer? Já devo levar meu bebê ao dentista? Como escovar os dentes dele? Essas são apenas algumas das dúvidas de pais e mães de primeira viagem e, para ajudá-los, o Fundo Global Para os Dentes da Criança preparou uma cartilha especial para a saúde bucal do bebê. Veja algumas dicas:
Os primeiros dentinhos nasceram. E agora_
Procure um dentista
Sim, você já pode procurar um profissional! De acordo com a cartilha, uma consulta com um especialista deve ser feita quando os primeiros dentes de leite aparecerem. Assim, o profissional poderá acompanhar a saúde bucal do bebê e dar recomendações aos pais e a criança vai se acostumando desde cedo ao ambiente do consultório odontológico.

Cuide da alimentação
Uma dieta balanceada e rica em nutrientes favorece a formação dos dentes. O Fundo Global Para os Dentes da Criança também ressalta a importância da amamentação para os dentes. O ato de sugar o peito da mãe estimula o desenvolvimento da arcada dentária. Portanto, a recomendação é que crianças com até 6 meses de idade recebam o leite materno como fonte exclusiva de alimento.

Escove os dentinhos
Assim que os primeiros dentes de leite aparecerem, os hábitos de higiene oral devem começar. Procure uma escova especial e uma pasta de dente adequada para a idade de seu filho.
O cuidado nos primeiros 1000 dias influenciam em toda a vida do bebê!

Bibliografia: Cartilha: saúde bucal do bebê. Radar da Primeira Infância. 2016.

Saúde Oral e o Bebê. Global Child Dental Fund. Disponível em: gcdfund.org

Como é o consumo alimentar de crianças nos primeiros anos de vida no Brasil?

Revisão realizada sobre a nutrição infantil brasileira mostra que é preciso manter a atenção ao consumo de vitaminas e minerais na primeira infância

Você sabia que a alimentação é um dos fatores que influenciam o crescimento saudável de seu filho? Anutrição adequada e balanceada é essencial principalmente nos 2 primeiros anos de vida, quando o bebê passa por um rápido e intenso desenvolvimento. Mas como está o consumo alimentar das crianças brasileiras?

Uma revisão realizada na Universidade Federal de Viçosa, em Minas Gerais, analisou 16 estudos publicados entre 2003 e 2013 sobre o consumo alimentar de crianças brasileiras entre 6 meses e 5 anos. O que os pesquisadores apontam é que a ingestão de micronutrientes é inadequada na dieta infantil, se apresentando como um problema de saúde pública no país.

Abaixo, veja alguns dos micronutrientes mais citados e entenda os papéis que exercem no desenvolvimento e no crescimento de seu filho:

shutterstock_14505994

Ferro
Tem ação no crescimento físico adequado da criança. Além disso, esse micronutriente atua no desenvolvimento das habilidades cognitivas e no rendimento intelectual.

Zinco
O zinco desempenha uma importante função tanto no crescimento quanto no sistema imunológico

Vitamina A
Essa vitamina também desempenha uma função fundamental para a imunidade da criança. Ela auxilia na produção de células que atuam na defesa do corpo contra infecções. A vitamina A ainda age no desenvolvimento da visão de seu filho.

Segundo o artigo, a ingestão adequada desses micronutrientes é essencial para a saúde de seu filho, principalmente nessa fase em que ele está desenvolvendo seu sistema imunológico e suas habilidades físicas e cognitivas.

É importante lembrar também que a nutrição de seu filho começa ainda na barriga. Após o nascimento, a criança recebe os nutrientes necessários para seu desenvolvimento através do leite materno e, futuramente, dos alimentos oferecidos pelos pais. Por isso, é necessário procurar a orientação de um médico e/ou nutricionista para garantir uma dieta adequada e rica em micronutrientes para mãe e bebê.

Bibliografia: Carvalho CA. Consumo alimentar e adequação nutricional em crianças brasileiras: revisão sistemática. Rev. Paul. Pediatr. 2015; 33(2):211-221.

Primeiros 1000dias

A mastigação correta beneficia o tônus muscular da boca e da língua, a saúde dos dentes e o bom funcionamento do sistema digestivo

Movimentos verticais e de rotação de mandíbula são recomendados; mastigação incorreta pode ausar problemas no tônus muscular

Você já parou para analisar a maneira como você mastiga os alimentos? A mastigação é o primeiro processo da digestão e, se feita de maneira errada, pode causar diversos problemas.

O padrão ideal de mastigação, segundo a Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia, é a bilateral. Ela pode ser simultânea ou alternada, com movimentos verticais e de rotação de mandíbula. A mastigação correta beneficia o tônus muscular da boca e da língua, a saúde dos dentes e o bom funcionamento do sistema digestivo.

Além disso, previne as alterações nas arcadas dentárias, os distúrbios da Articulação Temporomandibular (ATM) que podem causar dores crônicas de cabeça, fragmenta os alimentos de maneira correta, o que ajuda na digestão e aumenta a sensação de saciedade.

Existem vários motivos que levam a uma mastigação incorreta: correria do dia-a-dia, estresse, problemas odontológicos (má oclusão, mordida cruzada, sensibilidade, obturação desgastada), distúrbios na Articulação Temporomandibular (ATM), fraqueza dos músculos responsáveis pela mastigação, alterações morfológicas como cicatrizes nos lábios entre outros.

Além disso, alterações respiratórias como rinite e desvio de septo, que causam obstrução da respiração nasal e exigem a respiração pela boca, também podem provocar a má mastigação.

Assunto difundido
O assunto – bastante complexo, por sinal – foi tema do programa Bem Estar, exibido pelas manhãs da Rede Globo de Televisão. No programa, que foi ao ar no início do mês de março, a endocrinologista Cintia Cercato e a fonoaudióloga Adriana Bueno de Figueiredo explicaram e deram dicas para a mastigação correta.

Segundo elas, nas crianças, o desenvolvimento da mastigação começa desde o primeiro dia de vida com a amamentação. A força que o bebê faz para sugar o leite trabalha o tônus muscular e é um importante estímulo para o desenvolvimento ósseo e para uma futura mastigação.

Facilitar a alimentação da criança mantendo por tempo muito prolongado a dieta pastosa, por exemplo, pode levar a conseqüências graves no futuro porque desequilibra o tônus muscular das estruturas moles como o lábio, a língua e as bochechas.

Este desequilíbrio pode levar a uma deformação das arcadas dentárias (como a mordida aberta ou cruzada) e pode também colaborar para uma alteração na conformação da face no caso de uma predisposição genética, além de levar a criança a ter problemas de fala como a incapacidade de articular determinados fonemas.
Nos adultos, a mastigação incorreta também pode provocar esse desequilíbrio, com conseqüências diretas na ATM, da qual as funções dependem do equilíbrio e da relação de forças entre vários músculos.

Médico da Santa Casa ressalta a importância da mastigação
Ogastroenterologista Fernando Cardoso, 34 anos, do corpo clínico da Santa Casa de Ituverava, ressalta que, qualquer que seja o alimento, a mastigação sempre é importante no processo digestivo.

“Na mastigação ocorre a quebra e a trituração em pedaços menores dos alimentos ingeridos. As enzimas digestivas (presentes na saliva) ajudam produzir moléculas cada vez menores, que serão, por sua vez, mas facilmente aproveitadas pelo organismo”, disse o médico, que é formado em Catanduva, no ano de 2004, com especializa nas áreas de Cirurgia Geral e Gastroenterologia.

Cardoso explicou que a mastigação pode ocasionar transtornos muito freqüentes, como azia, má digestão, entre outros. “Portanto, é fundamental cuidarmos da função da mastigação. Se você é dos que come velozmente, uma dica é triturar os alimentos muito bem antes de engoli-los e isso só se consegue reservando um tempo mínimo para as refeições. Conquiste uma rotina de horário regular para suas refeições. No começo pode ser difícil, mas com o tempo você vai se acostumar”, completou.

O médico deixa algumas dicas. “Coma devagar e saboreie bem os alimentos. Deposite o talher à mesa entre cada garfada. Coloque pequena quantidade de alimentos no garfo a cada vez que for comer. Por fim, sirva alimentos em prato de tamanho normal e calcule sua porção”, finalizou.

Dentista dá recomendações importantes para quem mastiga mal
A dentista Ana Rosa Matos Galdiano Pilotto, proprietária da Clínica Radiologia Padrão, recomenda a “boa mastigação” a todos os seus pacientes.

“É muito importante, pois é na boca, através da mastigação, que é feita a trituração dos alimentos que seguirão para o estômago. A mastigação errada pode desencadear uma série de problemas, como dificuldade de digestão, má simetria facial, problemas na ATM, que causam desconforto muscular. O processo de mastigação feito de forma errada pode levar até a correções ortodônticas”, disse.

Ana Rosa afirmou que, infelizmente, as pessoas não mastigam como devem. “Geralmente, as pessoas mastigam e forma incorreta – fato que se agrava ainda mais pela pressa da vida moderna. É necessário investigar o motivo da má mastigação e, depois disso, ele mesmo deve se policiar”, concluiu.

Erros mais comuns na mastigação

•Não mastigar e engolir o alimento quase inteiro

•Fazer movimentos exclusivamente verticais com a mandíbula, o que significa que a mastigação é interrompida antes da fase de pulverização que exige os movimentos rotatórios

•Não fechar os lábios para mastigar (não é só uma questão de estética: boca fechada auxilia a língua na manutenção do bolo sobre os dentes que trituram os alimentos)

Dicas

– Coloque na boca uma quantidade de alimento que permita uma mastigação confortável
– Ao mastigar, preste atenção em qual lado está a comida. Após engolir, coloque a outra porção do alimento do outro lado
– É possível ter alimento dos dois lados da boca ao mesmo tempo. O mais importante é que a língua sempre deve direcionar o bolo alimentar para a superfície dos dentes correspondentes: pedaços maiores nos pré-molares e à medida que eles vão ficando menores são jogados para os molares
– A mastigação deve começar com movimentos verticais da mandíbula, que abre e fecha. A partir da metade do tempo da mastigação, os movimentos devem ser rotatórios para pulverizar o alimento.

FONTE: ABRAMO

Já imaginou um bebezinho mamando coca-cola e comendo Hambúrguer ?

Fotos mostram bebês “mamando” hambúrgueres e refrigerantes para alertar sobre a alimentação da mãe que amamenta

Campanha foi da Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul

Já imaginou um bebezinho "mamando" um hambúrguer desses? (Foto: Reprodução/SPRS)

Já imaginou um bebê de meses sugando um hambúrguer daqueles de fast-food? Ou que tal uma rosquinha toda açucarada? Quem sabe um refrigerante? É o que mostram os anúncios perturbadores de uma campanha que foi lançada pela Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul (SPRS). Criada em parceria com a agência Paim, a série “Seu bebê é o que você come” pretende alertar sobre a importância de cuidar da alimentação da mãe que amamenta.

Os cartazes estão em inglês, mas foram divulgados oficialmente com a frase: “Seus hábitos nos primeiros mil dias [da vida do seu filho] podem prevenir o desenvolvimento de doenças sérias”.

Uma das imagens mostra o bebê com uma rosquinha doce (Foto: Reprodução/SPRS)
Muito cedo para um refrigerante, não? (Foto: Reprodução/SPRS)

 

Fonte:Revista Crescer Sorrindo

 


Odontologia Especializada

%d blogueiros gostam disto:
Pular para a barra de ferramentas