Diferenças entre alimentos orgânicos, naturais e saudáveis

Embora esses termos sejam frequentemente usados ​​como sinônimos, os alimentos orgânicos, naturais e saudáveis têm significados diferentes.

Alimentos orgânicos são cultivados sem pesticidas artificiais, fertilizantes e herbicidas. Orgânicos à base de carne, ovos e produtos lácteos são obtidos a partir de animais que são alimentados com alimentos naturais e sem hormônios ou antibióticos.

Alimentos naturais são aqueles livres de ingredientes sintéticos, artificiais ou aditivos.

Já o termo “alimentos saudáveis” pode ser aplicado a alimentos naturais, orgânicos ou para regular alimentos que sofreram menos processamento do que o habitual como os grãos integrais nas farinhas.

Embora alguns digam que os alimentos orgânicos têm uma maior concentração de alguns nutrientes, a evidência sobre isto ainda não é conclusiva. O conteúdo nutricional dos alimentos também varia muito, de acordo com: quando o alimento foi colhido e como ele foi armazenado ou processado.

A menos que eles sejam mais frescos, também não há evidências de que orgânico, natural, são melhores para a saúde ou tenham gosto melhor do que os alimentos regulares. No entanto, o gosto é determinado pela genética de plantas, e não pelo fato de sua cultura ser orgânica ou de modo convencional.

Colheita e manuseio também afetam o sabor. Um pêssego ou tomate que é colhido quando está muito verde nunca vai desenvolver o gosto de fruta ao amadurecer na árvore ou no arbusto. Embora o tipo de fertilizante possa não afetar o sabor ou nutrição, pode ter efeito sobre o meio ambiente. Muitas pessoas preferem pagar preços mais altos por alimentos orgânicos, pois sua produção não causa danos ao meio ambiente, pelo uso de pesticidas e herbicidas, e os adubos compostados ajudam na restauração do solo e não são tão prejudiciais ao meio ambiente como os fertilizantes artificiais. No entanto, a simplesmente denominação de “orgânico” ou “natural” não protege os alimentos da contaminação do campo para o mercado.

O objetivo deste artigo é que as pessoas reflitam sobre o que realmente estão comprando e não o que a propaganda diz que está comprando ou deveria comprar. Isto vale especialmente para os pais de crianças, já que querem sempre oferecer o que há de melhor para os filhos.

Autor: Dr. José Luiz Setúbal.Fonte: Hospital infantil SabaráFonte Nutrição: O que cada pai precisa saber (Copyright © Academia Americana de Pediatria, 2011)

As informações contidas aqui não devem ser usadas como um substituto para o atendimento médico e orientação de seu pediatra. Pode haver variações no tratamento que o seu pediatra pode recomendar com base em fatos e circunstâncias individuais.