O que vc sabe sobre Caxumba?

Caxumba

O que é?
A caxumba é uma doença causada pelo paramyxovirus da classe rubulavirus, um tipo de vírus que acomete caracteristicamente as glândulas parótidas, que são as maiores das três glândulas salivares.

O número de casos de caxumba em São Paulo aumentou 568% nos primeiros quatros meses deste ano em relação ao mesmo período de 2015, de acordo com dados da Secretaria Municipal de Saúde. Até o dia 30 de abril, a cidade registrou 275 casos – mesma quantidade registrada em todo o ano passado.

Segundo o infectologista do Hospital Israelita Albert Einstein dr. Jacyr Pasternak, o surto da doença pode ter ligação com o “esquecimento” da 2ª dose da vacina. “Imagino que existam muitas pessoas não vacinadas ou vacinadas com uma única dose e que não estão protegidas.”
Estudos indicam que a dose única da vacina garante uma proteção de apenas 50%, nível que não atinge o herd immunity – condição na qual os indivíduos não vacinados estão protegidos porque as pessoas que os cercam foram vacinadas e não carregam o vírus.
A possibilidade, apesar da falta de estatísticas que indiquem precisamente o motivo do aumento de casos, é reforçada pelo fato de não existir confirmação de uma variação do vírus e da doença.
O Center for Disease Control and Prevention (CDC), órgão de saúde norte-americano, recomenda a vacinação entre 12 e 15 meses de vida, da 1ª dose, e entre 4 e 6 anos da 2ª dose.

Sintomas
Os principais sintomas da doença são: febre, dor na face e aumento do volume das glândulas salivares. Ela também pode provocar dor no corpo e na cabeça. Complicações mais graves são raras, mas podem ocorrer, entre elas inflamação nos testículos (orquite), inflamação nos ovários (ooforite) em mulheres acima de 15 anos, inflamação do pâncreas (pancreatite) e inflamação que envolve cérebro e meninges (meningoencefalite).

Transmissão
A transmissão é principalmente aérea, por meio de gotículas de saliva do doente que possui o vírus. Na maior parte das vezes, a infecção se manifesta na infância.

É importante destacar que a pessoa com caxumba é capaz de transmitir o vírus cerca de uma semana antes de aparecerem os sintomas e até nove dias depois destas manifestações. Assim, sugere-se que o paciente fique longe do trabalho ou da escola, uma vez que existe a possibilidade de contaminar outras pessoas.

Diagnóstico e Tratamento
O diagnóstico é clínico e com auxílio de exame de sangue. Não há tratamento específico, o que se faz é aliviar os sintomas com anti-inflamatórios. São indicados repouso, o uso de medicamentos analgésicos e observação de possíveis complicações. No caso de inflamação nos testículos, o repouso e o uso de suspensório escrotal são fundamentais para o alívio da dor.

Prevenção
A prevenção é feita com o uso de vacina produzida com o vírus vivo atenuado da doença e faz parte do Calendário Básico de Vacinação. Em geral, está associada à época de vacinas contra sarampo e rubéola. As três juntas compõem a vacina tríplice viral. A primeira dose deve ser administrada aos doze meses e a segunda, entre quatro e seis anos.

E atenção: mulheres que nunca tiveram caxumba, nem tomaram a vacina, devem procurar um posto para serem vacinadas antes de engravidar. Na gestação, a doença pode provocar aborto.

Deve-se ter em mente que existe a possibilidade de reinfecção quando a vacina perde a eficácia com o decorrer dos anos. Para uma pessoa que adquiriu caxumba, a recomendação é procurar um médico para diagnóstico e acompanhamento.

Fonte:Hospital Albert Einstein