Quais as causas do mau hálito ?

Halitose

Mais conhecida por mau hálito, a halitose é muito comum na população. As causas são diversas, mas sabe-se que 80-90% dos casos têm origem bucal.

Causas de origem bucal

As bactérias presentes na boca são capazes de produzir compostos com odor desagradável. Se a higiene oral for feita de forma incorreta, essas bactérias se proliferam descontroladamente e produzem grandes quantidades desses compostos, gerando o mau hálito. Esses compostos têm em comum a presença do enxofre, que é o componente responsável pelo odor desagradável. A língua também merece destaque, pois quando não a higienizamos corretamente ocorre o acúmulo de resíduos e células mortas, isso resulta em uma placa branca-amarelada no dorso da língua. Essa placa é conhecida como saburra lingual, que é um meio ideal para a proliferação bacteriana capazes de produzir compostos sulfurados. As doenças das gengivas (gengivite e periodontite) também são associadas à higiene deficiente e, portanto, geram o mau hálito. Produtos corretos e higienização adequada podem ser grandes aliados na prevenção da halitose.

Causas com origem nas vias aéreas

As amídalas, por ter uma superfície com reentrâncias, favorecem o acúmulo de cáseos amigdalianos, que são acúmulos de restos mal cheirosos. Os cáseos amigdalianos podem ser expelidos durante a fala, tosse ou espirros.

Outras causas

Existem outras origens da halitose como diabetes, problemas no pulmão, intestino ou rins, fumo, deficiência de vitamina A e D e pouca produção de saliva. Alguns medicamentos para depressão, emagrecimento e pressão alta, podem levar a alterações na saliva que favorecem o aparecimento da halitose.

Sabe-se, contudo, que a halitose não tem como causa problemas no estômago, o que muitos profissionais erroneamente ainda acreditam.

Halitose temporária

Pacientes com inflamação das amídalas e sinusopatias podem ter halitose temporária que não deve persistir após a cura da inflamação. A halitose também pode aparecer em pacientes respiradores bucais, pois a boca fica constantemente seca devido à passagem excessiva de ar e a saliva fica mais grossa o que favorece o aparecimento de odor desagradável.

Halitose matinal

É importante salientar que é absolutamente normal o mau hálito matinal. Durante a noite nosso metabolismo muda e há uma diminuição drástica da produção de saliva e da motricidade lingual. Esses dois fatores favorecem a proliferação bacteriana, já que a língua e a saliva têm também como função a auto-limpeza da cavidade oral. Além disso, nosso corpo entra em hipoglicemia, o que gera odor cetônico na boca. Todos esses fatores resultam no característico odor desagradável pela manhã, que deverá desaparecer com a correta higienização, isso é, escovação adequada e uso do fio dental. Caso isso não ocorra, o paciente deve procurar um profissional credenciado CETH.

Pacientes hospitalizados

Normalmente a halitose não traz nenhum prejuízo para a saúde das pessoas saudáveis, porém em pacientes pós-cirúrgicos ou internados em Unidades Intensivas ou Semi Intensivas normalmente ocorre maior acúmulo de bactérias na cavidade bucal uma vez que a higienização se torna dificultada. O quadro de higiene oral precária e a debilidade da saúde do paciente favorecem as infecções pulmonares e hospitalares causadas por bactérias de origem bucal, o que pode prolongar ainda mais o tempo de internação. O uso de enxaguante específico especialmente desenvolvido para esta situação pode diminuir a quantidade de bactérias patogênicas e tornar a recuperação do paciente mais rápida.

Fonte:CETH


Para Prevenir a Halitose, você deve:
1) Escovar corretamente os dentes 3 vezes ao dia para
remover a placa dental e evitar cárie.
2) Usar corretamente o fio dental 2 vezes ao dia para
remover a placa interdental e evitar doença periodontal.
3) Limpar a língua 1 a 2 vezes ao dia para prevenir a
formação da placa bacteriana lingual ou saburra.
4) Aumentar o fluxo salivar pela mastigação de produtos
duros ou o uso de alimentos ácidos.
5) Diminuir a descamação excessiva da mucosa da boca
evitando morder os lábios e bochechas, evitando respirar
pela boca.
6) Observar se costuma ter com freqüência dor de garganta
ou cáseos.
7) Observar se costuma ter descamação aparentemente
sem motivo em certas partes do corpo.
8) Observar se costuma ter com freqüência o intestino preso
ou diarréia.
9) Verificar se não sofre de diabetes, uremia, se costuma
tomar algum remédio de odor carregado.
10) Verificar se costuma usar alimentos de odor carregado
(principalmente alho e cebola crus em excesso).
11) Observar que não deve fazer uso indiscriminado de
medicamentos controlados ou com efeito colateral
xerostômico.
12) Observar que não de vê ficar mais de 4 horas em jejum,
sem comer nada.
Outras causas de halitose você não vai ter
condições de reconhecer e portanto deve procurar um
profissional habilitado para este tipo de tratamento.

Somos credenciados da CETH – centro de excelência em Halitose

Fonte : Cartilha de Halitose – Dra OLINDA TÁRZIA – Conahaol