Nutrição Infantil

 

dieta

Em uma nova declaração sobre a política alimentar em crianças, a Academia Americana de Pediatria convocou as escolas e as famílias a ter uma abordagem mais ampla para a nutrição, considerando todo padrão de dieta para crianças – e não a quantidade de açúcar, gordura ou nutrientes específicos em alimentos individuais.

 

Uma boa dieta é constituída a partir de alimentos altamente nutritivos de cada um dos principais grupos de alimentos, como proteínas, gorduras e carboidratos. Nenhum ingrediente deve ser proibido.

 

Desde 1995, melhorias contínuas foram feitas em programas de alimentação escolar. As escolas estão servindo refeições com carnes mais magras, leites com menos gorduras, e mais frutas, legumes e grãos integrais. Os padrões nacionais americanos agora limitam o tipo de alimentos e bebidas que são vendidos nas escolas dos EUA.

 

Resta uma oportunidade, no entanto, para melhorar a qualidade nutricional dos alimentos trazidos de casa, o que é muitas vezes menos nutritivo e mais elevados em calorias, de acordo com a declaração da política alimentar. A AAP recomenda que os pais e as escolas tenham uma abordagem de cinco etapas na escolha de alimentos para refeições pré-embaladas e eventos sociais:

  • Selecione um mix de alimentos dos cinco grupos: legumes, frutas, grãos, laticínios de baixo teor de gordura e fontes de proteína de qualidade, incluindo carnes magras, peixes, nozes, sementes e ovos.
  • Ofereça uma variedade de experiências de alimentos.
  • Evite alimentos altamente processados.
  • Use pequenas quantidades de açúcar, sal, gorduras e óleos com alimentos altamente nutritivos para aumentar o prazer e consumo.
  • Ofereça porções adequadas.

 

As crianças, como os adultos, muitas vezes optam por seus alimentos preferidos e texturas mais ageadaveis nas refeições e lanches. Não é nenhum segredo que o açúcar mascavo, aveia integral, ou molho de salada com vegetais cortados, podem fazer dos alimentos mais saudáveis, ​​mas serão menos palatáveis para as crianças. Esta não é uma licença para dar às crianças o que quiserem. Só precisamos usar o açúcar, gordura e sódio estrategicamente.

 

Autor: Dr. José Luiz Setúbal

Fonte: From the American Academy of Pediatrics Policys – Pediatrics march 2015

“Snacks, Sweetened Beverages, Added Sugars, and Schools”