Conheça alguns mitos e verdades sobre saúde bucal

Conheça alguns mitos e verdades sobre saúde bucal

 

 

Há uma forma ideal de escovar os dentes.
VERDADE: a chamada “técnica de Bass”, por exemplo, recomenda que a escova seja apoiada suavemente sobre a superfície dos dentes em um ângulo de 45 graus, com a metade das cerdas recobrindo a superfície dental e a outra metade envolvendo a gengiva. Sem pressionar a cabeça da escova de forma exagerada, deve-se realizar movimentos vibratórios circulares durante aproximadamente cinco segundos em cada uma das superfícies dos dentes. É fundamental seguir uma sequência contínua, dente a dente, para não esquecer nenhuma parte ou possível nicho de retenção de placa bacteriana. As cerdas devem penetrar suavemente no sulco gengival e limpar com perfeição o contorno ou a margem dental.Shutterstock
Excesso de escovação prejudica a dentição.
VERDADE: a frequência exagerada de escovação, principalmente com a utilização de escovas duras e cremes dentais abrasivos, provoca, com o tempo, a abrasão do esmalte dental e a retração gengival. “O hábito de escovar os dentes é fundamental, porém uma higiene excessiva pode acabar prejudicando, ao invés de ajudar. Quando falamos na escovação, o importante é a qualidade e não a quantidade. É melhor fazê-lo um número menor de vezes, de duas a três, por exemplo, mas sempre com a técnica correta e emprego de uma escova nova e adequada”

Uma escovação bem feita é sempre demorada.
VERDADE: Não adianta escovar várias vezes por dia, mas por tempo insuficiente para a boa higiene. “Uma escovação bem realizada demora cerca de dez minutos. Então, é melhor fazê-lo duas ou três vezes, dedicando-se de verdade, do que cinco ou seis demorando apenas um ou dois minutos. O importante é conseguir desorganizar o biofilme oral (placa bacteriana) de todos os nichos possíveis nas superfícies dentais, de forma eficaz e sem provocar traumatismos”