A Importância de lavar as mãos

A Importância de lavar as mãos

O simples ato de lavar as mãos é de importância fundamental no nosso cotidiano. Higienizar as mãos frequentemente e da maneira correta é uma das principais formas de evitar inúmeras doenças. São as mãos que nos ajudam em todas as tarefas, inclusive na preparação dos nossos alimentos. Mãos sujas são o paraíso das bactérias. Diarreia, hepatite, gripe e infecções intestinais são algumas das doenças que podem ser evitadas pelo simples hábito de lavar as mãos. A água é capaz de prevenir doenças que ainda hoje causam milhões de mortes em todo o mundo.
A higiene das mãos é tão importante que a Organização Mundial da Saúde propôs que, todo ano, no dia 5 de maio, fosse realizada uma campanha mundial divulgando a necessidade da higienização das mãos – uma forma econômica de manter a saúde, acessível a todos. É importante lavar as mãos antes e depois das refeições, após as idas ao banheiro, ao chegar da rua e depois do contato com objetos sujos como o dinheiro, por exemplo. Como tocamos com as mãos, diariamente, superfícies sujas, com inúmeros tipos de bactérias, estamos sujeitos a uma enorme quantidade de infecções. Levar as mãos sujas aos olhos, à boca ou ao nariz, pode facilmente provocar problemas de saúde.
A Organização Mundial da Saúde (OMS) é uma agência especializada em saúde, fundada em 7 de abril de 1948 e subordinada à Organização das Nações Unidas (ONU). Sua sede é em Genebra, na Suíça.

Aprenda a lavar as mãos corretamente:
Use água corrente e sabonete.
Lave bem as palmas das mãos, a parte de cima entre os dedos, debaixo das unhas e os pulsos.
Enxágue até eliminar toda a espuma.
Seque bem com toalha limpa ou papel toalha.

A adoção do álcool gel e das lavagens das mãos mais frequentes, durante o surto de gripe A (H1N1), fez cai­r o número de casos de outras doenças, como conjuntivite e gripe comum.
Hábito de lavar as mãos é baixo, mesmo entre profissionais de saúde
Uma pesquisa realizada pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) mostrou que somente 1/3 dos hospitais do Brasil têm uma adesão à higiene acima de 70%. A maneira mais eficaz e barata de reduzir infecções hospitalares é a higienização frequente das mãos. Os pesquisadores da ANVISA visitaram 901 hospitais com 10 ou mais leitos de U.T.I. Em 85 deles a adesão foi maior que 70%, o que é considerado ideal. Em 130 instituições a taxa variou entre 40% e 70%.
Segundo a pesquisa, a maioria dos hospitais possui estruturas para a limpeza das mãos, como pias com sabonete e toalhas descartáveis, e em 99% dos leitos existe fornecimento contínuo de água tratada. O álcool gel está disponível apenas em 53% das unidades pesquisadas. A explicação para a baixa adesão á higienização das mãos está na falta de programas de treinamento e monitoramento dos profissionais. A pesquisa mostrou que 68% dos hospitais não têm verba para o treinamento em higienização das mãos.
De acordo com o coordenador de Infectologia Hospitalar da Sociedade Brasileira de Infectologia, Dr. Eduardo Medeiros, o treinamento permanente dos profissionais é a melhor maneira para mudar as estatísticas: “Os hospitais precisam investir em treinamento constante. Os médicos e enfermeiros são pessoas bem formadas, mas a higienização deixa a desejar, mesmo entre esses profissionais“, ele afirmou. Medeiros sugere que premiar profissionais ou áreas onde a higiene é um hábito frequente talvez seja um bom estímulo.

Via Qualidade de vida e saúde

DOENÇAS DAS GENGIVAS, MAIOR PREOCUPAÇÃO DAS PESSOAS COM 50 ANOS OU MAIS.

DOENÇAS DAS GENGIVAS, MAIOR PREOCUPAÇÃO DAS PESSOAS COM 50 ANOS OU MAIS.

De acordo com os Centros para Controle e Prevenção de Doenças, cerca de 35 milhões de cidadãos norte-americanos tinham 65 anos ou mais em 2000. Nesta época, muitos deles disseram que a saúde bucal era muito importante para o bem estar deles.

Um novo estudo realizado entre mais de 500 participantes com idade de 48 anos ou mais, constatou que a saúde bucal é o terceiro problema de saúde tido como o mais importante entre a essa população. Embora 75% dos participantes tenham classificado seu estado bucal como muito importante, em comparação com as suas demais preocupações de saúde em geral, um número considerável não percebeu a importância da boca a saúde.

O estudo foi realizado pela organização sem fins lucrativos AARP, a Associação Americana de Aposentados, a fim de compreender melhor as posturas de pessoas com mais de 50 anos de idade perante a saúde. A AARP visa apoiar as pessoas com 50 anos ou mais através da informação, defesa e prestação de serviços.

Ao analisar as respostas a um questionário de 25 perguntas sobre higiene bucal, os pesquisadores descobriram que os adultos mais velhos são geralmente conscientes da importância de manter o bom estado da boca e das gengivas. Quase 75 por cento citaram que o envelhecimento pode afetar o estado da boca e dos dentes.

Este grupo informou que, por essa razão, visitam um dentista pelo menos duas vezes por ano. No entanto, a pesquisa constatou que muitos dos participantes não mantiveram uma rotina de higiene bucal diária completa e adequada, ficando sob risco de problemas mais sérios.

De acordo com a pesquisa, 60 por cento não usaram um anti-séptico bucal e 47 por cento não utilizaram o fio dental. Cerca de 35 por cento escovaram os dentes somente uma vez por dia. Os investigadores enfatizaram que a manutenção de um rigoroso regime de higiene da boca é crítica como adultos dessa faixa de idade.

Pessoas com mais de 50 anos devem usar produtos que atendam as suas necessidades específicas de boca e devem ser submetidos regularmente a limpeza dental profissional, conforme atesta a literatura científica.

As conclusões fazem parte do Pro-Saúde para a Vida e pesquisa AARP, um estudo realizado para obter insights sobre as atitudes das pessoas com idade 50 anos ou mais. Nós do blog “ADORO SORRIR” concluímos com base nestas pesquisas que os que escolhem negligenciar os cuidados regulares de higiene com a boca e/ou faltar as visitas de rotina ao dentista ESCOLHEM conviver com problemas e recidivas de tratamentos bucais complexos a que se submetem ao longo da vida.

Senhoras e Senhores, é hora de valorizar os cuidados básicos para melhorar a expectativa e a qualidade de vida. Sua saúde agradecerá!
Via Tepe

Cáseos amigdalianos

Cáseos amigdalianos

Cáseos, ou cáseos amidgdalianos, são massas compostas de restos alimentares, células epiteliais descamadas e microorganismos que se alojam em pequenos buraquinhos nas amígdalas. O cheiro fétido dos cáseos podem provocar o mau hálito.Bem, acredito que muitas pessoas já conheçam o cáseo, mas não saibam que ele se chama assim. O cáseo, na verdade, é uma massinha mal cheirosa que se acumula na amígdala e possui a aparência de um grão de arroz.
Quem pode tê-lo? Não existe uma estatística exata mas as pessoas que possuem uma amígdala parecendo um saquinho com furos maiores são mais propensas a ter o famigerado cáseo.
Existem possibilidades de tratamento para quem se sente muito incomodado com este invasor, mas a higiene da língua é o principal deles. Em casos extremos, o tratamento mais radical é a remoção da amígdala.
Por isso, se você tem ou já teve um caso de cáseo, então investigue perguntando a alguém se sente mau hálito em você. É muito importante saber!

fonte da imagem: (arquivo de Paula Rollemberg)
Fonte:Saudálito

O sorriso de seu filho merece todo seu cuidado!!!

O sorriso de seu filho merece todo seu cuidado!!!

Enquanto as crianças não puderem praticar bons hábitos de higiene sozinhas , é importante que os pais monitorem as escovações e incentivem o uso de fio dental.Mesmo que existam espaços grandes entre os dentes de leite , é importante que as crianças acostumem-se desde cedo a utilizar o fio dental. Preste atenção especial a escovação dos molares que são os dentes que nascem por volta dos 6 anos de idade , localizam-se na parte posterior da arcada e não substituem nenhum dente decíduo. Os molares possuem mais reentrancias e sulcos do que os dentes decíduos podendo acumular alimentos na sua superfície até mesmo em função de sua localização mais posterior.

Dia Nacional do Homem

Dia Nacional do Homem

Hoje comemoramos o Dia Nacional do Homem ! Esta data foi criada com o objetivo maior de reforçar os cuidados com a saúde dos homens.

Pesquisas mostram que homens entre 40 a 70 anos de idade negligenciam o diagnóstico e tratamento de grande parte dos problemas de saúde.

Dentre os problemas esquecidos estão os da boca, especialmente a doença periodontal ( ou das gengivas) que pode afetar sete a cada dez pacientes masculinos.

Buscar aconselhamento profissional, independente do desconforto e aprimorar cuidados diários com a boca são os segredos mais eficazes nesta luta contra os problemas que afetam a saúde através da boca.

As dicas que ficam são as seguintes:

Escovas comuns e interdentais a mão… Ao trabalho, homens, a saúde está a sua espera!

Felicidades a todos!

Via Tepe

Caveira Maia com os dentes ornamentados em pedras preciosas

Caveira Maia com os dentes ornamentados em pedras preciosas

Nesta foto vemos uma caveira Maia com os dentes ornamentados em pedras preciosas.
Essa foto mostra um trabalho artístico-dentário na boca de uma pessoa maia, uma das civilizações pré-colombianas, cuja caveira fora encontrada pelo Instituto Nacional de Antropologia e História do México.

O antropólogo José Concepción Jiménez do Instituto afirma que eles não sabem de onde vem o costume, mas certamente não era um sinal de status social; era puro embelezamento, uma vez que vários integrantes da nobreza não possuíam tal acessório nos dentes, mas outras pessoas sim.

Muitas das pedras colocadas nos dentes eram preciosas ou semi e eram implantadas através de um trabalho minucioso, feito por alguém que conhecia muito bem a anatomia dos dentes. Isso porque a polpa nunca era atingida, evitando infecções ou mesmo a perda do dente

Os implantes eram, portanto, feitos de forma segura e resinas naturais eram utilizadas para que as pedras ficassem presas, criando o visual.

Foto: Instituto Nacional de Antropología e História

Fonte: National Geographic.