Quanto de açúcar uma criança pode comer por dia ?

A recomendação da Organização Mundial de Saúde é de que o consumo diário de açúcar deve corresponder a no máximo 10% das calorias ingeridas em uma dieta saudável.
Por exemplo, a Associação Americana do Coração recomenda que uma criança do sexo feminino, sedentária, com idade entre 4 e 8 anos precisa consumir 1.200 calorias diariamente. Logo, segundo a OMS, no máximo 120 dessas calorias deveriam ser consumidas sob a forma de açúcar extrínseco. O que isso significa? Uma caixinha de Nescau tem 200ml e 193 calorias; 2 bolachas recheadas de chocolate contém 140 calorias; 1 lata de coca-cola corresponde a 137 calorias. Dá para perceber que, com facilidade, se ultrapassa o limite diário de açúcar nessa idade, não é?
http://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=4783%3Aoms-recomenda-que-os-paises-reduzam-o-consumo-de-acucar-entre-adultos-e-criancas&Itemid=821


http://www.heart.org/HEARTORG/GettingHealthy/Dietary-Recommendations-for-Healthy-Children_UCM_303886_Article.jsp

 Crescer sorrindo

 

Os 1.000 dias entre a gravidez de uma mulher e o 2º aniversário de sua criança oferecem uma janela de oportunidade única para construir futuros mais saudáveis ​​e mais prósperos.

A nutrição certa durante esta janela de 1.000 dias tem um impacto profundo na capacidade de uma criança crescer, aprender e prosperar – e um efeito duradouro na saúde e prosperidade de um país.

A nutrição durante a gravidez e nos primeiros anos da vida de uma criança fornece a construção essencial para o desenvolvimento do cérebro, crescimento saudável e um sistema imunológico forte. De fato, um crescente corpo de evidências científicas mostra que os fundamentos da saúde vital de uma pessoa – incluindo sua predisposição à obesidade e certas doenças crônicas – são largamente estabelecidos durante essa janela de 1.000 dias.

É por isso que é fundamental que mulheres e crianças tenham a nutrição certa durante esse período. A desnutrição no início da vida pode causar danos irreversíveis ao desenvolvimento do cérebro das crianças e ao seu crescimento físico, levando a uma diminuição da capacidade de aprender, a um desempenho mais pobre na escola, a uma maior susceptibilidade a infecções e doenças e a uma vida de potencial de perda de ganho. Pode até colocá-los em risco aumentado de desenvolver doenças como doenças cardíacas, diabetes e certos tipos de câncer mais tarde na vida.

Se possível alimente seu bebê exclusivamente com  leite materno durante os seus primeiros seis meses .

A amamentação exclusiva proporciona aos bebês a nutrição perfeita e tudo o que eles precisam para um crescimento saudável e desenvolvimento cerebral

A amamentação exclusiva protege as crianças contra infecções respiratórias, doenças diarreicas e outras doenças que ameaçam a vida

A amamentação exclusiva protege contra a obesidade e doenças  como diabetes

 Para saber mais visite http://www.thousanddays.org/

 

A maneira previsível e confortável de ter um sorriso bonito

Você está pensando em endireitar os dentes, mas tem receio do desconforto? Com as inovadoras tecnologias SmartForce e SmartTrack, o Sistema Invisalign endireita seus dentes de forma previsível e mais confortável.

O que é Invisalign ?

Invisalign é uma maneira invisível de alinhar os dentes sem aparelho de metal. Invisalign usa uma série de alinhadores transparentes e removíveis para gradualmente alinhar seus dentes, sem metal ou fio.

Quais são as principais vantagens do Invisalign ?

Invisalign é transparente. Você endireita seus dentes sem ninguém perceber. Invisalign é removível. Diferentemente de aparelhos fixos, você pode comer e beber o que quiser durante o tratamento.
Invisalign é confortável. Não existem fios ou metais que possam causar irritação em sua boca, e sem fios os metais significa você gastar menos tempo na cadeira do seu ortodontista para ajustes. Invisalign permite que você visualize seu próprio plano de tratamento antes de iniciar seu caso. Você poderá visualizar como seus dentes ficarão alinhados quando seu tratamento estiver completo.

Quer saber mais? Agende uma consulta conosco e tire suas dúvidas.

Tel :11 3726-8905

Febre amarela: acabe com a dúvida sobre a vacina padrão e a fracionada

Imagem relacionada

O crescimento de casos de febre amarela no país têm deixado os pais em alerta e, caso você esteja em área de risco, é preciso estar bem orientado com relação à vacinação. Principalmente aos riscos de efeitos adversos, aos critérios para a vacina e aos cuidados caso a dose seja fracionada.

Pensando nisso e na responsabilidade dos pais e dos especialistas, a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) preparou um documento detalhado por meio dos Departamentos Científicos de Infectologia e de Imunizações, onde você pode se orientar.

Dose fracionada

Antes de tudo, é importante lembrar que ainda existem lacunas importantes em relação ao uso de doses fracionadas da vacina de febre amarela como a duração de proteção oferecida; torna imune apenas populações específicas e tem efeitos colaterais.

Recomendado por:

São essas populações específicas que podem tomar a vacina. Crianças a partir de 2 anos de idade podem tomar desde que não apresentem condições clínicas especiais. Para as menores, é indicada a dose padrão. O mesmo vale para o caso de crianças que forem fazer uma viagem internacional para um país que exija o Certificado Internacional de Vacinação.

A campanha de vacinação com a dose fracionada vai acontecer entre o fim de janeiro e o início de março em determinados municípios dos estados do Rio de Janeiro, São Paulo e Bahia.  Para aumentar ainda mais a segurança de pacientes e familiares, a Sociedade Brasileira de Pediatra destaca alguns pontos que devem ser observados na hora de receber a dose no posto de saúde.

Interferência: é importante prestar atenção nas diferentes vacinas que você e seu filho tomam ao mesmo tempo ou em um curto período. De acordo com os pediatras, para evitar interferência na proteção das vacinas, a para febre amarela não deve ser administrada simultaneamente com a tríplice viral (contra sarampo, rubéola e caxumba) ou tetra viral (contra sarampo, rubéola, caxumba e varicela) em crianças menores de 2 anos de idade. A orientação é que tenha pelo menos um intervalo de 30 dias depois. As demais vacinas do calendário podem ser administradas no mesmo dia que a vacina febre amarela.

Medicações: Alguns grupos não devem ser imunizados contra a febre amarela como, por exemplo, as crianças com menos de seis meses de idade; e o das pessoas que fazem uso de medicações anti-metabólicas ou medicamentos modificadores do curso da doença (Infliximabe, Etanercepte, Golimumabe, Certolizumabe, Abatacept, Belimumabe, Ustequinumabe, Natalizumabe, Canaquinumabe, Tocilizumabe, Ritoximabe e outros terminados com MOMAB, XIMAB, ZUMAB ou UMAB). A regra também se aplica para os transplantados de órgãos sólidos e pessoas com doença oncológica em quimioterapia e ou radioterapia.

No caso das mães moradoras de área com transmissão ativa da febre amarela e que estiverem amamentando criança menor de 6 meses de idade, pode ser administrada uma dose fracionada. No entanto, a amamentação deve ser suspensa por 10 dias após a vacinação. Mulheres que moram em áreas sem transmissão ativa não precisam tomar a vacina.

Reações: crianças, adolescentes e adultos com história de reação alérgica grave ao ovo e a gelatina, podem receber a vacina após avaliação médica e em ambiente com condições de atendimento de urgência/emergência. Mulheres em idade fértil vacinadas devem evitar a gravidez até 30 dias após a vacinação.

Mas não precisa de pânico! Segundo a SBP, a vacina de febre amarela é, de maneira geral, bem tolerada. Segundo os especialistas, a partir do terceiro ou quarto dia da vacinação, 2% a 5% dos vacinados têm sinais como febre, dor de cabeça, dores musculares, entre outros sintomas.

Fonte: Revista Pais e Filhos