Os pais podem ser os responsáveis pela ansiedade em odontologia infantil

 

Visitas odontológicas de rotina são essenciais para manter a saúde bucal em crianças. (Foto: risteski goce/Shutterstock)
News Brazil
Post a commentby Dental Tribune International

OAK BROOK, Ill., EUA: O medo do dentista é muito comum em todas as populações ao redor do mundo. Muitas pessoas sentem-se estressadas ou são amedrontadas por exames dentários, o que eventualmente pode levar a evitar totalmente consultas dentárias. Uma nova pesquisa tem agora novas evidências de que pais com fobia dentária passam o medo aos seus filhos, e isso pode afetar significativamente o padrão da sua visita dental no futuro.

Os resultados da pesquisa que são baseados em entrevistas com 1.325 pais de crianças até a idade de 12 anos, indicou que 48% dos pais estavam com medo de visitar o dentista. Aproximadamente o mesmo número de crianças (47%) compartilhou o sentimento.

Segundo os pesquisadores, as mulheres participantes da pesquisa tinham fobia dentária. Enquanto 55% das mães relataram ter medo do dentista, apenas 40 % dos pais declararam a mesma coisa. No entanto, apenas 19% das mães disseram que foi muito difícil convencer seu filho a ir ao dentista. Cerca de 37% dos pais disse que é uma das coisas mais difíceis de fazer.

O principal motivo de nervosismo antes de consultas com o dentista foi o medo da dor (54%). Outras razões incluindo não gostar do dentista (17%) e o medo de outros serviços odontológicos (25%).

“É mais fácil para as crianças assimilarem as angústias de seus pais quando se trata de dentista,” disse o Dr. Bill Kohn, Vice-Presidente de Política e Ciência Dentária na Delta Associação dos Planos Odontológicos, que encomendou a pesquisa. “Se as crianças têm uma experiência ruim, isso poderá colocar em risco a sua vontade de consultar o dentista durante toda infância e idade adulta.”

Kohn encorajou ainda os pais a permanecerem positivos na frente do dentista e durante as consultas para os seus filhos. Além disso, eles devem começar a consultar o dentista com seu filho no prazo de seis meses da erupção do primeiro dente para permitir que eles se acostumem com a definição da medicina dentária, desde a mais tenra idade.

O levantamento foi realizado pela Kelton, uma empresa global de percepção, em nome da Delta Dental. A empresa realizou entrevistas por e-mail com os pais participantes de 2 de dezembro de 2014 até 2 de janeiro de 2015.