De Churchill a Toninho Dentadura: políticos usam ‘perereca’

Dentadura e políticos parecem que andam lado a lado. Já houve escândalos sobre candidatos que compram votos em troca de dentaduras, boatos de político que usa aparelho ortodôntico para dar veracidade à prótese e outros candidatos que são conhecidos por usar a perereca e não escondem de ninguém.

 

Dentadura e políticos parecem que andam lado a lado desde sempre. Prova disso é que uma das pererecas mais famosas é de Churchill Foto: TSE / Getty Images

Dentadura e políticos parecem que andam lado a lado desde sempre. Prova disso é que uma das pererecas mais famosas é de Churchill.
Em 2010, um leilão vendeu a dentadura do ex-primeiro-ministro britânico, Winston Churchill, por 15,2 mil libras (cerca de R$ 41,8 mil), em Norfolk, no leste da Grã-Bretanha. A prótese parcial foi moldada especialmente para preservar a maneira natural de falar de Churchill, que queria ser facilmente reconhecido nos pronunciamentos pelo rádio que fazia durante a Segunda Guerra Mundial
Segundo o responsável pelo leilão, o premiê sofria com problemas dentários e nas gengivas e precisou desde a infância passar por tratamentos complicados.

Aqui no Brasil também existem políticos apreciadores da dentadura e dos dentes de ouro, como o Toninho Dentadura, que se candidatou a vereador em Cachoeiro De Itapemirim, no Espírito Santo, pelo Partido Progressista.

Beta Terra

Esporte: problemas bucais fazem rendimento diminuir até 21%

Odontologia do esporte ajuda performance de atletas e evita problemas de má oclusão, respiratórios e infecções bucais

A parceria entre dentista e atleta permite a prevenção e o tratamento eficaz de problemas bucais, de traumas típicos de esportes de contato e, principalmente, evita que infecções ganhem proporções grandes e acabem prejudicando a saúde e o desempenho dos atletas.

Segundo Dagmar de Paula Queluz, coordenadora do curso de especialização em Odontologia do Trabalho e Desportiva, da Faculdade de Odontologia de Piracicaba (UNICAMP), o rendimento de um atleta pode diminuir até 21% por causa de problemas relacionados aos dentes.

“Entre esses problemas estão a má-oclusão dental e as infecções (gengivite e canais não tratados). Ambos podem provocar problemas de mastigação, dificultando o aproveitamento da energia dos alimentos, fundamental para a vida dos atletas”, diz a especialista.

Essas infecções, se não tratadas, podem, ainda, levar bactérias pela corrente sanguínea até algumas partes do corpo do atleta, causando mais que um simples desconforto. A endocardite bacteriana, por exemplo, é uma doença provocada por esses microorganismos, que afeta as válvulas e os tecidos do coração, podendo levar à morte.

Problemas de respiração bucal e ausência dental também podem atrapalhar o atleta. “O esforço extra que o atleta que respira pela boca faz para puxar o ar pode comprometer seu desempenho de uma forma geral. Já no caso de falta de dente, se houver ausência em apenas um lado da boca, a pessoa pode forçar demais o outro lado, causando problemas de ATM (articulação-temporomandibular)”, diz Dagmar.

 Foto: Corepics VOF / Shutterstock
Má-oclusão dental e as infecções podem provocar problemas de mastigação, dificultando o aproveitamento da energia dos alimentos

Foto: Corepics VOF / Shutterstock

Até não escovar os dentes pode atrapalhar
Na verdade, o simples fato de o esportista não cumprir com os cuidados básicos para uma boa

Dica de menu para crianças de dois anos

 

menu saudávelm2

Muitas vezes somos questionados sobre uma orientação mais específica de nutrição das crianças. Devido a grande variedade de pessoas que nos leem, optamos sempre por dicas mais gerais.

 O menu abaixo é bem interessante. É planejado para uma criança de dois anos de idade, que pesa cerca de 12,5 kg. Nesta fase, a criança já não está crescendo tanto e tão rapidamente, e, por isso, suas necessidades calóricas diminuem um pouco ou, pelo menos, não aumentam.

Vamos lá:

 

Café da manhã

1/2 xícara de leite desnatado ou com pouca gordura

1/2 xícara cereais fortificados com ferro ou 1 ovo

1/3 xícara de frutas (por exemplo, banana, melão, ou morangos)

1/2 fatia torradas de trigo integral

1/2 colher de chá de margarina ou manteiga ou 1 colher de chá de geleia

 

Lanche

4 biscoitos ou bolachas com queijo ou requeijão

1/2 xícara de frutas ou bagas (uvas, jabuticabas, etc.)

1/2 xícara de água

 

Almoço

1/2 xícara de leite desnatado ou com baixo teor de gordura

1/2 sandwich-1 fatia de pão de trigo integral, 30 g de carne, fatia de queijo, e vegetais (abacate, alface, ou tomate)

2-3 palitos de cenoura (cortadas) ou 2 colheres de sopa de vegetais escuros outro amarelo ou verde-escuro

Copo de bagas ou uma pequena porção (2 ou 3) de biscoito de aveia com baixo teor de gordura

 

Lanche

1/2 xícara leite desnatado ou de baixo teor de gordura

1/2 maçã (cortada), três ameixas secas, 1/3 xícara de uvas (cortadas), ou 1/2 laranja

 

Jantar

1/2 xícara desnatado ou leite de baixo teor de gordura

60 g de carne (peixe, frango, vaca)

1/3 xícara de massa, arroz ou batata-

2 colheres de sopa de legumes

 

Dica para as medidas:

1 colher de sopa = 3 colheres de chá (15 ml)

1 colher de chá = 5 ml

1 xícara = 240 ml

 

Autor: Dr. José Luiz Setúbal

Fonte: Adaptado de cuidar de seu bebê e da Criança:

Birth to Age Five (Copyright © 2009 Academia Americana de Pediatria

 

As informações contidas neste site não devem ser usadas como um substituto para o atendimento médico e orientação de seu pediatra. Pode haver variações no tratamento que o seu pediatra pode recomendar com base em fatos e circunstâncias individuais.