Seu filho está chorando.Será dor de dente?

Seu filho está chorando.Será dor de dente?

Nada mais aflitivo do que não saber o que a criança está sentindo. Quando ela ainda não fala, o choro acaba sendo o meio de expressão dos filhos para os pais. Choro de fome, choro de sono, choro de cólica. Mas é preciso aprender a distinguir se a reação da criança indica um incômodo, manha ou se é dor.

O choro é a principal manifestação de dor em crianças, apesar da sua intensidade nem sempre corresponder à intensidade da dor. É preciso prestar atenção a outras alterações, tanto físicas quanto de comportamento. Observar o sono, o apetite e até os interesses de lazer. “Se a criança não está dormindo bem, diminuiu o apetite e se recusa a brincar, por exemplo, é hora de ligar para o pediatra”, diz a cirurgiã-dentista, Adriana Ortega, professora da Fundação para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico da Odontologia (FUNDECTO) da FOUSP.

Dentes à vista
Uma fase que, normalmente, os cuidadores da criança enfrentarão certa dificuldade é quando os dentinhos começam a nascer, entre seis meses e um ano de idade. A sensação pode ser desconfortável e o bebê apresenta irritabilidade. “Mordedores com gel são uma ótima opção e podem ser oferecidos gelados.

A dor é um aviso do organismo de que algo fora dos padrões normais está acontecendo. O que pode ser um sinal de alerta são outros sintomas que fazem parte do quadro da criança. “Caso a dor esteja fazendo parte de um quadro infeccioso agudo, a criança pode apresentar febre e edema (inchaço) próximo do dente, perda de apetite, bem como sintomas psicológicos como irritação e ansiedade”, diz Ortega.

Segundo o pediatra Rogério Morando, do Hospital e Maternidade São Luiz, quando o problema do bebê está na boca, um sintoma evidente é a salivação excessiva na presença de algum fator que agrida a mucosa oral e/ ou dentes.

Em crianças que já têm os dentes, a dor também pode indicar cárie ou outras doenças bucais. “Devemos nos lembrar da cárie de mamadeira, situação em que ocorre a evolução para um processo de cárie devido a ingestão de leite noturno, não seguida de escovação adequada”, diz Morando.

Quando este é o caso, a melhor saída é levá-lo ao odontopediatra que aliviará os sintomas com procedimentos no consultório. “Os analgésicos que a criança toma rotineiramente podem não fazer efeito frente a uma dor de dente, o tratamento dentário é indispensável uma vez que nenhum medicamento sozinho é capaz de resolver o problema desse tipo”, afirma Adriana.

Evite esse problema
Quanto antes os pais levarem os bebês ao odontopediatra, melhor. O profissional fará um trabalho de prevenção, além de orientar os pais quanto ao cuidado oral dos pequenos. Cada fase da dentição exige cuidados especiais, e até os dentes de leite têm papel fundamental para o desenvolvimento da criança.

Terra