Novidade para higienizar as escovas dentais

Escovas de dente: um risco à saúde se não forem bem limpas

Cerdas úmidas são ideias para a proliferação de microrganismos que podem causar doenças graves.


Protagonistas na hora da higiene bucal, as escovas de dente nem sempre recebem a atenção que merecem, principalmente quando a questão é como armazená-las corretamente, evitando que se tornem um meio de proliferação de vírus, fungos e bactérias. Mesmo cientes de que os germes alojados nas cerdas úmidas são potenciais transmissores de doenças e apesar dos esforços para orientar seus pacientes, muitos profissionais da área médica e odontológica sabem que nenhuma medida é – ou pelo menos não era até recentemente – 100% eficaz para a limpeza das escovas.

De acordo com a cirurgiã-dentista Sandra Duvoisin, os riscos de contaminação a partir de escovas dentais já são comprovados cientificamente, mas a forma ideal de proteger as cerdas está longe de ser consenso. “Na maioria das vezes, as escovas são armazenadas no banheiro, que mesmo sendo o local destinado para a higienização, também é o mais perigoso do ponto de vista da contaminação. As descargas dos vasos sanitários, por exemplo, liberam diferentes tipos de bactérias e coliformes fecais. Essas gotículas contaminadas podem atingir até seis metros de altura e permanecer por horas circulando no ambiente. Imagine a sua escova ali, exposta na pia do banheiro”, diz.

Mesmo que o problema já tenha sido comprovado por pesquisas mundiais e que até as bactérias da flora bucal tenham sua participação na contaminação das cerdas, uma dúvida persiste: como armazenar e limpar corretamente as escovas? Segundo diretrizes de órgãos mundiais de saúde e odontologia, o ideal é lavar as escovas, retirar o excesso de água e armazenar em lugar limpo e seco, na posição vertical e guardadas individualmente, para que não ocorra a contaminação entre elas.

“Foi a partir daí que surgiram tentativas de proteger as escovas, como a invenção, por exemplo, dos estojos e das capinhas para as cerdas. O problema é que as próprias tampinhas plásticas são um risco, já que mantêm as cerdas quentes e úmidas, tornando-as um local ainda mais apropriado para a formação de colônias e proliferação de micro-organismos.Nenhuma dessas recomendações garante uma escova totalmente livre de contaminação.

Para quem adotou hábitos diários, como secar as escovas em toalhas ou com o secador de cabelos ou mesmo passar o dedo nas cerdas para retirar o excesso de água,  a situação fica ainda mais complicada. “Talvez a falta de um protocolo adequado sobre os cuidados com as escovas dentais tenha confundido as pessoas, levando-as a não se preocuparem devidamente com o tema e deixando incompleto o hábito da higiene bucal”.

Existe agora um sistema Higienizador para Escova Dental .O Buccal Protect , que é um produto capaz de fazer a limpeza efetiva das cerdas e armazenar as escovas adequadamente. O Sistema Higienizador conta com um líquido para limpeza e um tubo, o Buccal Tube, próprio para o armazenamento das escovas, sem desperdício do produto.

 

www.buccalprotect.com.br

 

Pesquisa mostra que grafeno ameniza cárie e periodontite

Pesquisa mostra que grafeno ameniza cárie e periodontite

 

Pesquisadores da Universidade de Jiao Tong de Xangai, na China, descobriram que o óxido de grafeno, um composto de carbono, oxigênio e hidrogênio, é eficaz contra uma série de patógenos que causam cárie e periodontite. O estudo intitulado “Matando patógenos dentais utilizando o antibacteriano óxido de grafeno”, foi publicado on-line em 23 de fevereiro, na Revista ACS Applied Materials and Interfaces.
Para os testes, os pesquisadores utilizaram nano folhas de óxido de grafeno e observaram que elas delongaram muito o crescimento de germes dentários. Sendo assim, utilizando-se da microscopia eletrônica, os estudos mostraram que as paredes celulares e das membranas das bactérias haviam perdido sua integridade.Em estudos antecedentes, o óxido de grafeno apresentou dificuldades no crescimento de algumas estirpes bacterianas, segundo a investigação dos pesquisadores, existem três categorias específicas de bactérias orais nas propriedades antimicrobianas: Streptococcus mutans , uma bactéria que causa cárie bucal; e Porphyromonas gingivalis e Fusobacterium nucleatum, que são associados com certas formas de doença periodontal.

Sendo assim, os pesquisadores concluíram que as nano folhas de óxido de grafeno podem ser aplicadas nas áreas de odontologia e fisioterapia, tendo um grande potencial para ajudar a tratar as doenças de origem bacteriana.

Fonte: Dental Tribune

Remoção cirúrgica de um dente… da mão!

Sim, você leu direitinho. Explico.

Um jovem inglês de 19 anos que foi ao hospital com a mão inchada. O motivo? Ele tinha um dente entre as articulações dos dedos. Como o dente foi parar lá? Acidentalmente ele havia dado um soco na boca do seu irmão mais novo, quando o menino se colocou entre ele e o saco de areia que ele estava socando. Só que nem ele nem o irmão perceberam a falta do dente. O jovem cortou a mão, lavou o ferimento e pronto. No dia seguinte, ele acordou com muita dor, e sua mão estava tão inchada que mal podia mexer seus dedos.

Dente na mão

Dente na mão

Já no hospital, ele foi vacinado contra tétano, levou uma dose de antibióticos intravenosos e a ferida foi higienizada com solução salina. A equipe de cirurgia plástica foi chamada e os médicos diagnosticaram como uma ferida com infecção proveniente de mordida humana. Na radiografia, para surpresa de todos, verificou-se a presença inesperada de um dente humano inteiro, um incisivo lateral.

O dente foi removido.

Este caso foi incomum, um dente inteiro foi encontrado na mão do paciente e, notavelmente, sem o seu conhecimento”, disse Roshan Vijayan, cirurgião plástico no Queen Victoria Hospital. “Ferimentos de mordida humana podem levar a complicações graves quando não tratados adequadamente”, completou.

Via Vida de Dentista e Raiosxis