Aumento de Coroa Clínica (ACC)

Gengivoplastia-antes-e-depois

Coroa dental é o termo técnico dado a parte do dente que fica visível na boca, sendo a raiz dental a parte que fica dentro do osso. Quando a coroa é parcial ou totalmente destruída, seja por cárie ou fratura, o Cirurgião Dentista pode expor partes do dente removendo cirurgicamente gengiva e osso alveolar. Portanto, o nome da cirurgia dá a sua definição: cirurgia de aumento de coroa clínica! O procedimento em si é feito com uso de bisturi para remoção da gengiva, cinzéis e/ou brocas para remoção de osso quando necessário e a cirurgia pode ser finalizada com suturas (pontos). Eventualmente, o Cirurgião Dentista pode cobrir a ferida com cimento cirúrgico. Podemos discutir o tópico “cimento cirúrgico” posteriormente.

Acredito que o ACC seja a rotina da maioria dos Periodontistas, pois tanto os Protesistas* como os Endodontistas** demandam muito frequentemente esse tipo de cirugia. Eventualmente os Ortodontistas*** também encaminham seus pacientes para o Periodontista melhorar o contorno gengival após o tratamento ortodôntico.

No caso dos Protesistas, a cárie ou uma fratura no dente podem ter destruído demasiadamente a coroa dental. Adicionalmente, o Protesista precisa adequar o dente danificado ao procedimento restaurador proposto e muitas vezes isso requer o desgaste de estrutura saudável. O resultado disso pode ser a perda parcial e até total da coroa dental. Na tentativa de obter um resultado natural mantendo o dente do paciente, o Protesista solicita ao periodontista o ACC. Para isso o Protesista confecciona, dentro do possível, uma restauração provisória – o famoso “provisório”. O provisório serve para melhorar a condição gengival pois cárie, fraturas e trincas irritam a gengiva por acumular placa. Além disso é um “recado” para o Periodontista, que consegue entender o “desenho” da restauração final através desse “rabisco” e redefinir a anatomia periodontal de acordo com a necessidade protética. Dessa forma, provisório é provisório! Retorne sempre ao seu Cirurgião Dentista para realizar o procedimento restaurador adequado e “definitivo”.

A demanda do Endodontista é muito menos exigente que do Protesista. De uma maneira geral, o Endodontista espera apenas poder isolar o dente apropriadamente, porque sem o isolamento a descontaminação do canal é praticamente impossível! Ai cabe ao Periodontista fazer seu trabalho com esmero, para manter a gengiva saudável durante tempo suficiente para terminar o tratamento de canal e iniciar a prótese. Concluído o canal, pode ser necessário novo ACC… fazer o que, né? Operar de novo! Isso não é razão para criticar o Periodontista. Após o tratamento Endodôntico, será feita uma restauração e dependendo do desenho da prótese ou restauração pode ser preciso expor ainda mais o dente.

A Ortodontia, assim como a Prótese, tem um compromisso estético no qual o Periodontista. O resultado do tratamento ortodôntico pode ser muito mais elegante com a ajuda do periodontista. Dentes perfeitamente posicionados clamam por um contorno gengival perfeito. Aí entra o Periodontista que pode dar contornos gengivais mais harmônicos, devolvendo proporções e simetrias, consequentemente, perfeição.

O ACC pode ser usado ainda para amenizar o chamado sorriso gengival. Nos casos de sorriso gengival, o dente fica escondido por um periodonto volumoso demais, e isso pode ser corrigido pelo ACC. Essa é uma condição que deve ser avaliada criteriosamente, pois nem todos os casos de sorriso gengival podem ser corrigidos cirurgicamente.

É redundante lembrar que a cooperação do paciente é fundamental. Os cuidados de higiene devem ser mantidos rigorosamente, pois o sucesso da cirurgia, assim como de todo e qualquer tratamento periodontal, depende da manutenção da saúde da gengiva, sempre livre do acúmulo de placa.
Via:” Saúde Periodontal, Periodontite e Gengivite ”
Foto:Blog Identidade