Homens que bebem café podem ter risco de periodontite reduzido

 

Café contém substâncias antioxidantes, também encontradas em maçãs, canela e vinho tinto, que acredita-se proteger a saúde. (Foto:zeljkodan/Shutterstock)
by Dental Tribune International

BOSTON, Mass., EUA: Nova pesquisa identifica que o consumo de café pode proteger contra a perda óssea periodontal. Em um estudo com mais de mil homens com dentes pesquisadores concluíram que não há evidência de que o consumo de café seja prejudicial à saúde periodontal. No entanto eles descobriram que os homens que consumiam mais café tinham menos dentes afetados por perda óssea periodontal que os participantes que bebiam menos café.

Para determinar se antioxidantes ou outros componentes anti-inflamatórios do café podem beneficiar a saúde oral, pesquisadores da Universidade de Boston estudaram os dados de saúde de 1152 homens com dentes que foram originalmente inscritos no estudo odontológico longitudinal do Departamento de Assuntos de Veteranos (Department of Veterans Affairs). Este estudo prospectivo, que foi conduzido entre 1968 e 1998, foi planejado para avaliar a saúde oral de homens saudáveis, brancos, entre 26 e 84 anos de idade. Os participantes passaram por avaliações odontológicas a cada 3 anos durante o estudo.

“Concluímos que o consumo de café não tem qualquer efeito adverso na saúde periodontal e pode ainda ter efeitos protetores contra a doença periodontal”. Disse o autor principal, Nathan NG, da Escola de Odontologia.

Baseados nas informações dadas pelos próprios participantes acerca do consumo de café os pesquisadores observaram que o maior consumo da bebida está associado com uma pequena, porém significativa, redução no numero de dentes com perda óssea por periodontite.

O estudo intitulado “Consumo de café e a doença de periodontite em homens” (Coffee Consumption and Periodontal Disease in Males) foi publicado na edição de agosto do Journal of Periodontology.

Israel interrompe fluoretação de água potável

 

Devido a possíveis riscos à saúde Israel interrompeu oficialmente a adição de fluoreto à água potável. (Foto: Ari N/Shutterstock)
Israel interrompe fluoretação de água potável

 

by Dental Tribune International

JERUSALÉM, Israel: O Ministro da Saúde de Israel, Yael German, iniciou o descontinuamento da fluoretação da água potável. Apesar das críticas de outros políticos e de vários grupos ligados à saúde, Germam decidiu seguir o exemplo de muitos outros países e encerrar esta prática.

A fluoretação de água potável tem sido controversa por algum tempo. Em doses precisas pode beneficiar a saúde bucal. No entanto, de acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), os efeitos de uma dose alta de fluoreto podem ir de leve fluorose dentária a uma paralisante fluorose óssea. Fluorose dentária clínica se caracteriza por manchas e desgaste dos dentes. Em casos mais severos todo o esmalte pode ser danificado. Em fluorose óssea o fluoreto se acumula nos ossos por muitos anos, levando a rigidez e dores nas articulações. Em casos severos pode causar alterações na estrutura óssea, calcificação de ligamentos e efeitos prejudicais, afirma a OMC.

Conforme relatado no jornal online The Times of Israel, Israel originalmente determinou a fluoretação da água em 1970 para centros populacionais com 5 mil ou mais residentes e executou com sucesso 70 por cento da água tratada. Este processo foi interrompido no país em 26 de agosto de 2014.

German anunciou seus planos de interromper a fluoretação logo após sua nomeação à Ministro da Saúde em março de 2013, o que resultou em protestos de especialistas em saúde pública e oficiais do governo, incluindo o Primeiro Ministro Benjamin Netanyahu. Em resposta German determinou que a fluoretação deveria continuar em centros populacionais que optassem pelo programa, informou o jornal.

No entanto a fluoretação já não é opcional. Médicos ressaltam que a fluoretação pode ser prejudicial para gestantes, pessoas com problemas de tiroide e idosos, explicou German.

Além de Israel, Finlândia, Alemanha e Japão, a Holanda e Suécia estão entre os países que não adicionam flúor à água potável.

Halitose em crianças

Embora não haja estatísticas específicas sobre halitose em crianças, o problema é muito comum nesta faixa etária. De acordo com a Cirurgiã-Dentista, Daiane Rocha, que é diretora e membro da Associação Brasileira de Halitose (ABHA), na maioria dos casos a halitose é mais de origem fisiológica, orgânica ou causada por hábitos que favorecem as alterações de hálito nessa faixa etária. “Não é comum existirem crianças portadores de halitose com origem em patologias, mas ocasionalmente esses casos podem aparecer”.

bebe1

A Odontopediatra Sandra Kalil Bussadori, que é professora da EAP APCD concorda que, apesar de existirem vários estudos sobre halitose, poucos são voltados para o público infantil. Até por esta razão, Sandra faz parte de um grupo de pesquisa que tem realizado alguns estudos aprofundados sobre prevalência e tratamento da halitose infantil e em jovens. “Buscamos soluções e alternativas para este problema que é uma queixa frequente dos pais e jovens”.

As principais causas de halitose em crianças, segundo a Odontopediatra, são as alterações bucais como presença de biofilme, lesões de cárie, saburra lingual, respiração bucal e inflamações como sinusite e amigdalite. “Contudo, esses dados ainda não são muito concretos, faltam estudos mais profundos, como já mencionei”, ressalta. Como a origem da maioria das halitoses é bucal, Sandra explica que, primeiramente, é necessário adequar a correta higienização dos dentes e da língua com o uso de fio dental. “O tratamento odontológico deve ser realizado caso existam doenças instaladas (lesões de cárie, gengivite, restaurações inadequadas). Se o problema persistir, problemas respiratórios e alergias deverão ser investigados”, alerta.

A diretora da ABHA também observa que as falhas na higiene bucal, especialmente na limpeza de língua, gerando acúmulo intenso de saburra lingual e, com isso, formação de enxofre, é o principal fator predisponente da halitose. “Isso, associado ao uso frequente de cremes dentais com laurilsulfato de sódio que causam descamação nas células da mucosa da boca, além de bochechos com álcool na composição é potencialmente danoso, pois gera ressecamento bucal intenso, aumenta a descamação das células (ricas em proteínas), acentuando a formação da saburra lingual, mais uma vez favorecendo a formação de enxofre”. Daiane acredita que esse problema poderia ser minimizado, se pais e responsáveis tivessem um controle rigoroso e auxiliassem, ou pelo menos fiscalizassem mais de perto, a higiene bucal de seus filhos. “Com o ritmo de trabalho atual esse cuidado muitas vezes fica ‘terceirizado’ para babás, auxiliares ou escola, não sendo efetuado ou sendo efetuado com muitas falhas. Em outros casos, a própria criança realiza sua escovação sozinha, sem nenhuma supervisão… Até os sete anos, pelo menos, essa higiene precisa ser auxiliada e/ou supervisionada por um adulto e as crianças devem, desde cedo, ser estimuladas a escovar os dentes, no mínimo, 3x/dia”, esclarece.

Do lado do profissional, a Odontopediatra, reforça que o Cirurgião-Dentista deve atuar como um educador em saúde. “Promovendo o controle do biofilme e a limpeza da língua, e também realizando o tratamento das doenças instaladas”, ressalta Sandra.

Pré-adolescência e adolescência

Segundo a diretora da ABHA, Daiane Rocha, na pré-adolescência e adolescência há outros fatores bastante relevantes e peculiares que podem favorecer a halitose:

Alterações hormonais – é comum antes e durante a puberdade haver alterações de odor, não só no hálito, mas também de chulé, suor, odor vaginal, por influência de desordem ou picos hormonais que aumentam a intensidade da produção de odores corporais;

mauhalito

Uso de aparelho ortodôntico – os aparelhos ortodônticos também contribuem indiretamente para a ocorrência de halitose nessa faixa etária. A higiene bucal fica ainda mais precária, em especial pelo maior acúmulo de alimentos entre os dentes e os bráquetes ortodônticos. A dificuldade de uso do fio dental faz com que muito negligenciem a limpeza. Além disso, o contato constante dos bráquetes na mucosa bucal contribui mais uma vez para a descamação celular e aumento de saburra lingual.

Alimentação – o consumo excessivo de leite e seus derivados e, em alguns casos, também de carne vermelha, aliados à ausência de higiene satisfatória contribui novamente, de forma fisiológica, para formação de enxofre. O consumo insuficiente de água pelas crianças é outro problema que contribui.

Neste sentido, o tratamento consiste em eliminar as causas que levam à ocorrência da halitose. “Deve-se intensificar os cuidados de higiene, em especial em crianças e adolescentes usuários de aparelho ortodôntico, quanto à escovação com técnica adequada, uso de fio dental, limpeza lingual eficiente e cuidado na escolha de produtos próprios para sua idade, além da supervisão e auxilio, quando necessário, de um adulto. Os retornos periódicos ao Cirurgião-Dentista, no mínimo semestralmente, também devem ser cumpridos. A alimentação deve ser balanceada, com limpeza bucal realizada quando houver o consumo de alimentos que contribuem para o aumento da saburra lingual. Intervalos regulares a cada 3 a 4 horas também são importantes para que não haja a queima de gordura e, consequentemente, hálito cetônico. Esse controle nos horários de refeições já é difícil em adultos hoje em dia, nas crianças então vem sendo bastante negligenciado”, finaliza Daiane.

Via Jornal APCD

A boca esconde segredos…

segredos

 

Sabe aquele segredo que você só quer repartir com as pessoas importantes e queridas? .

Nesta oportunidade, queremos repartir mais essa sequência de dicas e informações com vocês.

Que os segredos tragam mais saúde!

1° Segredo – Quem tem mais chances de roncar? 

Se você é um respirador bucal  (Respira pela boca, dorme com a boca aberta) você é um favorito ao “status de roncador”.  

2° segredo – Trocas além do amor…   

Quando você beija, troca cerca de 256 bactérias com o seu parceiro. Cerca de 50% das bactérias da boca vivem na superfície da língua.

3° segredo – Boca seca é ruim…

Se a sua boca ficasse completamente seca, você não seria capaz de distinguir nenhum sabor e provavelmente se machucaria ao comer.

4° segredo – O paladar vai além da boca…

Tomar alguns medicamentos, fumar, não ingerir vitaminas suficientes, ferimentos na cabeça, tumores cerebrais, exposição a substâncias químicas e os efeitos da radiação, podem causar alterações do paladar.

5° segredo – O sentido mais fraco vem da boca.

O gosto é o mais fraco dos cinco sentidos.

6° segredo – Destros,canhotos e os reflexos bucais…

Alguns estudos cogitam que a gente inicie ou perca mais tempo escovando o lado oposto ao qual seguramos a nossa escova pela facilidade na prática do movimento.

7° segredo – Poderosa lingua.

O músculo mais forte do corpo humano é a língua (em relação ao seu tamanho). A língua é o único músculo do corpo que é anexada em apenas uma extremidade.

 8° segredo – Somos capazes de encher uma piscina com a boca.

Você irá produzir 38.432 litros de saliva em toda a sua vida (cerca de 1,5 litros de saliva por dia se viver 70 anos). O suficiente para encher uma piscina.

 

TePe

DIETA ALIMENTAR E SAÚDE BUCAL

mordendo-a-maca1

“Você é o que você come”. Esta é afirmação que vem sendo difundida nesta época onde as dietas, que restringem a ingestão de diferentes tipos de alimentos, alteram as refeições. Certamente, uma boa nutrição contribui para uma saúde perfeita e equilibrada – inclusive a dos dentes.

Hoje, a maior parte de informações na área odontológica, aponta para técnicas de clareamento, facetas de porcelana, aparelhos ortodônticos transparentes , e pouco se ouve falar dos alimentos que têm o potencial de destruir tudo o que citamos acima e também os dentes naturais, visto que o ambiente da cavidade oral é contaminado e suscetível a transformações quando na presença de determinados alimentos.
Para o odontologia existem alimentos “adesivos”, “ácidos”, “ detergentes” e “protetores”. Esta classificação poderá ajudar na escolha de alimentos para nossa dieta alimentar.
Os “alimentos adesivos” tendem a aderir aos dentes e são os responsáveis pela cárie. Compõem esse grupo biscoitos, bolachas, doces e balas. O açúcar é o principal alimento das bactérias causadoras da placa bacteriana, que está associada ao aparecimento da cárie e ao mau hálito. Sendo assim, devemos evitar a ingestão de balas, chocolates e alimentos doces (com muito açúcar) no período entre as refeições.
Os alimentos ácidos são o abacaxi, laranja, limão, kiwi e cítricos em geral, os sucos, e refrigerantes e favorecem o que chamamos de erosão ácida, que se manifesta sob a forma de “desgaste” da estrutura do dente, na região próxima à gengiva, mesmo na ausência da doença cárie e em bocas bem higienizadas.
Os chamados “alimentos detergentes”” eliminam resíduos de outros alimentos que ficam aderidos à superfície dental. Fazem parte desta lista as frutas, os legumes e as verduras de modo geral, preferencialmente crus ou cozidos no vapor. Estes alimentos necessitam de um maior tempo de mastigação, o que promove uma autolimpeza pelo atrito do alimento com o dente. Além disso, fornecem ao organismo muitos nutrientes essenciais para o seu bom funcionamento, como as vitaminas A, B6, B12, C, D, E, K e ácido fólico.
Os alimentos protetores por sua vez, agem formando uma barreira entre os dentes e os ácidos da bactérias. São eles  iogurte, queijo amarelo, milho e pipoca salgada, nozes, amendoim, castanha de caju.

Uma dieta saudável deve conter ainda vitaminas, sais minerais e fibras presentes no arroz, no feijão, no peixe,  nos ovos, imprescindíveis para o bom andamento de nosso organismo.
Cabe lembrar que a má nutrição e deficiências vitamínicas provocam a diminuição no fluxo salivar e alterações na gengiva e no periodonto.O jejum prolongado leva a hipoglicemia e a queima de gordura, que produz gases de odores fortes e mau hálito.
O uso de fórmulas para emagrecer, costuma provocar desidratação pelos laxantes das mesmas e por este motivo diminuição do fluxo salivar e formação de saburra lingual e mau hálito.

No intuito de manter a boca livre de doenças, devemos procurar ter uma alimentação balanceada, evitando alimentos prejudiciais à nossa saúde e ingerindo alimentos saudáveis.
Para concluir é de vital importância a ingestão de dez copos de água por dia, como auxiliar na higiene bucal

Via nutrição e ação

Protetor Bucal – Quando usar?

5 esportes em que você deve usar um protetor bucal

5 esportes

Todos nós sabemos a importância de um sorriso bonito em nossa vida pessoal e até na profissional. Considerado por muitos como um cartão de visitas, ter dentes brancos e alinhados é algo que todos desejam e muitos gastam milhares de reais com isso.

Mas algo muito corriqueiro e agradável pode colocar em risco nossa dentição: praticar esportes de contato. É muito comum a ocorrência de choques e pancadas nessas situações e podemos facilmente danificar ou mesmo perder dentes assim. Para diminuir as chances de esse problema ocorrer, podemos optar pelo uso de um protetor bucal. Embora seja obrigatório em alguns desportos há tempos, em outros seu uso é opcional e só começou a ser difundido agora.

Confira aqui quais são os esportes em que você deve optar pelo uso e reduzir as chances de traumas bucais.

Artes Marciais

Se você pratica algum tipo de arte marcial ou luta, não pode de maneira alguma abrir mão desta proteção. Cotoveladas, socos, chutes e quedas são movimentos comuns de alta intensidade que podem facilmente lesar as mais diversas partes do seu corpo. Todo cuidado é pouco: proteja-se.

Futebol

O uso do protetor no futebol começou a ficar mais comum nos últimos tempos, pois tem sido adotado por alguns atletas de grande fama. No campo, não é raro termos disputas de cabeçadas onde os jogadores atingem a face do adversário, bem como cotoveladas e socos do goleiro, que embora visem a bola, podem nocautear um jogador. Alguns modelos inclusive já vêm com as cores do clube ou seleção, combinando com o uniforme.

Handebol

O handebol está se popularizando rapidamente no Brasil nos últimos anos. Com a seleção feminina sendo campeã mundial recentemente, as mulheres também estão bem animadas com essa prática esportiva. Os pulos e arremessos mais agressivos possibilitam muitas pancadas durante a partida, portanto estar protegido faz toda a diferença.

Basquete

Embora não seja um esporte de muitos choques, pois os contatos são punidos com faltas, não é raro vermos acidentes, especialmente nas jogadas de profundidade e arrancadas em arremesso. Os cotovelos podem acidentalmente se chocar com a face adversária e trazer lesões sérias.

Futebol Americano

Embora seja de uso obrigatório nas ligas profissionais, muitos jogadores amadores desse desporto deixam de lado a proteção dos dentes. Como o jogo é permeado de contato físico e disputas acirradas, os dentes por vezes são vítimas de pancadas e traumas. Se você pratica, nem pense em abrir mão do protetor.

Prevenir é o melhor negócio!

O protetor bucal é uma peça pouco dispendiosa e que não incomoda quem o utiliza. É muito melhor você evitar um problema do que depois perder tempo e dinheiro consertando algum acidente. E você não quer ter trabalho à toa, não é mesmo? Então não marque bobeira: confeccione o seu, podendo inclusive escolher modelos com as cores que mais lhe agradam, e chegue protegido para praticar seu esporte. Assim, você não só ficará em forma e feliz em praticá-lo, como também poderá mostrar ao mundo essa felicidade da melhor maneira que existe: com um sorriso intacto!

Ficou algum esporte de fora? Você utiliza o protetor durante suas práticas esportivas? Deixe um comentário, queremos saber sua opinião!

TePe

[contact-form][contact-field label=’Nome’ type=’name’ required=’1’/][contact-field label=’E-mail’ type=’email’ required=’1’/][contact-field label=’Site’ type=’url’/][contact-field label=’Comentário’ type=’textarea’ required=’1’/][/contact-form]

Cuidados com seu aparelho dentário

5 cuidados para se ter com seu aparelho dentário

5 cuidados aparelho

Os cuidados com a higiene bucal e o acompanhamento periódico de um profissional especializado são essenciais para a manutenção da saúde oral. Essas são as principais formas de prevenção de eventuais complicações. No caso das pessoas que usam aparelhos dentários, as visitas ao dentista se tornam rotinas para que manutenções e ajustes no tratamento sejam feitos. Porém, o paciente também possui um papel fundamental no cuidado com os aparelhos dentários. Inclusive, aqueles que são bem cuidados têm uma ação mais eficiente e resultados melhores. Neste artigo, separamos algumas dicas para você cuidar bem do seu aparelho.

Fique atento com o que come

É sempre importante se preocupar com nossa alimentação diária. Mas, além da questão nutricional, as pessoas que usam aparelho dentário precisam se lembrar de outros dois detalhes das comidas que ingerem: textura e composição. Evite alimentos duros demais (como torrones), pegajosos (caramelos), que soltam fios ou fibras (como a manga) e muito açucarados (balas e chicletes). Cada uma dessas características pode comprometer seu aparelho dentário e atrasar seu tratamento.

Higiene em dobro

Se todo mundo precisa ter higiene bucal, as pessoas que usam aparelho precisam ter um cuidado redobrado. Isso porque as peças, naturalmente, acumulam vestígios de alimentos e bactérias que precisam ser eliminadas constantemente. Então, sempre que terminar uma refeição é preciso escovar os dentes adequadamente.

1185842_10202041377506337_481116491_n

A escovação perfeita

A escovação ideal é aquela que minimiza de várias formas o possível acúmulo de restos de alimentos na boca. Então, é indicado que regularmente todas as pessoas façam uma limpeza mais detalhada do que a cotidiana. Antes da escovação, por exemplo, pode ser feito um bochecho com enxaguante bucal com clorexidina. Depois disso, faça a escovação normal com uma pequena quantidade de pasta dental (sem esquecer qualquer região da boca). Em seguida, use uma escova interdental e o fio dental para pegar os últimos vestígios restantes. Geralmente, pessoas que usam aparelho dentário precisam do auxílio do passa fio, dado normalmente pelos dentistas ou adquiridos na farmácia.

Não seja curioso

É muito fácil ficar curioso para mexer no aparelho dentário. Ele é um corpo estranho dentro da sua boca e, por vezes, está mesmo “no caminho” do comportamento natural da língua e dentes. Porém, não se deve de forma alguma mexer no aparelho, a não ser para aquilo que for necessário. O arranjo de pressões e forças estabelecidos pelo dentista é o que fará com que o aparelho dentário dê resultados. Ficar “explorando” com a língua ou os dedos, além de poder te machucar, pode desajustar o funcionamento das peças e atrasar seu tratamento.

Não esqueça seu aparelho móvel por aí

Além de todos esses cuidados, os pacientes que utilizam os aparelhos móveis têm mais uma coisa para se preocupar: não perdê-los. Como é fácil retirar os aparelhos móveis para comer, escovar os dentes, tomar banho etc, as pessoas acabam improvisando, enrolando-os em guardanapos e lenços. Então, a probabilidade de esquecê-los por onde vão é grande, precisando fazer um investimento alto para recuperar a peça perdida. Carregue sempre com você o estojo adequado para armazenar seu aparelho. Lembre-se que depois ele voltará para sua boca e é preciso certificar-se que o mínimo de bactérias virá junto dele. Como cada aparelho móvel tem sua especificidade, converse com seu dentista para saber as melhores formas de limpar e cuidar do seu.

TePe

Quando levar seu filho ao dentista pela primeira vez?

filho_dentista

Sabia que os cuidados com a higiene oral da criança devem começar antes mesmo dos dentes nascerem? Isso mesmo! Os pais devem remover os resíduos de leite materno da língua do bebê e massagear a gengiva dos pequenos usando uma gase molhada em soro fisiológico. Isso garante que os dentinhos cresçam fortes e saudáveis.

IMG_6374

Mas, além desses cuidados, é imprescindível que aconteçam visitas regulares ao dentista ainda na primeira infância, a fim de evitar problemas comuns entre as crianças, como por exemplo, as cáries. Mas quando deve ser a primeira consulta? Qual o momento ideal para levar o seu filho ao dentista? Como prepará-lo? Confira respostas para essas e outras perguntas lendo nosso post!

Quando deve ser a primeira consulta?

2014-02-02 18.26.30

 

De acordo com os especialistas, a primeira consulta odontológica deve ser agendada entre os seis e os doze meses de idade, pois é nesse período que os primeiros dentinhos da criança começam a se desenvolver. Se os pais tomarem esse cuidado na fase inicial da vida de seus filhos, certamente eles terão uma boa saúde bucal na infância, adolescência e, também, na fase adulta.

SEMANA DAS CRIANÇAS
Heloísa.

O que é tratado nas primeiras visitas ao dentista?

No início do desenvolvimento dos dentes, ainda não são realizados procedimentos nas crianças, mas, durante as consultas, os pais são orientados acerca dos cuidados com a higiene, melhores acessórios para escovar os dentes do bebê, além de dicas de alimentação para que os dentes cresçam fortes e a mastigação seja desenvolvida corretamente.

IMG_7830

Como preparar o bebê para as primeiras consultas odontológicas?

Mesmo enquanto o bebê ainda não fala e não tem todos os dentes desenvolvidos, o ideal é que, desde cedo, os pais demonstrem, na prática, o quanto a higiene bucal é importante. A escovação deve começar a partir do surgimento do primeiro dentinho, o que, normalmente, ocorre por volta dos nove meses. Essa primeira escovação precisa ser feita com dedeiras de silicone, ainda sem creme dental.

IMG_8141

E quando a criança tem medo do dentista?

O medo do dentista é comum entre as crianças, mas quando elas são acompanhadas pelo mesmo médico desde cedo, a tendência é que elas até gostem de reencontrá-lo. Caso seu filho tenha crescido sem nunca ter ido ao dentista, prepare-o psicologicamente para o momento e escolha um bom dentista pediátrico. Quando o odontólogo é especializado no atendimento de crianças, além de usar técnicas mais suaves, ele costuma ter o consultório preparado especialmente para os pequenos, inclusive em termos de decoração, deixando-os consideravelmente mais à vontade.

IMG_8151

 

Muito além da visita ao dentista

Além das consultas regulares ao dentista, os pais devem tomar alguns cuidados importantes para que as crianças conquistem um belo sorriso. Veja só:

  • Priorize uma alimentação saudável e livre de alimentos açucarados como balas, pirulitos e refrigerantes.
  • Evite o uso de produtos com flúor, pois o excesso de flúor pode causar fluorese, uma doença que mancha a dentição definitiva, além de deixar os dentes porosos e quebradiços.
  • Não descuide dos dentes de leite, pois, mesmo sendo temporários, eles são indispensáveis no desenvolvimento de funções como a fala, mastigação e respiração.

diferentes-beneficios

E você, ficou com alguma dúvida? Já levou o seu filho ao dentista pela primeira vez? Compartilhe suas opiniões e experiências com a gente através dos comentários!