Fluoretação da água pode aumentar risco de TDAH em crianças

Em 2011, 11% das crianças entre 4 a 17 anos de idade, nos EUA, receberam um diagnóstico de TDAH. O transtorno pode afetar seriamente a aprendizagem e o rendimento escolar. (Foto: Suzanne Tucker/Shutterstock)

 | News Brazil

Fluoretação da água pode aumentar risco de TDAH em crianças

 Post a commentby Dental Tribune International

TORONTO, Canadá: Pela primeira vez, pesquisadores demonstraram que água fluoretada pode ser um fator de risco ambiental para transtorno do déficit de atenção e hiperatividade (TDAH), uma das mais comuns perturbações do desenvolvimento neurológico das crianças hoje em dia. Em um estudo de abrangência nacional, eles descobriram que a prevalência do TDAH aumentou com uma maior exposição à água fluoretada nos E.U.A.

A fim de investigar a relação entre a exposição à água fluoretada e a prevalência de TDAH entre crianças nos Estados Unidos, pesquisadores da Universidade de York em Toronto compararam os dados de 2003, 2007 e 2011 e as taxas sobre o TDAH em crianças e adolescentes com idades entre 4 e 17 anos, com dados de 2002, 2004 e 2008 com o número de pessoas que receberam água fluoretada em contratos públicos de fornecimento em 51 estados dos EUA.

As análises mostraram que as regiões geográficas e estados em que uma maior proporção de pessoas receberam água fluoretada artificialmente de sistemas públicos de abastecimento de água tenderam a ter uma maior proporção de crianças e adolescentes diagnosticados com TDAH. Assim, concluíram que a vida em uma comunidade fluoretada poderia aumentar o risco da criança desenvolver o transtorno. Segundo os pesquisadores, a fluoretação natural da água não foi associada a uma maior prevalência de TDAH no estudo.

Embora fluoreto seja uma neurotoxina comum no desenvolvimento ambiental, ela tem recebido pouca atenção apenas no estudo do TDAH, e esta é a primeira vez que o link tenha sido investigado, disseram os pesquisadores. Eles salientaram, no entanto, que são necessários mais estudos para oferecer novas percepções sobre a relação entre o TDAH e a fluoretação da água.

Os dados para o estudo foram obtidos a partir da Pesquisa Nacional de Saúde da Criança, um estudo realizado pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças, em que os pais foram contatados por telefone e perguntados sobre o bem estar emocional e físico de seus filhos. Os dados sobre fluoretação pública foram obtidos a partir do website do CDC.

O estudo, intitulado “A Exposição à Água Fluoretada e Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade com Prevalência entre Crianças e Adolescentes nos Estados Unidos: Uma Associação Ecológica” (Exposure to Fluoridated Water and Attention Deficit Hyperactivity Disorder Prevalence among Children and Adolescents in the United States: An Ecological Association) foi publicado on-line em 27 de fevereiro na revista Environmental Health.

6 consequências das cáries que você não fazia ideia

Por TePe

caries

A cárie é extremamente comum na infância, sendo a doença crônica mais comum nessa faixa etária e um problema de saúde pública mundial. Todos reconhecem que a higiene bucal adequada e o acompanhamento odontológico desde o aparecimento dos primeiros dentes são métodos preventivos muitos eficazes, mas, pode ocorrer a formação de cárie caso a higiene bucal seja negligenciada.

Sensibilidade dentária

A dor é um dos principais sintomas de cárie e pode muitas vezes alcançar níveis insuportáveis , dependendo de sua extensão.

Dificuldades de mastigação

À medida que a lesão evolui, os dentes são desmineralizados e a cavidade da cárie se expande. Somando-se a isso  um possível processo inflamatório, com dor e inchaço gengival, o dente fica incapacitado de exercer sua função e assim a ingestão de alimentos fica prejudicada.

Perdas de dentes

Quando as lesões são muito extensas,o paciente pode até vir a perder o dente .

Baixa autoestima

As lesões de cáries, principalmente quando nos dentes da frente ou muito extensas, podem reduzir a autoestima do paciente, que se sente exposto e vitimado pelas outras pessoas. Quando em crianças, bullying na escola e entre os amiguinhos deve ser considerado, e deve-se enfatizar a necessidade de um atendimento multiprofissional.

Abscessos

Dependendo da extensão da cárie pode ocorrer necrose pulpar e o dente formar um abcesso.

Problemas sistêmicos

Se a infecção se estende, ela pode afetar outros sistemas do organismo.

As cáries devem ser levadas a sério e todas as medidas de prevenção devem ser seguidas à risca para evitar a sua ocorrência. Há casos especiais que devem ser orientados individualmente pelo dentista, mas, em geral, recomenda-se uma escovação adequada pelo menos três vezes ao dia e o uso diário de fio dental, além de visitas regulares ao dentista para realização de limpezas e checagens para que qualquer alteração seja corrigida precocemente.

Fonte :Tepe

Como cuidar dos dentes do meu bebê?

 

Como devo cuidar dos dentes do meu bebê?
Os bons cuidados bucais começam cedo na vida. Mesmo antes dos dentes do bebê nascerem, existem alguns fatores que podem afetar sua futura aparência e saúde. Por exemplo, a tetraciclina, um antibiótico comum, pode causar a descoloração ou manchas nos dentes. Por esta razão, não deve ser usada por mães que estão amamentando ou mulheres na segunda metade da gravidez.

IMG_8581

Como os dentes do bebê geralmente nascem por volta dos seis meses de idade, não há razão para usar os procedimentos padrão da higiene bucal, ou seja, a escovação e o uso do fio dental. Mas, os bebês têm necessidade de cuidados bucais especiais que todos os pais devem conhecer. Entre esses cuidados estão a prevenção das cáries causadas pelo uso da mamadeira e a certeza de que seu filho está recebendo uma quantidade adequada de flúor.

O que são as cáries de mamadeira e como evitá-las?
São cáries causadas pela exposição freqüente a líquidos que contém açúcar, como o leite, as fórmulas comerciais preparadas para bebês e os sucos de fruta. Os líquidos que contém açúcar se acumulam ao redor dos dentes por longos períodos de tempo, enquanto seu bebê está dormindo, provocando as cáries, que primeiro se desenvolvem nos dentes anteriores, tanto da arcada inferior quanto da superior. Por esta razão, nunca deixe sua criança adormecer com a mamadeira de leite ou suco na boca. Ao invés disso, na hora de dormir, dê a ele uma mamadeira com água ou uma chupeta que tenha sido recomendada pelo seu dentista. Ao amamentar, não deixe o bebê se alimentar continuamente. E após cada mamada, limpe os dentes e as gengivas do seu bebê com um pano ou uma gaze umedecidos.

O que é o flúor? Como saber se meu bebê está recebendo a quantidade certa de flúor?
O flúor faz bem mesmo antes de os dentes do seu filho começarem a aparecer. Ele fortalece o esmalte dos dentes enquanto estes estão se formando. Muitas empresas de distribuição de água adicionam a quantidade de flúor adequada ao desenvolvimento dos dentes. Para saber se a água que você recebe em casa contém flúor e qual a quantidade de flúor que é colocada nela, ligue para a empresa de distribuição de água no seu município. Se a água que você recebe não tem flúor (ou não contém a quantidade adequada), fale com seu pediatra ou dentista.

Vídeos Relacionados

Guias Relacionados

Sorrisos em todas as idades

Sorrisos em todas as idades

Um guia para o desenvolvimento dental de suas crianças, do nascimento aos 12 anos.