Proteção labial

Seus lábios também precisam de uma atenção especial para você se proteger do risco de câncer labial. Um problema silencioso e muito perigoso, uma vez que, segundo dados oficiais, o câncer provocado pela exposição do lábio à radiação ultravioleta solar é o tipo mais comum da doença.
E fique atento, porque a incidência está diretamente relacionada à exposição solar e inversamente ao grau de pigmentação da pele. Isso quer dizer que, quanto maior a exposição solar sem proteção, maior a chance de desenvolvimento de lesões na mucosa labial, que podem vir a se transformar em câncer.
No Brasil, segundo o INCA (Instituto Nacional do Câncer), o câncer bucal afeta com freqüência os lábios, devido ao excesso de luz solar. Para piorar a situação, dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) mostram que o tumor labial mais prevalente – que é o carcinoma epidermóide, causado pela proliferação de células da camada superficial da pele e de caráter invasivo -, possui alta incidência de metástase em órgãos a distância, se não diagnosticado e tratado a tempo.
“Para prevenir é muito importante a utilização de protetor labial ou batom que contenha fator de Proteção Solar e sua reaplicação várias vezes ao dia”.
Por ficar mais exposto à radiação solar, o lábio inferior costuma ser o mais comprometido. Para prevenir é muito importante a utilização de protetor labial ou batom que contenha fator de Proteção Solar e sua reaplicação várias vezes ao dia. Um batom de tom mais forte, como os avermelhados e amarronzados, também pode ajudar no bloqueio dos raios solares e, portanto, na prevenção desse tipo da doença.
Por isso, aproveite o verão, que em no Brasil é bastante extenso, de maneira responsável. Proteja-se dos raios solares com boné, chapéu ou protetor solar, hidrate-se e alimente-se adequadamente, evite o uso de 
bebidas alcoólicas e fumo, e lembre-se de procurar auxílio profissional, caso observe um dos sete sinais de alerta  :
§  Edema
§  Elevações ou crescimentos
§  Manchas brancas ou vermelhas
§  Feridas que não cicatrizam
§  Dormência
§  Dor de garganta que não melhora
§  Sangramentos persistentes
§   
Fonte: Dra. Luciana Ramalho