No dia Nacional de combate ao fumo ,apresentamos um caminho para quem quer parar de fumar.Leia abaixo.

No dia Nacional de combate ao fumo ,apresentamos um caminho para quem quer parar de fumar.Leia abaixo.

Toda pessoa conhece um fumante. Por tabela, também conhece alguém que já tentou largar o cigarro. Atualmente, a Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que em todo o planeta exista pelo menos um bilhão de fumantes. São pessoas que correm mais risco de ficar doentes, já que o cigarro afeta o organismo como um todo. Estão mais expostas a doenças do coração, problemas respiratórios, cânceres, entre outros problemas. Tudo isso acontece porque em um único cigarro estão presentes milhares de substâncias tóxicas, cerca de 4.500, entre elas a nicotina, que atua diretamente no cérebro e leva à dependência química. Se faz tão mal, por que tantas pessoas fumam? E por que é tão difícil parar de fumar? Essas são perguntas frequentes não só entre os fumantes, como também entre os não-fumantes que convivem com alguém que tem esse hábito.

Primeiro, é preciso entender que o tabagismo pode ser considerado uma doença, e não um modismo que pode ser facilmente deixado de lado, e que deixar de fumar exige não só força de vontade, como também o uso de medicamentos nos casos mais graves. Um estudo piloto realizado pelo Fleury Medicina e Saúde com pessoas que estavam tentando parar de fumar mostrou que 83% dos entrevistados viam no cigarro uma válvula de escape. “Para esses fumantes, o cigarro é uma resposta rápida e pronta para tentar lidar com alguns eventos estressantes do dia a dia”, diz Thiago Pavin, psicólogo do Serviço de Gestão de Saúde do Fleury. “O curioso é que o cigarro é um estimulante do funcionamento do sistema nervoso e, no entanto, muitas pessoas dizem que ele acalma. Essa interpretação de que o cigarro acalma mostra a força do aspecto psicológico, em certas situações, sobre o biológico”, afirma José Carlos Galduróz, pesquisador do Departamento de Psicobiologia pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

O gatilho que leva muitas pessoas ao cigarro está na sensação causada pelo estresse. Quando uma pessoa está sob muita pressão, o estresse bloqueia a sensação de prazer no cérebro, que pode ser buscada, instantaneamente, em uma tragada. “A nicotina provoca uma ativação no funcionamento de uma área epecífica do sistema nervoso central – o sistema mesolímbico-cortical –, que é mediado pela dopamina. E a dopamina é um neurotransmissor relacionado ao prazer. Então, as drogas chamadas psicotrópicas dão sensação de prazer por ativarem intensamente esse sistema. E a nicotina é uma droga psicotrópica”, afirma Galduróz.

Além disso, o estresse também pode levar a pensamentos compulsivos por um determinado objeto, e o cigarro pode ser esse alvo. A grande questão é que o estresse, no longo prazo, por si só traz muitos prejuízos para a saúde. “Esse comportamento automático de fumar sempre que se está estressado é realmente ruim. Uma, porque fumar geralmente não resolve o problema gerador do estresse. E outra, porque o fumante deixa de aprender outras formas mais saudáveis de enfrentar a tensão. A pessoa continua estressada, só que, com o tempo, vai aumentando o número de cigarros por dia”, explica o psicólogo.

Para deixar o cigarro de lado

Ao decidir parar de fumar, a pessoa precisará encarar situações cotidianas sob uma nova perspectiva. Os especialistas ensinam algumas táticas para isso:

Evite situações de estresse. Se não for possível, pense em novas maneiras de lidar com a pressão. Dê uma volta, converse com alguém, respire;
Em situações que desencadeiam a vontade de fumar, não tenha vergonha e peça ajuda aos amigos ou a profissionais em quem confia.
No início, evite ir a eventos sociais e ficar na companhia de pessoas que fumam;
Sempre que sentir vontade de fumar, pare e pense no que levou você a largar o cigarro;
Lembre-se de que o cigarro também prejudica a sua aparência física, deixando os dentes amarelados, a pele ressacada, além de deixar um odor desagradável nos cabelos e roupas;
Independentemente do tempo que você fuma, parar sempre traz benefícios para a saúde. Logo nas primeiras semanas, é possível sentir a melhora na sua respiração;
Ao parar de fumar, você pode deixar de ter doenças que você poderia desenvolver ao longo da vida. E o tabaco está relacionado a mais de 50 tipos de doenças diferentes;
Você vai sentir uma enorme confiança em si mesmo ao conseguir algo que muitas vezes imaginou ser impossível. Certamente, isso aumentará muito sua autoestima. Afinal, você superou a si próprio.

E como parar?

A boa notícia é que o número de fumantes, pelo menos no Brasil, vem caindo. Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que, no fim dos anos 1980, 33% dos brasileiros fumavam. Em 2008, eram 15%. “O importante na hora de parar de fumar é olhar não somente para o hábito em si, mas para tudo que está em volta, e para a própria vida”, explica Pavin. E, a partir daí, aprender a lidar com os sentimentos negativos de outras formas. “Um dos primeiros passos para deixar de fumar é saber quantos cigarros são consumidos por automatismo. Estes são aqueles cigarros acessos mais por um comportamento aprendido do que necessa-riamente pelo prazer que geram. Por exemplo, a pessoa está conversando e acende um cigarro. A conversa acaba, ela entra no carro e acende outro cigarro. Tomar consciência disso já ajuda a diminuir o consumo”, diz Galduróz.

Outro exemplo simples: em uma situação de estresse, em vez de fumar um cigarro, a pessoa pode simplesmente sair de onde está, andar um pouco, ou fazer exercícios de respiração e relaxamento. É essencial saber que o ponto de fissura, quando aparece a vontade intensa de fumar, tende a passar rapidamente. Se a pessoa não acender o cigarro no exato momento da vontade, provavelmente, dali alguns minutos, a vontade não será tão intensa.

E quando ocorre uma recaída? Muitas pessoas que tentam parar de fumar se sentem derrotadas neste momento, mas não há motivo para desanimar. “A recaída pode ser uma grande oportunidade de aprendizado. A pessoa pode parar e pensar em quais estratégias vai desenvolver dali pra frente pra enfrentar e superar aquela situação que a fez voltar a fumar”, diz Pavin.

Além de criar estratégias, é importante que a pessoa crie hábitos saudáveis. Com o fim do tabagismo, o paladar volta ao normal e a pessoa volta a sentir melhor os sabores doce, salgado e amargo Então, é um bom momento para experimentar novos alimentos e buscar comidas saudáveis. A atividade física, além de trazer qualidade de vida, também pode ser uma fonte de prazer. “A prática de exercícios provoca a liberação de endorfina e serotonina, substâncias químicas que provocam sensações de bem-estar”, afirma Galduróz.

Fleury oferece serviço para parar de fumar

O Fleury oferece às empresas um programa voltado aos colaboradores que desejam parar de fumar. Os setores de saúde ocupacional ou recursos humanos das empresas podem contratar o serviço. Em uma primeira fase, o programa contempla palestras e o envio de newsletters sobre o assunto. Depois disso, os colaboradores que se inscrevem passam por uma avaliação com psicólogos e médicos, além de se submeterem a exames para saber qual o impacto que o cigarro já causou na vida da pessoa. Essas avaliações levam aproximadamente um mês. Com o resultado em mãos, é traçado um plano personalizado para que aquela pessoa deixe o cigarro. A partir daí, a pessoa escolhe o dia em que vai parar de fumar. Em todo este processo, ela continua recebendo suporte psicológico, apoio dos médicos e orientações de nutricionistas para prevenir o ganho de peso. Para saber mais sobre este programa, entre em contato com a Central de Relacionamento ou acesse www.fleury.com.br.