Limpeza da língua: por que ela é importante?

Limpeza da língua: por que ela é importante?

Algumas pessoas tem ânsia ao limpar a língua , seja com raspador, com escova, com pasta ou mesmo sem pasta e sempre ocorre a dúvida se é possível fazer apenas bochecho para retirar a saburra que fica sobre a língua.
Existe algum creme dental ou algum produto que possa ser utilizado na língua para maior limpeza?
Simples e objetivamente, só existe limpeza efetiva se houver escovação. Ou seja: é imprescindível a remoção mecânica dos resíduos da língua. E quem melhor pode fazer isso é a escova.

Precisa ser com pasta? Não necessariamente. O importante saber é que escova sem pasta funciona bem na higiene oral, mas pasta sem escova não.

A pasta tem um papel de acessório facilitador da desorganização da sujeira que se acumula na língua, facilitando a remoção mecânica feita pela escova.

Não existe nenhum medicamento ou produto que limpe a língua sem você escová-la. Assim como um produto de limpeza doméstica não funciona se for jogado no chão sem a ajuda da vassoura ou de um pano para esfregá-lo.

E sobre a ânsia, a saída é tentar minimizar. A dica é não escovar a língua logo após comer algo, esperar uns minutos e persistir.

Não existe facilidade nem mágica: a solução é escovar todos os dias e sempre depois de comer, para condicionar o corpo e a mente. Quem desiste ou não faz isso corretamente, é quase certo que apresentará um quadro de halitose. Cuidado!
Via saudálito

Manutenção dos protetores bucais

Manutenção dos protetores bucais

Manutenção dos protetores bucais

Depois de feitos os ajustes em seu protetor bucal para que este se encaixe corretamente nos dentes, é preciso que você aprenda a fazer a manutenção do aparelho.

O protetor bucal só deve ser usado durante a prática de esportes ou jogos. Não morda o protetor para não reduzir a eficácia do plástico ou material laminado. Seu dentista deve eliminar todas as bordas finas do aparelho para evitar que irritem ou machuquem a gengiva ou bochechas.

Depois de usar o protetor bucal verifique se está em perfeitas condições. Se estiver danificado, substitua-o para evitar irritação na gengiva.

 

18682_10151749114308771_87708220_n

A durabilidade do protetor depende dos cuidados que você dispensar a ele.
Depois de usá-lo, limpe-o com água fria e utilize uma escova com creme dental para eliminar as bactérias que possam ter aderido a ele durante o uso.

Enxágue-o e guarde-o em um estojo, em temperatura ambiente, até a próxima prática desportiva. Vá ao dentista regularmente e peça-lhe que esclareça as dúvidas que você tiver em relação ao uso do protetor bucal nas práticas desportivas.
Aqui no Blog temos várias matérias sobre Protetores bucais.Caso tenha interesse , coloque na “Busca” do Blog e saiba mais sobre esta importante proteção para seus dentes.

Agenesia: falha genética diminui os dentes da arcada

Agenesia: falha genética diminui os dentes da arcada

A agenesia não é considerada uma doença, é uma anomalia dentária que ocorre a ausência de um ou mais dentes na arcada

Apesar de comum, a agenesia é desconhecida pela maioria das pessoas. A anomalia dentária não é considerada uma doença, já que é caracterizada pela ausência de um ou mais dentes na arcada.

Na população brasileira, a agenesia atinge de 2% a 5% das pessoas – dependendo do dente afetado e excluindo os terceiros molares (dente do siso) que gira em torno de 20% a 30%. De acordo com os estudos realizados, os dentes mais afetados na dentição permanente são os segundos pré-molares inferiores seguidos pelos incisivos laterais superiores. Na dentição decídua (de leite), este número varia entre 0,4 a 1%, afetando principalmente os incisivos superiores.

A agenesia unilateral é mais comum do que as bilaterais. São classificadas quanto ao número de dentes envolvidos: hipodontia – ausência congênita de menos de seis dentes permanentes, oligodontia – mais de seis dentes e anodontia – ausência de todos os dentes permanentes.

Segundo o professor Cássio José Fornazari Alencar, especialista em Odontopediatria pela USP, a relação entre a agenesia de um dente de leite e a presença/ausência de seu sucessor permanente ainda é um assunto controverso. “Porém é possível afirmar que as taxas de prevalência de agenesia em ambas as dentições são significativamente mais elevadas em mulheres. Já a presença de mais dentes (supranumerários) é mais prevalente em meninos do que em meninas”, diz.

Causas
A teoria mais aceita para explicar a agenesia dentária é a alteração na expressão de genes específicos, sendo o MSX1, AXIN2 e PAX9 os mais estudados. “As ausências dentárias congênitas podem ocorrer como uma condição isolada ou estar associadas com uma condição sistêmica ou síndromes: Displasia do ectoderma, Síndrome de Down e fissuras palatinas”, afirma.

Além das causas genéticas, existem fatores ambientais que podem estar ligados à agenesia. Infecções como rubéola e sífilis, diferentes tipos de traumatismos, uso de substâncias químicas ou drogas, quimioterapia e radioterapia são alguns desses fatores.

Diagnóstico
Quem tem a alteração genética leva uma vida normal em relação à saúde bucal, que depende principalmente da higienização. Na maioria dos casos, o diagnóstico é feito por meio de radiografias. “Daí a importância de radiografar crianças em torno de 5 anos, quando pode-se fazer o diagnóstico precoce e direcionar o possível tratamento ou prognóstico”, diz Alencar. Antes dessa idade, o diagnóstico é feito pela sequência de erupção dentária. “Por isso é recomendado o acompanhamento da erupção de dentes de leite, na primeira infância, pelo odontopediatra”.

O acompanhamento profissional também ajudará no acompanhamento do crescimento dos dentes. O paciente com quebra de dentes na sequência de erupção, por exemplo, pode ter um dente congenitamente ausente. Um sinal de herança genética da ausência de dentes seria a presença dentes com formatos conóides – menores que o normal e em formato de cone –, principalmente de incisivos laterais superiores.

Tratamento
A decisão de extrair o dente de leite e fechar o espaço ortodonticamente, ou de abrir espaço para colocação de uma prótese ou implante são algumas das possíveis saídas para o problema. “A idade do paciente, a forma e posição do dente, a oclusão da criança, a quantidade de ‘apinhamento’ dentário – posição inadequada dos dentes – e até a qualidade e quantidade de osso na região da ausência são fatores que influenciam a decisão do profissional”.

Via terra

Cientistas de Taiwan apresentam protótipo de ‘dente inteligente

Cientistas de Taiwan apresentam protótipo de 'dente inteligente

Cientistas do Departamento de Ciência Computacional e Engenharia da Informação, na Universidade Nacional de Taiwan, em Taipei, apresentaram o protótipo de um ‘dente inteligente’.

O equipamento, que tem 1 cm de comprimento, é um sensor criado para ser encaixado no dente artificial com o objetivo de detectar os hábitos diários da pessoa, como mastigação, fumo, bebida, tosse ou excesso de comida.

O sensor é capaz de detectar os movimentos da boca e os fios enviam informações para os pesquisadores, de acordo com Kelvin Li, um dos pesquisadores responsáveis pela engenhoca

dente-inteligente3 dente-inteligente1
Via G1