Clareamento dental – uso de produtos de maneira incorreta, sem prescrição e acompanhamento do Cirurgião-Dentista, pode acarretar graves danos à saúde !!

ANVISA elabora regulamentação e controle do comércio de agentes clareadores dentais – 01/08/2013

Atendendo às Entidades Odontológicas Nacionais, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), anunciou, no dia 25 de julho, que encaminhará a Consulta Pública uma Resolução (RDC) para regular a comercialização de agentes clareadores. A ANVISA comunicou a medida durante a reunião com representantes do Conselho Federal de Odontologia (CFO), Conselho Regional de Odontologia de São Paulo (CRO-SP), Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas (APCD Central), representando o Departamento de Congressos e Feiras (DECOFE) da APCD e Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos, Odontológicos, Hospitalares e de Laboratórios (ABIMO).
A proposta apresenta: os agentes clareadores serão comercializados somente mediante prescrição por Cirurgião-Dentista e com obrigação de retenção de receita, como acontece com os antibióticos; e a embalagem do produto deverá apresentar tarja vermelha.
images (1)

Danos à saúde
O uso de gel clareador dental de maneira incorreta, sem a devida prescrição e acompanhamento do cirurgião-dentista, pode acarretar graves danos à saúde. Segundo o Crosp, atualmente várias marcas do produto estão disponíveis em sites comerciais e de empresas de itens odontológicos, sendo que esses estabelecimentos têm ignorado as precauções necessárias para resguardar a saúde da população.

Entre os possíveis prejuízos de clarear os dentes por conta própria estão hipersensibilidade da dentina, reabsorção radicular cervical (reabsorção progressiva inflamatória, com localização na superfície lateral da raiz do dente), irritação gástrica, gosto desagradável e queimaduras na gengiva. Em alguns casos, também podem ser observadas alterações no esmalte dental.

“É comum chegarem pacientes com manchas nos dentes, com hipersensibilidade, alteração irreversível na polpa do dente e lesões nas bochechas, gengivas, lábios e língua”, conta o dentista Marcelo Poloniato, professor do curso de Biomateriais, na Faculdade de Odontologia da USP (Universidade de São Paulo).

Ele diz que o Brasil está vendendo os clareadores como se faz nos Estados Unidos, porém a concentração de peróxido de carbamida (agente químico usado no clareamento dentário) nos produtos comercializados por aqui são bem maiores que os de lá. “Isso é muito perigoso para a saúde”, alerta Poloniato.

Além de recorrer à Anvisa, o Crosp também enviou ofício a mais de 300 empresas que comercializam, produzem e industrializam produtos odontológicos, com inscrição e registro no próprio Conselho, alertando sobre todos os pontos elencados na denúncia e expondo a legislação vigente.

 

 

 

 

 

 

 

http://cfo.org.br/destaques/anvisa-elabora-regulamentacao-e-controle-do-comercio-de-agentes-clareadores-dentais/