Halitose e ronco podem prejudicar relacionamento, mas têm cura

O mau hálito e a sinfonia noturna podem chegar a extremos de terminar um namoro, mas os dois problemas têm cura, basta admitir e aceitar o tratamento

Especialistas dizem que muitos homens só procuram tratamento motivados por suas parceiras que ameaçam terminar o relacionamento

Foto: solominvikto / Shutterstock

Quando as pessoas casam ou passam a morar juntas diversas intimidades são compartilhadas. Porém, é na hora de dormir agarradinho ou beijar que essas intimidades podem trazer à tona alguns problemas sérios,como o ronco e a percepção do mau hálito.

O grande problema do ronco, além de incomodar a pessoa que dorme ao lado, é que ele pode ser o indicador de problemas mais sérios. “Estamos acostumados a achar que roncar é algo normal, na verdade roncar é comum, mas não normal. E ele pode indicar que a pessoa tem, por exemplo, a Síndrome da Apnéia Obstrutiva do Sono. Nesse caso, é preciso procurar tratamento o mais rápido possível”, diz Thiago C Fróes, mestre e doutorando em Prótese Dentária da FOUSP.

Segundo Thiago, apesar de o ronco ser um mau mais recorrente em homens com sobrepeso, são as mulheres que vão aos consultórios “empurrando” seus maridos. “E muitas vezes o roncador nega que ronca e a esposa é obrigada a filmar com o celular e expor o vídeo durante a consulta para constrangê-los e muitas vezes convencê-lo de que precisa de tratamento”.

A partir do diagnóstico as opções de tratamentos são as mais variadas. “Podemos incentivar a mudança de hábitos antes de dormir, utilizar aparelhos intra-orais durante o sono, aplicar botox na região do palato mole, fazer fonoterapia para fortalecer a musculatura da orofaringe entre outras. Além disso, ter hábitos alimentares saudáveis, fazer exercícios físicos regularmente e se manter no peso ideal são pontos importantes para o sucesso de qualquer terapia”, diz Thiago.

Quando o ronco reina durante toda a madrugada, nem quem ronca, nem quem está dormindo ao lado consegue descansar de verdade, o que pode acarretar uma série de problemas de saúde e de relacionamento.

Para entender melhor as causas, as conseqüências e as verdades sobre o ronco, Sergio José Nunes, cirurgião-dentista especializado em ronco e apneia, tira as principais dúvidas sobre o tema.

Quais são as principais causas do ronco? 
A principal causa do ronco em adultos é a obesidade ou sobrepeso. Porém, não são só os obesos que roncam. Pessoas com peso normal também podem roncar ou ter apneia (pequenas pausas na respiração durante o sono) por causa do formato da cavidade oral. Boca muito estreita ou mandíbula menor que o comum podem levar ao ronco por obrigar a língua a ficar na posição errada.

Outro agravante para o aparecimento do ronco é a idade. A medida em que envelhecemos, há uma grande perda de tonicidade muscular, o que gera flacidez na garganta e prejudica a passagem correta do ar.  Além disso, o consumo de álcool ou remédios, hipertrofia das amídalas, desvio de septo e sedentarismo também predispõem as pessoas a roncarem.

Quais os principais sintomas diurnos que o ronco causa?
O ronco acompanhado de apneia do sono torna o descanso precário e com isso a sonolência diurna é quase uma constante. Uma vez sonolento, as conseqüências são: irritabilidade, mau humor, baixa produtividade e alto risco ao volante.

 

Qual a melhor forma de tratar o ronco? 
A melhor opção de tratamento é a prevenção. Hoje em dia, sabemos que se o cirurgião-dentista souber interpretar os sintomas com antecedência, o ronco, assim como a apneia do sono e o bruxismo, pode ser devidamente identificado e prevenido, evitando seus desdobramentos. Para os casos de apneia do sono leve a moderada e ronco, o cirurgião-dentista pode orientar o uso de placas de avanço mandibular durante a noite, resolvendo os problemas na maioria dos casos.

É verdade que quem ronca tem mais chances de ter um ataque cardíaco ou um AVC?
Sim. Inúmeros trabalhos mostram que o ronco acompanhado da apneia do sono predispõe esses indivíduos a estarem mais sujeitos a doenças como: ataque cardíaco, AVC, hipertensão e diabetes, além de apresentarem uma respiração inadequada e menos oxigenação sanguínea.

Que tipo de ronco é o mais preocupante?
Os decorrentes da apneia do sono, pois nesses casos as vias aéreas superiores se encontram bloqueadas, ou parcialmente bloqueadas, o que prejudica a respiração noturna. O principal problema deste tipo de ronco é que ele dificulta a chegada de oxigênio no cérebro.

Crianças também roncam?
Crianças não só roncam como também sofrem com apneia. Adenoides e amígdalas inflamadas são as principais causas de ronco nessa idade.

Qual a incidência de pessoas que sofrem de apneia do sono e, consequentemente, roncam?
Hoje sabemos que um terço da população adulta mundial sofre de ronco causado por apneia.

Mau Hálito
“O mau hálito pode causar isolamento social e até depressão quando não tratado, fazendo com que a pessoa sequer consiga começar um relacionamento afetivo com alguém”.

Porém, quando esse problema aparece depois de algum tempo, é importante que a parceira seja a primeira a conversar sobre o assunto. “É fundamental que haja conversa entre o casal. E, apesar de a halitose atingir cerca de 30% da população brasileira, ela tem cura. E às vezes essa cura é mais simples do que as pessoas imaginam”