Ana Hickmann posta foto inusitada no dentista

Ana Hickmann posta foto inusitada no dentista

Ana Hickmann faz de tudo para ter um sorriso perfeito. A apresentadora usou sua conta no Instagram para postar uma foto inusitada em que aparece com um afastador labial que ajuda o dentista durante um procedimento, como clareamento dental. “Tudo por um sorriso lindo”, escreveu.
Via globo.com

Conheça riscos de piercing para saúde bucal

Conheça riscos de piercing para saúde bucal

O que é um piercing na boca?

Piercing é uma palavra em inglês que significa perfuração e é usada para designar a moda de se colocar uma jóia ou uma peça decorativa de metal, por perfuração, em certas partes do corpo como língua, nariz ou umbigo.
No caso de um piercing bucal seria um tipo de piercing que pode ser colocado na língua, nos lábios ou nas bochechas. Nos anos mais recentes, os piercings na região da boca têm se tornado uma forma de expressão individual. Como o piercing na orelha, os brincos e anéis de metal colocados na boca são de diferentes estilos e compreendem peças como pinos, tarraxas e argolas. Mas o piercing colocado na língua, lábios ou bochechas envolvem riscos maiores do que os colocados na orelha. Antes de perfurar qualquer parte, dentro ou fora da boca, converse com seu dentista.

Quais os riscos deste tipo de piercing?

É possível que você desconheça os efeitos colaterais que um piercing oral oferece. Estes efeitos são:
– Infecção – A boca contém milhões de bactérias que podem causar infecções depois de um piercing oral. Tocar as partes de metal depois de colocados na boca também torna maior o risco de se contrair uma infecção.
– Sangramento prolongado – Caso um vaso sanguíneo seja perfurado pela agulha durante o procedimento de colocação, pode haver um sangramento difícil de ser controlado com perda excessiva de sangue.
– Dor e inchaço – São sintomas comuns de piercing na boca. Em casos mais sérios, se a língua inchar demais, poderá fechar a passagem de ar e dificultar a respiração..
– Dentes danificados – O contato com a joia pode danificar o dente. Dentes com restaurações – por exemplo, coroas ou jaquetas – também podem ser danificados pelas peças de metal.
– Ferimento na gengiva – As peças de metal não só podem ferir o tecido da gengiva que é sensível, mas também podem causar retração gengival. A retração gengival tem aparência desagradável e torna seus dentes mais vulneráveis a cáries e a periodontite.
– Interferência com a função normal da boca – As joias aumentam a produção de saliva, impedindo que você pronuncie corretamente as palavras e também dificultam a mastigação.
– Doenças transmissíveis pelo sangue – O piercing da boca foi identificado pelo Instituto Nacional de Saúde como uma possível forma de transmissão da hepatite B, C, D e G.
– Endocardite – O piercing oral pode causar endocardite, que é a inflamação das válvulas e dos tecidos cardíacos. A ferida causada pela perfuração dá às bactérias da boca a oportunidade de entrar na corrente sanguínea, podendo chegar ao coração.

Quanto tempo dura um piercing?

Se você não contrair nenhuma infecção e seus piercings orais não interferirem com as funções normais da boca, podem ser usados de forma permanente. Mas, não deixe de ir ao dentista se sentir qualquer tipo de dor ou algum outro problema. Por causa dos riscos envolvidos mesmo depois que a ferida da perfuração desaparece (como é o caso de engolir peças soltas ou danificar os dentes), a melhor coisa é não fazer piercing oral.

Conteúdo oferecido por: © 2013 Colgate-Palmolive e
Terra

O que a Estomatologia pode fazer pelos pacientes e profissionais de saúde

129694679

Existe uma especialidade odontológica denominada Estomatologia (do grego estomatos = boca; logos= estudo),que os norte-americanos chamam de Medicina Bucal ou Odontologia Hospitalar.
O estomatologista dedica-se a prevenir, diagnosticar , tratar ou encaminhar e/ou orientar para outras especialidades odontológicas e médicas pacientes portadores de variações da normalidade nos tecidos moles e ósseos da boca.Também trata de variações no terços médio e inferior da face e manifestações de doenças sistêmicas nestas regiões.
Especificando um pouco melhor, ele cuida de:
· Doenças dos tecidos mineralizados e não mineralizados dos dentes e seus tecidos de suporte,proteção.
· Doenças labiais, linguais e demais áreas da mucosa bucal.
· Doenças benignas das glândulas salivares e diagnóstico das doenças malignas que afetam as mesmas.
· Doenças ósseas do terço médio e inferior da face.
· Defeitos de desenvolvimento da região bucal, maxilomandibular e facial.
· Doenças nas regiões acima como parte de processos sistêmicos (que podem afetar todo o organismo).
Além disso, ele deve ter noções básicas das alterações de todo o organismo que possam modificar ou contra indicar alguns procedimentos odontológicos.

A Estomatologia e os outros profissionais de saúde

A Estomatologia é uma especialidade odontológica que atua isoladamente ou que pode
complementar e ajudar nos tratamentos feitos por outros cirurgiões dentistas ou por médicos e outros
profissionais de saúde pois é uma ciência que demanda estudo e conhecimento particularizados.
Profissionais de saúde dedicados às suas outras especialidades poderão não ter familiaridade
e condições de acompanhar sua literatura e prática características. Isto é um fato normal diante do
crescimento enorme das publicações de todo campo científico.
É perfeitamente natural que profissionais de outras áreas costumem indicar um estomatologista
para cuidar das doenças estomatológicas.
A complexidade e variedade das doenças próprias da boca e as influências mútuas entre os
micro – organismos bucais e o hospedeiro provocaram esta mudança na filosofia de trabalho
dos citados profissionais da saúde.

A Estomatologia e as doenças sistêmicas

Doentes internados nas várias clínicas médicas hospitalares estão sendo encaminhados antes, durante e depois do tratamento nestes locais para uma avaliação com o estomatologista. É o que se poderia chamar de Estomatologia Hospitalar.
As doenças mais comuns nas regiões citadas são as infecciosas, começando pela cárie dental.
Micro-organismos presentes nas infecções bucais liberam toxinas e substâncias reguladoras da resposta inflamatória que, ao caírem na corrente sanguínea, podem provocar ou agravar respostas por todo organismo.
Pessoas internadas em unidades de tratamento intensivo podem ter seu quadro intensificado por pneumonias associadas às intubações para respiração mecânica causada por conteúdo acumulado de micro-organismos bucais por falta de higiene bucal tecnicamente adequada.
Estas são as razões pelas quais o Governo do Estado de São Paulo determinou a obrigatoriedade da presença de cirurgiões dentistas nas UTIs dos hospitais públicos, e alguns hospitais particulares já os possuem.
Tais profissionais deverão possuir conhecimentos estomatológicos consistentes com a circunstância,
isto é, serem estomatologistas.
São exemplos de algumas das ciências da saúde que podem ter relações benéficas com a
Estomatologia : Cardiologia, Clínica de Checkup,Clínica da Dor, Clínica Médica, Cirurgia de
Cabeça e Pescoço, Comissão de Controle de Infecção Hospitalar, Dermatologia, Endocrinologia,
Enfermagem, Fonoaudiologia, Fisioterapia,Gastroenterologia, Hematologia e Onco -Hematologia, Infectologia, Medicina do Sono,Imagenologia,Radiologia, Ortopedia,Otorrinolaringologia, Pediatria, Pneumologia,Psiquiatria, Psicologia, Reumatologia, TerapiaOcupacional, Unidades de Terapia
Fonte:Conselho regional de Odontologia