Não importa se recorreu a tratamentos milagrosos ou se nasceu assim. O que conta é que estes famosos  abaixo desfilam sorrisos de dar inveja na TV, no tapete vermelho, no palco e na tela do cinema. Branquinhos, alinhados e proporcionais, os dentes são um cartão de visita que chamam a atenção.

 

Zac Efron precisou de alguns tratamentos para ficar com o sorriso perfeito, mas o resultado foi dentes proporcionais e alinhados Foto: Getty Images

Zac Efron precisou de alguns tratamentos para ficar com o sorriso perfeito. Resultado: dentes proporcionais e alinhados

Zac Efron precisou de alguns tratamentos para ficar com o sorriso perfeito, mas o resultado foi dentes proporcionais e alinhados Foto: Getty Images

Berry está acostumada a estar entre boas listas: mais sexy, mais bem vestida, e não poderia ficar de fora de dentes perfeitos.Foto: Getty Images

Zac Efron precisou de alguns tratamentos para ficar com o sorriso perfeito, mas o resultado foi dentes proporcionais e alinhados Foto: Getty Images

 

Ashton Kutcher tem muitos motivos para mostrar seu belo sorriso. A estrela do seriado Two and a Half Man se separou oficialmente de Demi Moore e boatos dizem que pode ser papai em breve com a atriz Mila Kunis
Zac Efron precisou de alguns tratamentos para ficar com o sorriso perfeito, mas o resultado foi dentes proporcionais e alinhados Foto: Getty Images

 Carlos Casagrande é referência de sorriso perfeito entre os homens
Para quem não está feliz com o sorriso, existem tratamentos como o clareamento para deixar os dentes brancos, as facetas de porcelana que mudam o sorriso instantaneamente, aparelhos ortodônticos e até cirurgia plástica na gengiva. Basta procurar um profissional e investir na beleza dos dentes. Inspire-se .

 Fumar afeta a saúde bucal


A saúde bucal e o Fumo– Fumar afeta a saúde bucal

Adultos que são fumantes ativos são quatro vezes mais propensos a terem má condição de saúde bucal do que aqueles que nunca fumaram e duas vezes mais propensos a terem três ou mais problemas de saúde bucal, segundo um novo relatório publicado pelo Centro Nacional de Estatística em Saúde, parte dos Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos.

O relatório “Fumo e Saúde Bucal em Adultos com Dentes com idade entre 18-64 anos” afirma que os fumantes ativos não apresentam apenas estado de saúde bucal mais insatisfatório e mais problemas de saúde bucal do que ex-fumantes e aqueles que nunca fumaram; eles também são menos propensos a visitar um profissional da saúde bucal ao experimentar um problema bucal por não terem condições financeiras de pagar pelo tratamento odontológico.

O relatório destaca achados do Inquérito Nacional de Saúde (NHIS) de 2008, que examinou as diferenças entre fumantes ativos, ex-fumantes e pessoas que nunca fumaram com idades entre 18 e 64 anos em termos de condição de saúde bucal, número de problemas de saúde bucal e a utilização dos serviços odontológicos.

Os achados principais do relatório incluem:

  • Fumantes ativos (16%) foram duas vezes mais propensos que ex-fumantes (8%) e quatro vezes mais propensos que pessoas que nunca fumaram (4%) a ter má condição de saúde bucal.
  • Fumantes ativos (35%) foram quase uma vez e meia mais propensos que ex-fumantes (24%) e mais que duas vezes mais propensos que pessoas que nunca fumaram (16%) a ter três ou mais problemas de saúde bucal.
  • Fumantes ativos (19%) foram cerca de duas vezes mais propensos que ex-fumantes (9%) e pessoas que nunca fumaram (10%) a não ter visitado o dentista por mais de cinco anos ou nunca ter ido ao dentista.
  • O custo foi a razão pela qual a maioria dos adultos com problemas de saúde bucal nunca visitaram o dentista nos últimos seis meses; 56% dos fumantes ativos , 36% dos ex-fumantes e 35% dos que nunca fumaram não podiam arcar com os custos do tratamento ou não tinham seguro.

“As evidências de associação entre o uso de tabaco e doenças bucais foram claramente demonstradas em todos os relatórios do Surgeon General sobre tabaco desde 1964”, diz o resumo do relatório. “O uso de tabaco é um fator de risco para câncer bucal, doença periodontal e cárie dentária, entre outras doenças. Os problemas de saúde bucal podem ser sinais de alerta precoces de outros problemas de saúde como diabetes, HIV, doença cardíaca ou derrame. A boa saúde bucal é fundamental para a boa saúde geral”.

O relatório completo (em inglês) está disponível online em www.cdc.gov e também pode ser baixado como documento no formato PDF.

Artigo fornecido pela Colgate-Palmolive. Copyright 2015 Colgate-Palmolive.

Protetor bucal evita 90% de lesões em partidas de futebol

O protetor bucal individualizado, feito por um cirurgião-dentista, permite comunicação, ingestão de líquidos, não atrapalha a respiração e melhora o desempenho do atleta

 Foto: Shutterstock
Os protetores ideais são individuais e confeccionados sobre modelo em gesso da arcada dentária do jogador

Foto: Shutterstock

É difícil ver nos campos jogadores que usam protetores bucais, o que é um grande erro, segundo Neide Pena Coto, professora de odontologia da USP que lançou um livro chamado “Odontologia no Esporte – Uma abordagem multiprofissional”. Para ela, usar protetores bucais é a melhor forma de proteger a boca de uma série de complicações e traumas.

“Os protetores ideais são individuais e confeccionados sobre modelo em gesso da arcada dentária do jogador. Eles são muito diferentes dos protetores comercializados em lojas esportivas chamados de ‘aquece e morde’. O protetor bucal individualizado, que é feito por um cirurgião-dentista, permite comunicação, ingestão de líquidos e não atrapalha a respiração”, diz a especialista.

Usando esse tipo de proteção, os jogadores de futebol estão livres de problemas bastante comuns, como lacerações de lábios e línguas e fraturas dentais. “Os dentes incisivos centrais superiores são os mais atingidos durante uma partida e o uso correto do protetor bucal individualizado diminui esse risco em 90%“, diz Neide.

Para fraturas de ossos da face (principalmente nariz e “osso da bochecha”), também existem protetores faciais. Eles normalmente são usados para proteger lesões já existentes, como  foram os casos dos jogadores Renato Augusto, do Corinthians, e Álvaro Pereira, do São Paulo, que após sofrerem uma fratura no rosto, jogaram diversos jogos com uma espécie de “máscara”.

Bom rendimento
Para Neide, é uma pena que os protetores bucais não sejam obrigatórios no futebol. “O protetor bucal bem ajustado e acompanhado pelo cirurgião-dentista traz segurança ao atleta, resultando em um melhor rendimento na partida”.

Além dos protetores bucais, a presença do profissional da odontologia em uma equipe esportiva também é fundamental para que a boca do atleta tenha a atenção devida. “O cirurgião-dentista dentro de um clube de futebol vai minimizar seqüelas e gastos financeiros, além de prevenir doenças”.