Escova dental é a melhor criação de todos os tempos

O resultado da pesquisa divulgada em janeiro passado pelo Instituto de Tecnologia de Massachussets (MIT) – nos Estados Unidos – é surpreendente! Os pesquisadores apresentaram uma lista de cinco invenções, para que os entrevistados indicassem qual é a mais importante. Em primeiro lugar, quem diria, ficou um dos inventos mais simples da história: a escova de dentes!
A escova ficou adiante do automóvel, do computador, do celular e do micro-ondas, demais itens apresentados na pesquisa que utilizou a forma induzida para ouvir as pessoas.
Um porta-voz do instituto disse que a pesquisa prova que as coisas simples são mais importantes.

A maior invenção de todos os tempos

A escova de dentes ganhou até do celular como objeto que as pessoas não conseguem viver sem

escova de dentes
Em uma pesquisa realizada há alguns anos sobre invenção e inovação, o MIT – Massachusetts Institute of Technology perguntou a 1.400 americanos, entre adultos e adolescentes, qual dentre cinco grandes invenções eles não poderiam viver sem. Sabe quem ganhou: a escova de dentes.

Ela bateu o carro, o micro-ondas, o computador e, imaginem, até o celular. Você deve pensar que é brincadeira, mas não é. Uma das razões explicadas pelos pesquisadores para tal fato foi de que: “as grandes invenções não precisariam ser necessariamente complexas”.


A primeira escova de dentes oficialmente apresentada foi fabricada por um imperador chinês em 1498 e tinha pelos de porco. Em 1938, a DuPont desenvolveu as escovas de nylon, usadas até hoje. A escova de dente também representa uma evolução da civilização e veio para compensar as mazelas de uma alimentação rica em açúcares e responsável direta pela perda dos dentes.

Ela é a principal, mas não a única, ferramenta para a eliminação da placa bacteriana (biofilme), que fica grudada nos dentes e é a causa principal das cáries e das doenças da gengiva. A placa bacteriana tem uma ligação física (força eletrostática) com o dente e precisa de outra ação física (força dinâmica) para ser removida. Isso tem um significado importantíssimo, porque a manutenção da saúde bucal implica diretamente na boa qualidade dos dentes que vão repercutir na mastigação, fonação, estética facial e, convenhamos, não é pouco.

As escovas são encontradas em quantidade no mercado, com as mais variadas formas, cores, tamanhos e modelos. Algumas com ótima qualidade e outras mais inferiores (não duram mais do que três dias) que, mesmo assim, ainda são melhores de usar do que deixar de usar.

Para as crianças, as escovas devem ser sempre pequenas e macias. Existem até divisões entre as escovas infantis: para o bebê de 0-2 anos, para crianças pequenas de 2-5 anos e para crianças em fase escolar, que já podem ser um pouco maiores, mas ainda assim infantis, obrigatoriamente macias. As escovas médias e duras também são ótimas, mas para engraxar sapatos.

Gosto muito das escovas motivacionais, pois elas ajudam a incentivar o hábito e são bonitas, podem ter os personagens preferidos, o símbolo do time do coração, com cheirinho e formatos inovadores. Entre as escovas manuais e elétricas, alguns estudos dizem que a elétrica apresenta certas vantagens na remoção da placa, mas o custo e a pouca praticidade, às vezes, atrapalham.

Desde pequena, a criança deve ser incentivada a usar a escova (falaremos do creme dental em outro post), mesmo sem nenhuma técnica correta. Ela vai se acostumar com a empunhadura, a necessidade da prática diária, vai criando o hábito, assim como tomar banho regularmente. Porém, é imprescindível que os pais escovem os dentes das crianças todos os dias para uma melhor remoção da placa bacteriana. Quando me perguntam até que idade, respondo: até que idade você vai acompanhar seu filho para ele atravessar a rua?

Mesmo os adolescentes que já deveriam estar responsáveis pela higiene pessoal, a cobrança da higienização bucal é necessária, afinal, eles estão tão ocupados com escola, cursos, livros para estudar, computadores, videogames, celulares, televisão que faz da higiene bucal, muito provavelmente, uma dentre as últimas prioridades da moçada.

A escova deve ser trocada a cada 2 ou 3 meses, dependendo do uso, mas muitas crianças pequenas que “mastigam” as escovas necessitam trocas mais constantes. Dou a sugestão para os pais dos meus pacientinhos para que eles sempre tenham duas escovas, aquela que a criança usa e abusa, e a que realmente vai escovar os dentes. Sugiro ainda mais, devido ao custo-benefício ser tão espetacular, que se tenha sempre mais delas, na mochila da escola, nas bolsas dos papais e das mamães, na casa da vovó, no nécessaire de viagem. Ou seja, não tem como haver desculpas para não escovar os dentes. Àquela brincadeira de passar o creme dental no dedo e brincar de escovar é apenas uma brincadeira.

Mas, acreditem, escovar os dentes é muito bom, é lúdico, desenvolve atividades motoras nas crianças, traz benefícios reais de saúde, economia, além de produzir sorrisos lindos. Escovar os dentes é contagioso. Portanto, provoque essa epidemia.

Fonte:José Reinaldo Figueiredo-Hospital Sabará