Você sabe para que serve a acupuntura?

AcupunturaEla é uma especialidade médica com seus resultados comprovados cientificamente, que ganhou na última década importante espaço no tratamento principal e coadjuvante de diversas doenças.

Através da agulha de acupuntura na pele, terminações nervosas periféricas são estimuladas liberando neurotransmissores que agem localmente e a distância, estimulando o sistema nervoso central, que desencadeia uma série de reações neuroquímicas, que terão como resposta a produção de inúmeras substâncias fundamentais para o equilíbrio do corpo, tais como, serotonina, noradrenalina, dopamina, beta endorfina e cortisol.

Segundo o médico acupunturista Dr. José Eduardo Bueno (CRM – 101.712), o tratamento através da acupuntura apresenta excelentes resultados em um variado número de disfunções que acometem a saúde da mulher.

Pode-se destacar: tensão pré-menstrual, sintomas da menopausa, enxaqueca, infertilidade, cistites de repetição, corrimentos de difícil tratamento, depressão e ansiedade.

Vantagens para a gestação

A acupuntura cada vez mais é utilizada no tratamento coadjuvante durante toda a gestação, tratando principalmente:

•  Náuseas e vômitos, muito frequentes no primeiro trimestre;

•  Dores na coluna vertebral

•  Dores musculares;

•   Insônia;

•   Alterações do humor;

•   Cansaço.

Acupuntura na área odontológica

Os primeiros estudos na área odontológica surgiram em 1974, na França, com o Dr. Michel Bresset. A Acupuntura apresentou resultados positivos no tratamento de desordem temporomandibular (DTM), xerostomia, bruxismo e na diminuição de consumo de medicamentos pelos efeitos analgésicos e antiinflamatórios.
Aplicações na odontologia:

No pré-atendimento
Pode ser de grande valia a indicação da acupuntura para o paciente ansioso, estressado e com fobia ao tratamento odontológico, assim como para pacientes hipertensos e portadores de doenças sistêmicas, possibilitando um atendimento menos traumático. Nos casos de cirurgia, esse condicionamento prévio pode resultar numa melhor condição de hemostasia e num pós-peratório mais tranqüilo.

Durante o atendimento odontológico
A analgesia tem sido descrita como uma aplicação das mais utilizadas, tanto em procedimentos de Dentística, Endodontia, Periodontia e em Cirurgia, sendo um procedimento menos traumático que a anestesia convencional.

Como tratamento de suporte
A Acupuntura pode ser coadjuvante no tratamento da disfunção da ATM (articulação têmporo-mandibular), do trismo, bruxismo, além de outras sintomatologias mastigatórias miofasciais. É de grande valia a efetividade no controle da dor nesses casos.

No pós-operatório
O controle da dor no período pós-cirúrgico possibilita ao paciente um certo grau de conforto, além de um menor consumo de medicamentos. Pacientes que passaram por radioterapia na região de cabeça e pescoço também podem se beneficiar com o uso da Acupuntura.
Como pode ser observado, existem várias indicações odontológicas para o uso da Acupuntura, que vão sendo aos poucos incorporadas à prática clínica, de acordo com a sua comprovação científica.


Referência: odontologika.

Restrições alimentares e longos períodos de jejum podem prejudicar o hálito

Muitos alimentos são famosos por causar mau hálito. Os mais infames são a cebola e o alho, mas alimentos gordurosos, como queijos, carnes e ovos também podem contribuir para o odor desagradável.

Portanto, é comum pensar que uma pessoa em dieta está livre do problema. Porém, a realidade não é bem essa.

A começar, existem diversos tipos de dieta. Algumas permitem apenas um tipo de alimento, e dependendo da escolha, uma possível consequência é o mau hálito. É o caso da dieta rica em lipídeos, que são responsáveis pela geração de acidose ou cetose, levando a um cheiro desagradável no hálito.

Segundo o Dr. Alênio Calil, diretor do vice-presidente da SOBREHALI (Sociedade Brasileira de Estudos da Halitose), outro hábito comum de dietas que podem culminar em mau hálito é o jejum prolongado. “A queda de açúcar no sangue, em condições normais, não deve ir além, e por esta razão o organismo começa a queimar triglicerídeos depositados, com a finalidade de preservar a glicose que já está atingindo concentrações baixas”.

O mau hálito surge quando “os triglicerídeos começam a ser utilizados para a produção de energia, surgem os ácidos graxos, que durante as trocas gasosas em nível pulmonar, escapam, comprometendo a qualidade do hálito, pois possuem odor desagradável”, explica o Dr. Alênio.

O mau hálito também pode ser causado pelo uso de remédios para emagrecimento. Os medicamentos produzem alterações na composição da saliva, bem como na sua quantidade. A redução do fluxo salivar facilita o aumento da descamação da mucosa bucal e o acúmulo de bactérias no dorso na língua, formando uma camada amarela esbranquiçada sobre a língua conhecida como saburra lingual (principal causadora de mau hálito).

Para evitar os odores desagradáveis, Dr. Alênio aconselha que os profissionais de saúde bucal recomendem aos pacientes em dieta a redução dos seguintes alimentos: carne, queijo, alho, cebola, azeitonas, ovos, alimentos condimentados, maionese, azeite, chocolate, leite, manteiga, creme de leite, salame, presunto, mortadela, repolho, sardinha, alcachofra, couve-flor e brócolis

 

www.cethsaude.com.br