Conheça alguns mitos e verdades sobre saúde bucal

É importante usar, também, a escova interdental.

VERDADE: a função das escovas interdentais é higienizar a área entre os dentes, conhecida como região proximal, local côncavo que as escovas convencionais não conseguem acessar. E é importante escolher uma interdental de boa qualidade, pois deve haver uma relação adequada entre o diâmetro de inserção ou acesso da região proximal (diâmetro do fio) e o diâmetro de efetividade (diâmetro de limpeza). Por isso, vale pedir orientação do dentista .

Higienização eficiente é feita com boa quantidade de creme.
MITO: o que promove a desorganização da chamada placa dental, placa bacteriana ou biofilme oral é a escova, e não a pasta ou gel dental. É importante observar que crianças pequenas, normalmente menores de seis ou sete anos, engolem praticamente tudo que põem na boca, pois ainda não desenvolveram o controle total da deglutição. “A pasta aplicada sobre a escova deve ser do tamanho de uma ervilha, e inserida no meio das cerdas, para evitar que seja engolida facilmente. E, ainda em relação aos pequenos, o melhor é que não utilizem dentifrícios fluoretados. Por fim, os responsáveis precisam sempre reforçar a escovação”,

Além dos dentes, a língua também precisa ser limpa.
VERDADE: “Ela apresenta retenções – fissuras – que podem alojar bactérias e placa bacteriana. Portanto, deve ser escovada”. “Na maioria dos casos, o mau hálito, ou halitose, tem origem na própria boca, principalmente na região da língua, que é um músculo revestido por papilas gustativas onde se forma um tipo de placa bacteriana denominada saburra lingual. A saburra é um material viscoso e esbranquiçado ou amarelado, que fica aderido ao dorso da língua, principalmente no terço posterior. É ali que se acumulam restos de alimentos e células que descamam do epitélio bucal e, pior, funcionam como meio de cultura para as bactérias existentes na cavidade oral. Com a fermentação dos resíduos, ocorre a liberação de substâncias ricas em enxofre, responsáveis pelo odor característico do mau hálito. A falta de higienização da língua (levando à formação de saburra) é a principal causa da halitose. As escovas dentais não foram desenhadas para a remoção dessa saburra, pois a cabeça e as cerdas provocam ânsia e o estímulo do vômito. Além disso, as cerdas ficam contaminadas pela saburra, o que facilita a proliferação dos micro-organismos. Assim, o processo de higienização oral não deve se limitar apenas ao hábito de escovar os dentes. A utilização de raspadores para a língua são imprescindíveis, e devem ser empregados diariamente”