Novo sistema pode detectar instantaneamente vírus HIV pela saliva

Novo sistema pode detectar instantaneamente vírus HIV pela saliva

Pesquisadores de Nova York, Estados Unidos, receberam uma nova concessão do Instituto Nacional de Saúde para concluir o desenvolvimento de um teste rápido de sangue e saliva para o HIV/AIDS. O Projeto recebeu no total cerca de US$ 1,5 milhões do programa “Pequenos Negócios em Inovação e Pesquisa Fase II”, que será usado para desenvolver um sistema que pode detectar ao mesmo tempo o HIV/AIDS, anticorpos e RNA viral do vírus da AIDS em um único modelo.

A verba foi atribuída aos dispositivos customizados de diagnóstico molecular da Rheonix, uma empresa especializada em design de automatizados. Em colaboração com especialistas em Odontologia da Universidade de Odontologia de Nova York, a empresa realizou com sucesso um teste inicial do seu sistema de cartucho no cartão Rheonix.

Para esclarecer: O sistema é um cartão descartável que age como um receptáculo para o sangue ou saliva. A placa é colocada sobre um instrumento que realiza todas as etapas indispensáveis para processar a amostra. Uma parte da amostra é executada em uma faixa para detectar anticorpos anti HIV, enquanto a outra parte sofre o isolamento de ácidos nucleicos e amplificação. Segundo os pesquisadores, todo o procedimento leva menos de 1 hora, sem contar que o dispositivo é móvel e pode ser operado com bateria.

O professor de ciências básicas e medicina e diretor do Programa de Pesquisa de HIV/AIDS da faculdade, Daniel Malamud, afirma que “no prazo de 18 meses, teremos um produto acabado, que irá permitir que o indivíduo colete uma amostra, insira-a no cartão descartável, aperte um botão e, dentro de uma hora, tenha o resultado preciso do teste.”

O tempo e o custo-benefício desse dispositivo irão beneficiar pessoas em áreas geográficas com acesso limitado aos diagnósticos. O principal objetivo do projeto é simplificar os testes de HIV, e acabar com a necessidade do paciente ter inúmeras consultas nos provedores de saúde.

Fonte: Dental Tribune