Roubo de pastas de dentes na Alemanha

Como Caixas, com pasta de dente, were Roubadas de hum Caminhão estacionado. (Foto: Manfred Steinbach / Shutterstock)

 

Ladrões roubam pastas de dente no valor de 8.500 Euros

por Dental Tribune Internacional

Kassel, Alemanha: Quase trezentas Caixas de pasta de dente foram roubadas de um caminhão estacionado em um posto de Serviços na Alemanha. Os Policiais responsáveis pela investigação estão em busca dos responsáveis, que causaram um prejuízo de mais de dez mil euros.

O roubo aconteceu na semana passada em um ponto de descanso de uma rodovia próximo de Kassel. Roubaram 3.048 tubos. Supostamente as caixas foram retiradas pelos furos  feitos na lona da carreta e levadas em outro veículo.

Policiais estimam que o dano seja de cerca de 8500 € pela carga roubada e outros Dois mil euros pelos danos ao caminhão.

Policiais estao em busca de testemunhas que possam ter INFORMAÇÕES sobre este roubo Incomum.

A Saúde oral e a nutrição

kiwi, strawberries and orange

O cálcio e a vitamina C promovem a saúde oral

O fato de comer diversos alimentos nutritivos é bom para a saúde geral, inclusive para a saúde oral. Algumas vitaminas em particular demonstraram os benefícios na construção de dentes saudáveis, ou seja o cálcio e a vitamina C, por isso assegure-se de incluir alimentos ricos nestes nutrientes em sua dieta.

Foi demonstrado que a vitamina C é um poderoso antioxidante que também tem um papel importante na síntese do colágeno, por isso mantêm gengivas saudáveis.

  • Cálcio: os produtos lácteos, inclusive o leite, o iogurte e os queijos, são boas fontes de cálcio. Muitos médicos recomendam 1.200 a 1.500 miligramas diários de cálcio para a maioria dos adultos, por isso você deveria considerar um suplemento de cálcio, especialmente se os produtos lácteos não são uma parte normal de sua dieta. Além disso, prove trocar as variedades de iogurte com baixo conteúdo ou nada de açúcar, dado que o açúcar (e as bactérias) podem favorecer as cáries dentais.
  • Vitamina C: Muitas frutas e verduras, inclusive vagens, laranjas e melões, bem como vegetais verdes como brócolis e espinafre, são excelentes fontes de vitamina C.

Sem dúvida, além de alimentar-se bem, é importante seguir uma rotina constante de cuidado dental com escovação de dentes três vezes por dia e uso diário de fio dental, para promover a saúde oral. E assegure-se de consultar seu cirurgião dentista regularmente.

two slices of an orange

A falta de vitamina C pode favorecer a gengivite

As condições patológicas do tecido das gengivas podem ter muitas causas, mas não esqueça levar em consideração a má nutrição. A quantidade inadequada de vitamina C pode promover gengivas sangrantes que, se não forem tratadas, podem evoluir a uma gengivite. A vitamina C também ajuda que o organismo faça a manutenção e a reparação dos ossos, os dentes e as cartilagens, além de ajudar na cicatrização das feridas.

Se você sofre de gengivas sangrantes e seu dentista descarta uma higiene dental inadequada, reavalie sua dieta. Assegure-se de consumir abundantes alimentos ricos em vitamina C. Não são difíceis de achar. As laranjas, as cenouras, as batatas-doces e os pimentões vermelhos são especialmente ricos em vitamina C. Trate de obter vitamina C de frutas e vegetais frescos, em lugar de sucos de fruta e vegetais. Além de ter alto conteúdo de açúcar, a maioria dos sucos de fruta são muito ácidos, e podem facilitar a erosão do esmalte dental. Os sucos de fruta são bons em pequenas quantidades, mas beba-os com as comidas, ou na medida do possível use um sorvete, para minimizar o contato do suco com os dentes.

A vitamina C é hidrossolúvel, o que significa que o organismo não a armazena por períodos prolongados e é necessário consumi-la todos os dias. Os suplementos multivitamínicos ou de vitamina C podem ajudar a obter o suficiente, especialmente se você estiver doente ou segue uma dieta restritiva, e tem problemas para comer variedade de frutas e vegetais. Muitas fórmulas multivitamínicas contêm vitamina C, ou ela pode ser achada em um suplemento individual. O Instituto de Medicina recomenda 90 miligramas por dia para homens maiores de 18 anos e 75 miligramas por dia para mulheres maiores de 18 anos.

Via oral B

Saiba o que a língua revela sobre sua saúde

Uma língua saudável deve ser rosa, consistente, ter uma superfície lisa e homogênea e medir aproximadamente 10 centímetros. Assim, quando ela se apresenta muito diferente disso, é bom ficar atento, pois pode ser que alguma coisa no corpo não esteja indo bem. Variações na língua podem indicar doenças, problemas emocionais ou até falta de algumas vitaminas.

“A língua pode ser um bom medidor da saúde. É importante observar se sua mobilidade está firme, se não apresenta tremores em seus movimentos, inchaços, alterações de volume, cor, aspecto, ardências e/ou modificações de forma e contorno”, diz Celso Sanseverino, cirurgião-dentista, especialista em Saúde Oral pela Faculdade de Ciências Médicas (Unicamp).

 Foto: Zametalov / Shutterstock
Variações na língua podem indicar doenças, problemas emocionais ou até falta de algumas vitaminas

Foto: Zametalov / Shutterstock

Alterações nesses quesitos citados pelo especialista podem indicar algumas doenças como câncer, AIDS, anemia, estomatite, reações alérgicas, diabetes, hipotireoidismo, apneia do sono, entre outras. Por isso, Celso ressalta que é sempre bom fazer um “check up” durante as higienizações do dia-a-dia.

Por exemplo, se placas brancas são observadas no dorso da língua, pode ser que a higienização não esteja sendo feita corretamente, o que pode resultar em halitose. Já se houver inchaços estranhos, é necessário fazer exames para detectar tumores. Uma língua muito lisa pode indicar anemia. Febres altas a deixam muito seca e vermelha. Até mesmo pequenas lesões podem indicar algo mais sério.

Cuidar da língua é tão importante quanto cuidar dos dentes Foto: Shutterstock

O grupo de fumantes e pessoas que usam muitas medicações precisa ter cuidados extras para preservarem as papilas gustativas

“A língua é uma das partes do nosso corpo que cicatriza mais rápido. Pessoas com lesões que persistem por mais de três semanas devem buscar o auxílio profissional competente a fim de receber um diagnóstico correto e já iniciar algum tipo de tratamento, caso seja necessário”, diz Celso.

Indicador emocional
Alterações emocionais costumam causar uma série de reações orgânicas no corpo, e com a língua não é diferente. O alto nível de estresse e ansiedade (por causa do aumento da adrenalina) causa uma diminuição do fluxo salivar, o que pode gerar outras alterações nesse órgão. “Podemos observar, desde pequenas lesões que provocam ardência e desconforto, a inflamações, lesões aftosas e doenças oportunistas, especialmente fúngicas”, diz Celso.

Falta de vitamina
Para o especialista, embora a analise da língua não seja a mais indicada para detectar carência de vitaminas (hoje os exames de sangue são bem mais simples e precisos para esses fins), é possível perceber através dela algumas deficiências nesse campo.

“A presença de pequenas lesões pode significar deficiência das vitaminas A e C. Uma língua esbranquiçada (e bem higienizada) pode ser falta de biotina ou ferro. Uma língua avermelhada, excluindo a possibilidade de aumento de volume por inflamação, pode significar carência das vitaminas B2, B3 e E”, diz Celso.

Higienização correta
A higienização da língua deve ser feita sempre junto com a higiene dos dentes, ou seja, após as refeições, com o uso da própria escova de dente ou com o auxilio de raspadores linguais. “Placas bacterianas presentes na língua levam a uma predisposição a doenças sistêmicas importantes. Portanto, aquela frase que diz que a saúde começa pela boca não é apenas um simples jargão”, diz o especialista.

Quando correr para o dentista…

6 sinais de que chegou a hora de correr para o dentista

Mesmo quem tem muito cuidado com a própria saúde física e mental muitas vezes subestima a importância de frequentar o dentista e acaba deixando sua saúde bucal em risco. Ter um acompanhamento odontológico é tão essencial quanto ir ao médico e, em alguns casos, as visitas ao dentista precisam ser feita mais de uma vez por ano, sobretudo para remover o tártaro acumulado e prevenir a aparição de problemas mais graves.

Se você está entre as pessoas que fogem da consulta com seu dentista, chegou a hora de conhecer os sinais que indicam que sua visita ao dentista não pode mais ser adiada. Acompanhe-nos!

Dor de dente

Parece óbvio dizer isso, mas muitas pessoas ainda ignoram uma dor de dente para evitar ter de ir ao consultório do dentista. A dor indica que algo está errado e que precisa ser tratado com urgência, antes que o problema se agrave. Esse sintoma pode estar associada a algum tipo de cárie, algum processo inflamatório ou mesmo a uma lesão ou trauma. Se seu dente começou a doer, não espere o quadro piorar: marque uma consulta o mais rápido possível com o seu dentista, você vai se sentir aliviado depois do tratamento.

Sangramento gengival

Quando você escova os dentes ou passa o fio dental, se sua gengiva sangra com muita facilidade, pode ser que você esteja com gengivite. A boa notícia é que esse problema  possui tratamento e cura.

Deixar a gengivite avançar, entretanto, pode resultar em quadros clínicos ainda mais graves e difíceis de tratar, como lesões na arcada ou na própria mucosa, que necessitariam de procedimentos mais invasivos. Por esse motivo, não hesite em consultar seu dentista caso apresente os sintomas desse mal.

Sensibilidade nos dentes

Você sente dores nos dentes ao tomar uma bebida muito gelada ou muito quente? E quando come um pedaço de chocolate ou alimento muito doce, a dor persiste? Dentes sensíveis também podem ser considerado um sinal de que você deve visitar seu dentista. A sensibilidade nos dentes pode ter várias causas.  Como não é possível saber o que está causando a sensibilidade sem visitar um profissional, recomendamos que você agende sua consulta logo que começar a sentir qualquer desconforto.

Fraturas na arcada

Não importa se o trauma foi grande ou pequeno nem se ele influencia diretamente na estética do seu sorriso, um dente rachado ou fraturado pode ser uma porta de entrada para outras infecções e doenças na região bucal. Então, se você fraturou algum de seus dentes, procure um dentista para resolver logo esse problema.

Dor ao mastigar

A dor na mastigação é um sintoma muito comum, encontrado tanto em adultos quanto em crianças. Ela pode ser consequência de algumas doenças articulares da mandíbula, sinusite ou artrite, como também sintomas de problemas de arcada como bruxismo ou mordida cruzada. Em qualquer um dos casos, o acompanhamento do dentista é considerado essencial para o sucesso do tratamento.

Feridas na boca

Se você tem percebido algo anormal na sua gengiva ou no céu da boca, como lesões frequentes, inflamações e regiões com acúmulo de pus, é necessário procurar o dentista imediatamente. Essas feridas, geralmente consequências da má higienização bucal, podem ser sintomas de alguma doença sistêmica mais grave.

Você está apresentando algum dos sintomas citados acima? Talvez seja a hora de agendar uma consulta com o seu dentista! Qualquer dúvida, escreva para a gente aqui nos comentários!

[contact-form subject=’Dúvidas?’][contact-field label=’Nome’ type=’name’ required=’1’/][contact-field label=’Email’ type=’email’ required=’1’/][contact-field label=’Site’ type=’url’/][contact-field label=’Comentário’ type=’textarea’ required=’1’/][/contact-form]

Adaptado TePe

Nosso compromisso

 Compromisso com o paciente

práticas do cirurgião dentista

O compromisso do profissional de saúde, independentemente de sua área de atuação, deve seguir orientações de boas práticas e condutas para que seu trabalho seja executado com maestria e sem grandes complicações. Para o profissional que lida diretamente com a saúde das pessoas, a atenção com o estilo de trabalho e com o tratamento pessoal deve ser redobrada

O Conselho Nacional de Odontologia lançou um documento intitulado Código de Ética Odontológica, que ajuda o profissional da área a se posicionar diante de seus direitos e deveres . Pensando nesta importância   montamos aqui uma lista com cinco boas práticas que todo cirurgião dentista deve promover no seu dia a dia a fim de respeitar as normas de seu conselho e dos padrões de ética na relação entre médico e paciente. Confira:

Guardar sigilo médico

Tudo o que é relatado, examinado e tratado com o paciente dentro de ambiente hospitalar ou do consultório odontológico deve ser preservado pelo profissional, respeitando o direito de sigilo do indivíduo que buscou a consulta. As informações obtidas durante a consulta ou procedimento devem ser mantidas em total confidencialidade.

Encaminhar pacientes para outros profissionais quando o assunto não for de sua especialidade

Se o dentista não for capacitado o suficiente para resolver a queixa do indivíduo,já que a odontologia assim como a medicina possui inúmeras especialidades, deve encaminhar o paciente para um colega cirurgião de sua equipe ou de outro consultório para que seja possível resolver o problema com maestria e menos dificuldades para o indivíduo que está sendo tratado.

Preocupar-se com a higiene dos procedimentos

Nada é mais importante para o cirurgião dentista que a segurança biológica de seu ambiente de trabalho, já que cirurgias são campos propensos a grandes riscos de contaminação do paciente. Para evitar esse tipo de complicação, é importante que o cirurgião dentista tenha uma rotina de esterilização e higiene de seus materiais e do seu ambiente de trabalho, garantindo a segurança da sua saúde e de seus pacientes.

Além disso, o cirurgião deve valorizar o uso de materiais descartáveis sempre que possível, pois facilitam na redução de contaminação cruzada entre pacientes.

Higienizar as mãos, fazer a barba, usar luvas, toucas e máscaras também são essenciais para executar uma cirurgia menos arriscada para o cirurgião dentista e seu paciente.

Atender às queixas do paciente

Para garantir o sucesso de uma consulta de diagnóstico, é imprescindível ouvir e compreender as queixas de seu paciente. É exatamente nesse momento que o cirurgião vai poder escolher as técnicas que serão realizadas por ele e como ele irá proceder em cada passo do tratamento.

Atualizar-se sempre

Graças ao avanço constante da ciência e à necessidade de reinventarmos técnicas cirúrgicas para que se tornem cada vez mais eficientes e menos invasivas, o campo de cirurgias odontológicas está sempre rodeado de novidades. Por esse motivo, o cirurgião dentista é um dos profissionais da área de odontologia que tem a maior necessidade de se manter atualizado e estudando constantemente.

Estas boas práticas são apenas cinco dentre as várias condutas éticas que devem ser seguidas e priorizadas por cirurgiões dentistas. Para não correr o risco de ter problemas com sua maneira de trabalhar,  o profissional da área da saúde deve ter a qualidade de vida de seu paciente em primeiro lugar, valorizando suas queixas, seus sintomas e priorizando sua cura imediata.

Adaptado de TePe em 30 de março de 2015

 

Toxina Botulínica (Botox®)pode ser usada por dentistas em tratamento de problemas de saúde bucal

Substância é utilizada na odontologia para normalizar músculo que apresenta hiperfunção melhorando ranger de dentes, sorriso gengival, entre outros problemas

A Toxina Botulínica na Odontologia

A toxina botulínica possui vários nomes comerciais os mais conhecidos são: Dysport®, Xeomin® e Botox® o mais famoso deles das pessoas que querem driblar a flacidez e rugas que são sinais da idade. Contudo o seu uso não se limita somente ao uso estético, essas substâncias dentre inúmeros outros usos pode ser usada para resolver ou atenuar problemas bucais. Apesar de ter uma conservação complicada a sua manipulação e uso são muito fáceis e seguros.


frascos de botox

Botox para o Bruxismo

Para o briquismo ou bruxismo, a toxina vem ajudando os pacientes que sofrem por apertar ou ranger os dentes durante o dia ou a noite. Se for indicada , a  toxina é injetada nos dois lados no músculo masséter, principal musculo da mastigação e diminuir a sua potência e o estímulo para o bruxismo. Outro possível uso da toxina é no tratamento das dores orofaciais e problemas e disfunções da articulação têmporo mandibular – ATM.

A Toxina Botulínica, famoso Botox®, conhecida por disfarçar rugas de expressão e flacidez no rosto, é utilizada também no tratamento odontológico para a resolução dos casos de sorriso gengival, tratamento do bruxismo e dores de cabeça de origem odontológica, dentre outros. “A Toxina Botulínica é mais um recurso terapêutico que a odontologia dispõe para solucionar problemas”, afirma Tatiane Marega, coordenadora do curso de Especialização de Pacientes com Necessidades Especiais e de Capacitação em Toxina Botulínica na Odontologia da Faculdade São Leopoldo Mandic.

A especialista explica que a Toxina Botulínica age paralisando o músculo que está em hiperfunção, devolvendo-lhe o estado de normalidade. Quando indicado .o procedimento é seguro e não há nenhum comprometimento motor da boca. “É um tratamento simples, eficiente, feito em dez minutos com agulha fina – como a usada para aplicar insulina – e com alto grau de satisfação relatado pelos pacientes”, salienta.

botox em porto alegre

A toxina botulínica pode também ser usada nos seguintes casos(Se indicada para o caso avaliado):

1) Diminuir a potência mastigatória em casos de implantes, enquanto se está esperando o tempo de osteointegração;
2) Corrigir sorrisos assimétricos ou tortos;
3) Dores orofaciais de origem muscular;
4) Problemas com bruxismo e ATM;
5) Assimetria de face.


Para o bruxismo, por exemplo, a toxina botulínica pode ajudar tanto os pacientes que rangem quanto os que apertam os dentes. Se indicada ,a substância é aplicada de cada lado da face, nos principais músculos da mastigação para fazê-los perderem a força excessiva. O tratamento também pode ser usado para casos de disfunção de ATM e dor orofacial.

Pacientes que ao sorrirem mostram a gengiva em excesso – chamado sorriso gengival – podem escapar/ livrar-se da cirurgia nos casos em que a distância do lábio até a gengiva não excede três milímetros. Uma pequena aplicação no músculo interno do buço, responsável por tracionar o lábio superior para cima, impede que ele suba e, mantendo-se no lugar, expõe menos a gengiva. “A melhora do quadro é notória e não há perda de sensibilidade no lábio superior, nem a sensação de face paralisada”, garante Tatiane.

botox no tratamento sorriso gengival e bruxismo

botox no tratamento sorriso gengival e bruxismo

Botox para o Sorriso Gengival
Para os pacientes que sempre buscam melhorar o sorriso, a toxina pode ajudar ainda mais. Pessoas que mostram demasiadamente a gengiva – sorriso gengival – têm outra opção hoje ao invés da cirurgia. Paralisando o músculo responsável pelo levantamento do lábio superior de ambos os lados, vamos ter uma menor exposição da gengiva. O bloqueio químico não deixa sensação de anestesia ou face paralisada. A toxina botulínica na odontologia estética.

2015-03-20 13.41.51

 

Foto :Paciente em Centro Odontológico Morumbi em Março de 2015

 

 

 

 

 

 

20 coisas que você precisa saber sobre a toxina botulínica

A toxina botulínica é usada para fins terapêuticos e estéticos há vários anos. Muito usado pela dermatologia na correção de rugas de expressão, flacidez, assimetrias faciais e em casos de sudorese excessiva. Botox, utilizado para fins médicos, é o nome comercial dado à toxina botulínica que é um complexo proteico purificado, de origem biológica, obtido a partir da bactéria Clostridium botulinum que possui um sorotipo reconhecido cientificamente por proporcionar maior duração de efeito terapêutico. A toxina botulínica é uma substância capaz de interferir na contração da musculatura, relaxando os músculos suavizando as linhas de expressão. Por esse motivo também é utilizado na odontologia pra amenizar a dor. Atualmente esta toxina é uma grande aliada dos cirurgiões dentistas em variados tratamentos odontológicos especialmente contra dores crônicas e como solução para tratamentos e cirurgias de correção de sorriso gengival.

1 – Qual a eficácia do tratamento?

O produto é responsável por recuperar marcas do envelhecimento. Ele atua principalmente nas rugas dinâmicas, ou seja, aquelas que se formam com a ação dos músculos faciais. É aplicado com finas agulhas e está se tornando cada vez mais comum na medicina estética. A ciência também vêm avançando e tornando esta substância cada vez melhor e mais confiável. A aplicação de toxina botulínica é um tratamento estético minimamente invasivo indicado para o rejuvenescimento facial através do bloqueio da contração dos músculos da face que formam as rugas. A toxina botulínica previne que as rugas de expressão, que se formam durante o movimento do rosto, se tornem marcas profundas. Ele suaviza as rugas dando uma aparência jovial e “descansada”.

2 – Em quais regiões pode ser aplicado?

A toxina botulínica é comumente aplicado no rosto, os locais com os melhores resultados são a região dos olhos nos “pés de galinha” e na fronte (testa e entre as sobrancelhas). Rugas e marcas excessivas entre as sobrancelhas, àquelas que conferem um aspecto de zangado. Outros locais são o pescoço e próximo à boca.

3 – Botox e preenchimento são a mesma coisa?

Não, são procedimentos totalmente diferentes com indicações também diferentes. A toxina botulínica atua no relaxamento dos músculos onde é injetado, o preenchimento é responsável por conferir volume, indicado para o tratamento de rugas mais profundas e cicatrizes. Os dois tratamentos podem ser complementares, isso é uma tendência na estética, o uso de técnicas complementares. Não há nenhum tratamento que se compare ao efeito da toxina botulínica, no que diz respeito à disfarçar rugas. Os outros métodos são importantes, estimulam colágeno e a renovação celular, mas eles complementam a ação da toxina e vice-versa. Porém nenhum outro atua no músculo.

4 – Existem tipos diferentes de rugas?

Sim, são as dinâmicas e as estáticas. Cada tipo têm um tratamento diferente. As rugas dinâmicas são causadas pela ação dos músculos faciais, visíveis somente com o rosto em movimento (quando rimos, choramos ou fazemos alguma expressão), também conhecidas como rugas de expressão. As estáticas são aquelas rugas geralmente mais profundas e permanentes, pois são visíveis com o rosto mesmo em repouso. São decorrentes do envelhecimento intrínseco (previsível e progressivo) em combinação com a ação de agentes externos (exposição ao sol, vento, fumo, poluição), mas também podem ser uma evolução das rugas dinâmicas não tratadas, que pioram e se acentuam com o passar do tempo.

5 – O efeito da aplicação é imediato?

O efeito não acontece na hora, ele começa a partir de 48hrs, na maioria das pessoas. Com 7 dias já se tem quase todo o resultado. O efeito pleno acontece por volta do 15º dia, quando o dermatologista normalmente pede para reavaliar.

6 – O efeito é permanente?

Não, o efeito começa a diminuir com, em média, 3 a 4 meses após a aplicação. Após aproximadamente 6 meses a aplicação deve ser repetida.

7 – O efeito fica artificial?

Se aplicado corretamente, por um profissional qualificado que sabe a medida correta, não fica artificial, pelo contrário, o resultado é rejuvenescedor, mantêm a expressão espontânea e bem natural. O mito de que a toxina botulínica deixa o rosto “esticado” surgiu quando muitas pessoas fizeram aplicações mal feitas e obtiveram este tipo de resultado, quando mal aplicado, o produto pode deixar algumas áreas do rosto assimétricas, mas as técnicas utilizadas hoje deixam um excelente resultado.

8 – Deixa a pele flácida? Se parar de aplicar, a pele pode piorar? Após passar o efeito, a ruga fica mais evidente?

A resposta é não para todas as perguntas. A aplicação de toxina botulínica não aumenta flacidez. Se o tratamento for interrompido a pele volta ao que era antes de começar as aplicações, na verdade a tendência é ficar melhor do que era antes, nunca pior. Na verdade, a toxina paralisa as rugas dinâmicas, isto significa que previne o aparecimento de novas marcas da idade e àquelas que já existem “estacionam” em seu crescimento, isso por que a toxina botulínica retarda o tempo que esses sinais de expressão levariam para se tornar uma ruga estática, que é bem mais difícil de tratar.

9 – Quais as contra-indicações?

As aplicações de Botox são contra-indicadas durante a gravidez, amamentação ou em pessoas com doenças autoimunes (em que anticorpos atacam células sadias do corpo), doenças neurológicas e que afetam os músculos; alérgicos à proteína do ovo e que estejam fazendo uso de medicamentos com aminoglicosídeo.

10 – Quais são os riscos e desvantagens?

Sem dúvida o exagero na dosagem é o maior risco eminente, aplicação em regiões erradas também podem trazer resultados desastrosos como assimetria, isto é, um lado ficar diferente do outro, pálpebra caída e em casos mais extremos, pode provocar botulismo, uma doença grave que paralisa os músculos. A toxina botulínica mal aplicada também pode provocar o chamado “efeito máscara” que não é nada natural. Do ponto de vista da saúde também pode prejudicar movimentos necessários como piscar, mastigar, deglutir e até respirar.

11- Quando o envelhecimento estiver muito avançado, continua sendo eficaz?

Nos casos mais suaves e intermediários, atua de maneira preventiva; nos mais avançados atenua as rugas estáticas já instaladas e previne a formação de novas, assim como a melhora do aspecto geral da pele e do semblante como um todo. Porém, as peles muito envelhecidas geralmente apresentam um grau de flacidez alto, sendo assim a ação da toxina pode trazer um relaxamento dos músculos de sustentação da pele que pode ser prejudicial.

12- A pele cria resistência ao efeito?

Como a toxina botulínica tem efeito temporário é comum as pessoas que se sentem satisfeitas com o resultado repetirem a dose. Não tem regra, cada organismo reage de um jeito, mas pode-se dizer que as aplicações geralmente são feitas de quatro e seis meses depois da última sessão. E sempre com indicação médica. A questão sobre criar ou não resistência e a partir daí ter a necessidade de doses maiores e intervalos mais curtos é outro mito. Em alguns raros casos o tempo de uso do produto pode gerar resistência da pele do paciente, mas isso quando o paciente fez uso inadequado da substância, neste caso poderá ser necessário o uso de doses maiores em aplicações futuras. Por outro lado, estudos mostram que com o tempo e uso adequado, a necessidade da toxina é reduzida, o que implica em doses menores. Por ficar paralisado o músculo se acostuma a pouca atividade e se condiciona a não mais contrair.

13 – Como corrigir exageros e aplicações incorretas?

Pode acontecer de a paciente sentir que a dose aplicada foi um pouco além do suficiente ou que a região tratada não ficou exatamente como queria. Resultado: uma sobrancelha mais arqueada que a outra, algum ponto muito paralisado ou com uma expressão exagerada. Para corrigir essas falhas só tem duas maneiras: esperar o efeito passar, já que é temporário, ou lançar mão de outro procedimento para descontrair o músculo. Neste caso, utiliza-se o método de eletro estimulação com micro choques que fazem o músculo voltar a funcionar. Mas mesmo nesses casos é preciso esperar em média 30 dias para relaxar a musculatura de novo.

14 – Existe algum tratamento caseiro com efeito similar?

Não, pois os cremes só agem na superfície da pele e os músculos são mais profundos. Além disso, nenhum desses cremes possui a toxina botulínica do tipo A em sua formulação.

15 – Existe idade para fazer as aplicações?

Não existe limitação de idade para receber a aplicação de toxina, o bom senso é que determinará a conduta. O ideal é que iniciem após o aparecimento de rugas.

16 – Depois da aplicação, é possível realizar outros procedimentos no mesmo local?

Normalmente, outros procedimentos não são realizados no mesmo dia. Entretanto depois de poucos dias já poderá realizar normalmente desde que haja acompanhamento profissional.

17- Causa algum efeito sistêmico?

Não, a quantidade de produto utilizada atualmente para fins estéticos é mínima e não causa paralisia exagerada.

18 – Dores, inchaços, hematomas, algum destes sintomas é recorrente?

A toxina é injetada por agulha hipodérmica, bem fina, portanto, é muito provável que cause efeitos secundários muito suaves na área tratada. Hematomas são efeitos colaterais comumente relatados, vermelhidão e leve inchaço também, mas em ambos os casos, essas reações desaparecem já nas primeiras horas.

O surgimento de hematomas é muito recorrente em pacientes que fazem uso de aspirina ou medicamento similar. Neste caso, é importante e recomendável notificar o médico sobre o uso destas medicações antes da realização do procedimento.

Aplicações de gelo, antes e após a injeção, pode ajudar a aliviar estes efeitos.

19 – Tomar sol após a aplicação mancha a pele?

É aconselhável evitar o banho de sol por pelo menos 10 dias, se a exposição ao sol for inevitável, o paciente deve consultar o dermatologista e utilizar um bom protetor solar. Manchar a pele é uma reação muito rara, caso aconteça, existem cremes que fazem as manchas desaparecer sem perder o resultado esperado pela aplicação do botox.

20 – Quais cuidados que devem ser tomados após a aplicação?

Após aplicar a toxina, o paciente deve evite deitar por 4 horas, para permitir a adequada distribuição do produto na pele; evitar massagens e limpezas de pele por 24 horas; evitar o uso de cosméticos e produtos para a pele por 24 horas e maquiagem leve é permitida após 6 horas; exercícios físicos no dia da aplicação de botox não devem ser realizados, aliás, é aconselhável esperar, pelo menos, dois dias para voltar as atividades físicas normalmente, os movimentos bruscos podem provocar a migração da toxina para músculos onde o relaxamento não é desejado, podendo desencadear uma reação adversa, como por exemplo, ptose palpebral (queda de sobrancelha).

Viagens aéreas imediatamente após a aplicação também pode provocar a migração da toxina para áreas não desejadas, por que nos voos há alteração de pressão-ambiente.

Sensações como dores de cabeça ou dores locais também podem ocorrer após a aplicação. Isto é comum, é resultado da tensão ocorrida durante a realização do procedimento. Estes sintomas devem desaparecer em no máximo 24 horas.

Fontes: SLMandic
Sorridere
Botox

Mude sua gengiva de forma simples e sem dor

Genvivoplastia: mude sua gengiva de forma simples e sem dor

Novas técnicas permitem alteração da cor e do volume da gengiva com procedimentos bem menos invasivos e feitos no próprio consultório

Gengivoplastia nada mais é do que uma cirurgia plástica da gengiva. Por conta dos enormes avanços da tecnologia, hoje em dia é possível mudar, desde a cor, até o volume dos tecidos gengivais de uma forma bem menos invasiva e dolorida e dentro do próprio consultório.

Uma gengiva bonita é aquela que está bem posicionada em relação à coroa dentária, ou seja, que deixa aparente todo o esmalte do dente sem mostrar porções de raízes. Ela também não pode ter pontos de inflamação ou sangramento. Sua cor deve combinar com a cor de pele e ela deve se mostrar de forma moderada (sem disputar espaço com/entre os dentes).

Com a gengivoplastia é possível mudar a cor da gengiva, aumentar a faixa do tecido gengival, cobrir raízes dentárias expostas, e, claro, diminuir a gengiva em casos clássicos de um sorriso gengival (quando há um grande volume de gengiva na boca e ela disputa espaço com os dentes). “As aplicações são várias, podendo ser restritas a um único dente ou múltiplos”, diz Luis Fernando Ferrari Bellasalma, professor de Periodontia da Escola de Aperfeiçoamento Profissional da APCD (Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas).

 Foto: kurhan / Shutterstock

Hoje em dia é possível mudar, desde a cor, até o volume dos tecidos gengivais de uma forma bem menos invasiva e dolorida e dentro do próprio consultório

Foto: kurhan / Shutterstock

Menos invasivos e dolorosos
Além de a tecnologia permitir a realização desses procedimentos que alteram a estética gengival, ela também possibilitou, com o passar do tempo, que eles se tornassem cada vez menos invasivos e dolorosos.

Um bom exemplo disso é a cirurgia de correção do sorriso gengival. Essa prática que antes era bem mais traumática para o paciente (tanto na cirurgia como no pós-operatório), hoje pode ser feita no próprio consultório e consiste apenas em pequenas incisões com um bisturi para retirar a mucosa que está em excesso e depois uma remodelagem da gengiva com uma espécie de espátula.

Mas para o especialista, o maior benefício que a tecnologia trouxe para o paciente que faz uma gengivoplastia foi o pós-operatório. “Alguns dias de alimentação pastosa e bastante repouso são o bastante para promover a recuperação”, diz Luiz Fernando.

Agência Beta

Esta é uma representação de um “dentista” Maya trabalhando !!!

História

Maya Odontologia
984280_10153031204746858_8334827558083490687_n
Nesta nossa época de body-piercing e outros adornos corporais  pode ser interessante  olhar para trás,  e ver o que os maias faziam com seus dentes. Os Maias eram um povo pacífico, com uma cultura altamente desenvolvida que habitavam a Península de Yucatán, bem como atual Guatemala e Honduras.. A história da nação começou por volta de 2500 aC, mas a cultura floresceu a partir de cerca de 300 dC a 900 dC Eles  realizaram fundições e incrustraram ouro, prata e bronze, além de terem feitos trabalhos altamente qualificados no corte, polimento e gravação  com pedras preciosas e semipreciosas .

Apesar destas habilidades, eles não realizaram procedimentos odontológicos restauradores ou corretivos.  As habilidades que eles desenvolveram para trabalhar nos dentes eram para fins rituais ou religiosos.  Os maias eram hábeis na fabricação e colocação de inlays  com pedras lindamente esculpidas em cavidades precisamente preparadas nos dentes da frente. Estas incrustações eram feitas de vários minerais, incluindo jade, ferro, hematita, turquesa, quartzo, serpentina, e cinábrio.

 Os dentes deste crânio maia do século IX dC têm inúmeras incrustações de jade e turquesa.  Além disso, observe a forma como os dentes anteriores superiores foram desgastados particularmente na frente fazendo um desenho decorativo nos dois dentes incisivos.

História

Dentes maias

Foi usado um tubo rígido que foi girado entre as mãos ou em uma broca de corda, com uma pasta de quartzo em pó misturado a água como um abrasivo, para cortar um buraco perfeitamente redondo através do esmalte do dente. . O inlay foi então cimentado no lugar. A  pedra foi moída para se ajustar a cavidade com tanta precisão que muitas permaneceram nos dentes por milhares de anos.

ferramentas maiasferramentas maias Estas são algumas das ferramentas que os maias podem ter usado para preparar os dentes para os inlays.  À esquerda está o tubo oco usado para cortar o esmalte do dente. À direita está a broca arco que foi utilizada para girar o tubo que cortou o esmalte.

 Os Mayas também trabalharam com seus dentes de diversas maneiras.  É provável que cada projeto tenha tido um significado tribal ou religioso.Eventualmente, podem ter sido feitos por razões mais fúteis, como a vaidade. Mais de cinquenta padrões diferentes foram identificados.


Dentista Mayan
  Esta é uma representação de um
! Maya “dentista” no trabalho!

 

 

Pesquisa aponta que subprodutos de bactéria periodontal podem reativar HIV latente

 

Pesquisadores da Case Western Reserve University, na cidade de Cleveland, Ohio, nos Estados Unidos, descobriram que subprodutos de bactérias envolvidas em periodontite são capazes de reativar HIV em células dormente e causar a reprodução do vírus. Essas conclusões têm a possibilidade de auxiliar na explicação do por que pacientes soropositivos com periodontite severa têm elevados níveis de vírus residuais na saliva e no plasma, inclusive, sugere aos pacientes portadores do vírus HIV, pois pode ser muito benéfico à saúde no tratamento de periodontite.
Recentemente publicado, o Virology Journal mostra um estudo onde pesquisadores examinaram os ácidos graxos de cadeia curta em patogenias periodontais. Eles observaram que cinco desses ácidos graxos de cadeia curta de duas bactérias predominantes, estão envolvidos na ativação de células dormentes de HIV- 1, são as denominadas Porphyromonas gingivalis e Fusobacterium nucleatum.

Segundo o co-investigador e professor assistente da Escola de Medicina Oral da universidade, Fengchun Ye, todos os seres humanos tem uma reserva de células dormentes que são avivadas para acabar com as inflamações do corpo. Portanto, em contraste às pessoas saudáveis, tais células podem obter células de HIV-1 em pacientes com o vírus. Então, os subprodutos bacterianos tâm a função de agir como um carregador de pilhas descarregadas.

As descobertas colaboraram para um melhor entendimento do pouco pesquisado micro bioma no HIV e reforça a ideia de que o tratamento preventivo de infecções bacterianas é de suma importância em pacientes soropositivos.