O que não oferecer as crianças na primeira infância

Autor: Patricia Modesto, nutricionista  /Categoria: Nutrição
Prato infantil

Prato infantil

É na infância que formamos o nosso hábito alimentar. Por isso devemos apresentar à criança todos os alimentos, sendo estes o mais variado possível e quando houver recusa espere alguns dias e volte a apresentar o alimento de outra forma. Quando adquirimos o hábito alimentar incorreto isto refletirá diretamente no crescimento e desenvolvimento adequado.

Desta forma devemos evitar alimentos que não são nutritivos conforme orienta a Organização Mundial de Saúde (OMS): açúcar, café, enlatados, frituras, refrigerantes, balas, salgadinhos e outras guloseimas, nos primeiros anos de vida. Também deve-se usar sal com moderação.

Deve-se evitar a adição de açúcar desnecessária preferindo o consumo dos alimentos ao natural. Esta conduta deve ser seguida nos dois primeiros anos de vida. Com isso aumenta a aceitação da criança pelos cereais, verduras e legumes, alimentos que têm outros sabores.

O consumo de alimentos industrializados, enlatados, embutidos e frituras que contenham sal em excesso, aditivos e conservantes artificiais deve ser desencorajado. As frituras são desnecessárias especialmente nos primeiros anos de vida. A fonte de lipídeo para a criança já está presente naturalmente, por exemplo, no leite e no óleo vegetal utilizado para cocção dos alimentos.

Sendo assim:

Prefira sucos naturais em vez de refrigerantes e versões prontas. Sugiro as frutas laranja, maçã, pera, mamão, banana, melancia, goiaba e manga.
Esteja atento aos rótulos antes de comprá-los para evitar oferta de alimentos que contenham corantes, aditivos e conservantes artificiais. Já existem fabricantes que comercializam produtos sem conservantes.
Evite a oferta de alimentos que não são próprios para idade, como iogurtes industrializados, queijinhos petit suisse, macarrão instantâneo, bebidas alcoólicas, salgadinhos e refrigerantes. Enquanto a família estiver consumindo esses alimentos, deve-se ofertar os habituais à criança (frutas, sucos ou cereais, que são mais adequados e saudáveis a ela).

No preparo das refeições e papinhas, troque os temperos industrializados e o sal pelos naturais, como cebola, alho, limão, gengibre, orégano, manjericão e alecrim.
No caso de usar açúcar, experimente os do tipo mascavo ou demerara, menos prejudiciais, já que contém algumas vitaminas.
Evite biscoitos recheados e sorvetes cremosos, cheios de gordura trans. Troque lanches muito doces por frutas, sucos e salada de frutas.
Use mais alimentos com gorduras monoinsaturadas e poli-insaturadas, como peixes, abacates e óleos vegetais.
Autor: Patricia Modesto, nutricionista da pediatria do Einstein