A BOCA ESCONDE SEGREDOS…

A BOCA ESCONDE SEGREDOS...

Queremos repartir mais essa sequência de dicas e informações para que se lembre de que a boca faz diferença na minha, na sua e na nossa vida…

Que os segredos tragam mais saúde!

1° Segredo – Quem tem mais chances de roncar?

TePe_ronco

Se você tem o céu da boca mais estreito, terá maior propensão a roncar, um motivo cogitado é que passa menos oxigênio pelo nariz – uma vez que esse perfil normalmente se associa ao respirador bucal – favorito ao “status de roncador”.

2° segredo – Trocas além do amor…

TePe_bactérias

Quando você beija, troca cerca de 256 bactérias com o seu parceiro. Cerca de 50% das bactérias da boca vivem na superfície da língua.

3° segredo – Boca seca é ruim…

TePe_boca seca

Se a sua boca ficasse completamente seca, você não seria capaz de distinguir nenhum sabor e provavelmente se machucaria ao comer.

4° segredo – O paladar vai além da boca…

paladar1
Tomar alguns medicamentos, fumar, não ingerir vitaminas suficientes, ferimentos na cabeça, tumores cerebrais, exposição a substâncias químicas e os efeitos da radiação, podem causar alterações do paladar.

5° segredo – O sentido mais fraco vem da boca.
images
O gosto é o mais fraco dos cinco sentidos.

6° segredo – Destros,canhotos e os reflexos bucais…

canhoto1

Se você é destro, vai ter tendência a mastigar a comida do seu lado direito. Se você é canhoto, será o contrário, irá mastigar mais do seu lado esquerdo. Alguns estudos cogitam que a gente inicie ou perca mais tempo escovando o lado oposto ao qual seguramos a nossa escova pela facilidade na prática do movimento.

7° segredo – Poderosa lingua.
lingua

O músculo mais forte do corpo humano é a língua (em relação ao seu tamanho). A língua é o único músculo do corpo que é anexada em apenas uma extremidade.

8° segredo – Somos capazes de encher uma piscina com a boca.

piscinaformatodente

Você irá produzir 38.432 litros de saliva em toda a sua vida (cerca de 1,5 litros de saliva por dia se viver 70 anos). O suficiente para encher uma piscina, como esta na imagem ao lado.

Via Adoro sorrir

Menu completo com café e refeições fortalece dentes; confira

Menu completo com café e refeições fortalece dentes; confira

O leite, como líquido, reduz a capacidade de aderência de alimentos cariogênicos
Foto: Shutterstock

Quando se trata de nutrição adequada para saúde bucal, tudo conta. Combinações, intervalo entre refeições, composição dos alimentos. O importante é ter essas informações e consumir os alimentos de forma com que o potencial cariogênico seja sempre neutralizado.

Todas as vezes que um carboidrato fermentável é consumido, o ph da boca começa a cair dentro de 5 a 15 minutos e dura até 30 minutos, o que torna o ambiente ácido e propício para a ação da cárie. Isso porque a acidez corrói o esmalte dos dentes.

Assim, a frequência que um alimento e bebida cariogênicos são consumidos determina o número de vezes em que a boca se tornará mais suscetível a doenças orais. O ideal é espaçar as ocasiões de alimentação por pelo menos duas horas e limitar o tempo de lanches de 15 a 30 minutos. “As refeições e lanches pequenos frequentes, em geral ricos em carboidratos fermentáveis, têm mais risco de tornar a boca propensa à cárie do que uma dieta de três refeições e lanches mínimos”, diz a nutricionista Vanessa Pimentel.

Refrigerantes, bebidas esportivas, sucos cítricos, suplementos de vitaminas C possuem alto teor ácido e, portanto, podem contribuir para um ph ácido. “Os refrigerantes dietéticos não contem açúcar, mas também são ácidos por natureza”, afirma.

Prevenção

O programa de prevenção da cárie envolve dieta balanceada, a modificação das fontes e das quantidades de carboidratos fermentáveis e a integração das práticas de higiene oral aos estilos de vida individuais. As refeições e os lanches devem ser seguidos de escovação, enxágüe bucal com água ou mascar gomas de mascar sem açúcar por 15 a 20min.

Com o cardápio preparado por Vanessa Pimentel, a boca fica mais segura, com menos chance de ser acometida por doenças bucais, como a cárie.

Café da manhã
– 1 ½ xícara de cereal matinal de aveia torrada
– 1 xícara de leite com baixo teor de gordura ou
– 1 fatia de torrada de trigo com 1 oz de queijo derretido
– 1 xícara de frutas vermelhas frescas.
– Café com leite de baixo teor de gordura

Dicas
– As bananas, que são cariogênicas, em razão de seu teor de carboidratos fermentáveis e capacidade de aderência, têm menos potencial de contribuir para cárie quando consumidas com cereal e leite do que quando consumidas sozinhas como um lanche.
– O leite, como líquido, reduz a capacidade de aderência de alimentos cariogênicos.

Almoço
– 2 fatias de pizza de champignon
– Salada pequena com 2 sachês de molho italiano
– 16 oz de água mineral
– Banana
– 2 gomas de mascar sem açúcar
02dieta
Dicas
– Após o almoço, espere cerca de meia hora para escovar os dentes. Com a boca ácida, a escova pode desgastar, ainda mais, o esmalte dos dentes. O ideal é mascar uma goma sem açúcar para estimular a produção de saliva, que é responsável por neutralizar o pH da boca.

Lanche da tarde
– 1 xícara de mini-roscas fritas(pretzels)
– 1 oz de queijo
– 2 gomas de mascar sem açúcar

Dicas
03dieta

– As bolachas consumidas com queijo são menos cariogênicas do que quando consumidas sozinhas.
– A capacidade tamponante – de neutralizar o pH da boca – do queijo e do leite os torna alimentos desejáveis para se consumir no final de uma refeição ou em combinação com outros carboidratos fermentáveis, para reduzir o potencial de cárie.
– Comer vários bolinhos de uma só vez, e em seguida escovar ou enxaguar a boca com água, é menos cariogênico do que consumir um bolinho várias vezes durante o dia.
– Os carboidratos fermentáveis, como doces, bolachas, bolinhos, massas, roscas, bolachas salgadas e batatas fritas (chips), devem ser consumidos com as refeições.

Jantar
– Salada mista com 2 colheres de sopa de queijo ralado
– 1 ½ xícara de espaguete + 1 xícara de molho marinara + 1 ½ xícara de pimentões sauté
– 1 xícara de salada de frutas frescas
– 1 fatia de pão italiano com um pouco de margarina
– 1 ½ xícara de sorvete
– 1 xícara de leite com baixo teor de gordura

Dicas
04dieta
– Combinar alimentos mastigáveis, como frutas e hortaliças frescas, com carboidratos fermentáveis.

Lanche
– 4 xícaras de pipoca
Escovar os dentes antes de dormir.

Dicas
05dieta
– Fazer lanches combinando alimentos cariostáticos e anticariogênicos. Os que têm menos potencial para tornar a boca propensa à cárie são os queijos, nozes, pipoca e hortaliças. Exemplos: após comer um pirulito, mastigar uma castanha; comer a bisnaguinha junto com queijo.
– Limitar a ingestão de líquidos de carboidratos fermentáveis entre as refeições, exemplo leite, achocolatados prontos, leite fermentado.

A salivação diminui durante o sono, por isso, fazer a higienização bucal antes de dormir é extremamente importante.

Higiene Bucal
– Escovar os dentes pelo menos três vezes ao dia, preferivelmente após as refeições.
– Enxaguar a boca após as refeições e lanches, quando a escovação não for possível.
– Mascar gomas sem açúcar, por 15 a 20 minutos, após as refeições e lanches.
– Usar fio dental duas vezes ao dia.
– Limpar a língua.
– Usar cremes dentais com flúor.

Dicas gerais
– Alimentos amiláceos (Paes, macarrão, arroz, bolacha), pegajosos ou açucarados devem ser consumidos com alimentos sem açúcar.
– Combine produtos lácteos com uma refeição ou lanche.
– Produtos lácteos (leite, iogurte se gordura) intensificam a remineralização dos dentes e contêm cálcio.
– Alimentos mastigáveis fibrosos, como frutas e hortaliças, induzem a produção de saliva e a capacidade de tamponamento.
– Carboidratos fermentáveis consumidos em seqüência promovem desmineralização.
– Alimentos ácidos promovem a erosão dental que aumenta o risco de cárie.
– Proteínas atuam como um tampão (regulam pH da boca) e evitam a cárie.
– Alimentos crus estimulam a mastigação e a produção de saliva enquanto os cozidos ou processados podem estar mais disponíveis para o metabolismo bacteriano se consumidos sozinhos.
Terra/Beta

Confira 10 dicas para amenizar a sensibilidade nos dentes

images

Quando o esmalte do dente está mineralizado, ele fica forte e impermeável. Mas o dia a dia muitas vezes não é muito gentil e fraturas, bebidas e alimentos ácidos, cáries, entre outros vilões, podem desgastar o dente. Essa é uma das principais causas dos dentes sensíveis, quando a superfície do dente é corroída e a dentina fica exposta.

Ocorre que milhares de canalículos que ficam no centro do dente e levam o nervo da polpa até a superfície ficam expostos e causam dor. O problema é ainda pior para quem tem bruxismo, ou seja, para quem range os dentes durante o sono. “Ao pressionar os dentes, eles são comprimidos e estouram os prismas de esmalte, o que expõe a dentina e causa sensibilidade ao gelado, vento, frio ou doce. Isso, em conjunto com uma escovação pesada, piora o problema”, diz a cirurgiã-dentista, Debora Ayala

Para indicar o melhor tratamento, é preciso fechar o diagnóstico, uma vez que a sensibilidade dentinária tem muitas causas. Há o laser de baixa potência com ação analgésica e anti-inflamatória, verniz de flúor para ajudar a mineralizar o esmalte e a dentina, agente fixador para impermeabilizar a superfície da dentina, entre outros.

Mas, antes de pensar nos tratamentos, é importante dizer que a sensibilidade causada por desgaste do esmalte pode ser prevenida com mudanças de hábitos diários. Confira:

1- Escolha a escova com cuidado
A escova deve ter grande quantidade de cerdas e ser do tipo ultramacia. As cerdas arredondadas também são indicadas.

01sensibilidade

2- Fique longe de bebidas ácidas
Refrigerantes, energéticos, isotônicos, devem passar longe dos dentes. Mesmo sucos mais ácidos devem ser ingeridos com canudinho. Assim evita-se o contato da acidez com os dentes.

02sensibilidade

3- Na salada

O mesmo ocorre com o vinagre. Opte apenas pelo azeite e sal para evitar o choque nos dentes sensíveis.

03sensibilidade

4- Tenha sempre um chiclete na bolsa ou no bolso
Em vez de comer e ir direto escovar os dentes, vale mascar uma goma sem açúcar. Isso estimulará o fluxo salivar, que neutraliza a acidez da boca. Por outro lado, caso a escovação seja feita com o pH desequilibrado, a acidez é passada nos dentes pela escova, o que desmineraliza o esmalte.

04sensibilidade

5- Creme dental especial

O tipo de creme dental usado por quem tem dentes sensíveis deve ser indicado pelo dentista. Algumas vezes, ele pode recomendar marcas que sejam específicas para o problema. Os produtos branqueadores normalmente são mais abrasivos, ou seja, inimigos da sensibilidade.
05sensibilidade

6- Flúor

Cremes dentais e enxaguante bucal com flúor podem ajudar a fortalecer o esmalte dos dentes. O flúor em gel também pode ajudar nas crises. Fale com o dentista sobre essas possibilidades.

06sensibilidade

7- Higiene impecável

Escovar os dentes, passar fio dental, limpar a língua são passos imprescindíveis para deixar a boca saudável. Consequentemente, a cárie não se instalada e o esmalte dentário não corre riscos.
07sensibilidade

8- Clareamento com supervisão

Todos os tipos de clareamento dentário devem ser recomendados pelo dentista. Mas, para quem já tem dentes sensíveis, até as soluções caseiras devem passar longe. No mercado existem cremes dentais, fitas adesivas e kits branqueadores. Eles podem agravar o quadro de sensibilidade. Para garantir dentes brancos e sem dor, só com acompanhamento profissional.

08sensibilidade

9- Cuidado com a força

A escovação não exige força e sim movimentos e ferramentas adequadas. A pressão em demasia pode desgastar o esmalte e piorar a sensibilidade. A escova deve estar a 45 graus em relação aos dentes para alcançar mais fundo nas gengivas.
09sensibilidade

10- Trate o bruxismo

Caso exista a desconfiança de bruxismo, é importante ir ao dentista para tratar o problema. O profissional pode indicar placas para serem usadas durante a noite, que evitam o desgaste do esmalte dental.

10sensibilidade

Beta terra

Você sabe o que é endodontia, popularmente conhecida como tratamento de canal?

Endodontia

Especialidade odontológica popularmente conhecida como “tratamento de canal”, responsável pela prevenção e tratamento das doenças da polpa do dente. A endodontia também atua no tratamento clínico-terápico dos casos de necrose pulpar e suas possíveis conseqüências, como abscessos, cistos de pequeno e médio porte, dentre outros.

O que é o tratamento de canal?
Ele consiste na remoção da polpa dental, uma estrutura viva que contém, entre outros elementos, nervos e vasos sangüíneos.

Por que um dente necessita de tratamento de canal?
De modo geral, o tratamento é indicado em duas situações:
1) quando a polpa vital se apresenta inflamada, com dor espontânea (pulpite) em decorrência da exposição da dentina por cárie profunda, fratura da coroa, retração gengival, etc;
2) quando a polpa perde a vitalidade (polpa necrosada) e compromete a estrutura que envolve a raiz, provocando inflamação da membrana periodontal e do osso de modo assintomático (granulomas e cistos).

O dente que apresenta tratamento de canal é considerado um dente morto?
Não, pois embora o dente não contenha mais a estrutura vital no seu interior (a polpa), o dente é envolvido em toda a sua superfície externa por um ligamento vivo (membrana periodontal), permitindo que esse elemento dental continue a executar suas funções normais sem nenhum prejuízo.

O tratamento de canal enfraquece os dentes?
O que causa enfraquecimento dos dentes é a perda da estrutura dental causada geralmente pela cárie que, por sua vez, leva o dente a necessitar dotratamento de canal.

Quantas sessões são necessárias para realização do tratamento de canal?
Se o profissional tiver experiência e habilidade suficientes, pode realizar o tratamento de canal em apenas uma sessão, especialmente se o dente não estiver infectado (se não houver presença de bactérias no canal). Na presença de pus, hemorragia persistente, tumefação ou em retratamentos e casos especiais, os tratamentos de canal podem serrealizados em sessões múltiplas.

Por que algumas vezes é necessário realizar o retratamento do canal?
Quando o tratamento de canal anterior não foi bem executado por algum motivo (dificuldades anatômicas, raízes com curvaturas acentuadas, canais calcificados etc., ou quando o dente não foi devidamente restaurado, pode ocorrer a recontaminação do canal pelas bactériaspresentes na saliva, levando a necessidade do retratamento.

O dente com canal tratado pode voltar a doer algum dia?
Sim. Mesmo que o tratamento de canal tenha sido bem executado, o dente pode voltar a doer se não receber restauração definitiva ou se ocorrer uma cárie profunda permitindo a recontaminação do canal.

——————————————————————————–

Para entender a pulpite (inflamação da polpa):

Hiperemia pulpar
Hiperemia (pulpite focal reversível).
Consiste numa ligeira inflamação da polpa na tentativa de se defender contra o agente agressor.
Nesta fase da inflamação, chega à polpa excessiva quantidade de sangue. Se o agente agressor persistir, a hiperemia agrava-se e, desta forma, a circulação de retorno torna-se dificultada.
Neste estado, a inflamação pode regredir sem deixar estigmas, desde que seja eliminado a causa que a motivou. Porém, se o agente agressor continua, a inflamação se agrava de tal modo que maior quantidade de exsudato difunde-se no interior do tecido conjuntivo. Esse exsudato, de natureza serosa, infiltra na malha conjuntiva exercendo pressão sobre os vasos e nervos.
Como a polpa está circunscrita por paredes não-elásticas (dentina), ela tem uma capacidade de dilatação limitada e, então, a inflamação, na tentativa de vencer o agente agressor, acaba por destruir os próprios tecidos da mesma. a esse estado de inflamação mais intensa dá-se o nome de pulpite. A partir desse momento, a polpa está irremediavelmente perdida.
A hiperemia ou pulpite focal reversível precede a pulpite aguda. Trata-se de uma lesão reversível, mas não deixa de ser um sinal de alarme, indicando que a resistência pulpar vai chegando ao limite extremo. Seu diagnóstico é de suma importância para evitar o sacrifício inútil da polpa. Se a hiperemia for acudida em tempo, eliminando a causa, ela regride e a polpa volta à normalidade. Mas, se a hiperemia for abando-nada à própria sorte, caminha inexoravelmente para a pulpite aguda.

A diferença clínica entre a hiperemia e a pulpite é, principalmente, de ordem quantitativa.

1 – Na hiperemia ou pulpite focal reversível, a dor é sempre provocada.
A dentina exposta (cárie, fraturas ou infiltração em restaurações) mostra-se extremamente sensível às substâncias açucaradas, ácidas (pressão osmótica).

2 – Os dentes hiperêmicos, ainda que restaurados, são sensíveis às mudanças súbitas de temperatura, por algum tempo.

3 – A dor é defragada, sobretudo pelo frio e cessa assim que se estabelece o eqüíbrio térmico.
Nota!
Na fase inicial da hiperemia a dor é provocada e de curta duração, e desaparece num pequeno espaço de tempo.

4 – A medida que o processo inflamatório evolue, o total desaparecimento das dores provocadas se tornam cada vez mais demorado, devida ao progressivo retardamento da drenagem venosa.

5 – Num estado mais avançado surgem dores aparentemente espontâneas, mas na verdade são dores provocadas por estímulos mínimos, tais como o aumento do fluxo sangüíneo cefálico, que ocorre no decúbito dorsal ou depois de trabalho muscular prolongado.

6 – Na hiperemia ou pulpite focal reversível, a dor é sempre:
provocada, de curta duração e localizada.
Estabelecido o diagnóstico de hiperemia ou pulpite focal reversível, o tratamento consiste na remoção da causa que a defragou. O prognóstico da hiperemia é favorável ao dente e à polpa.

Fase de transição:
Nesta fase as dores se tornam incomodas e o paciente necessita do emprego de analgésicos para eliminá-las. As dores são intermitentes, isto é, comportam intervalos assintomáticos.
O encurtamento destes intervalos e a ineficácia cada vez mais acentuada dos analgésicos indicam que a polpa vai esgotando sua capacidade defensiva e que está iminente o estabelecimento da pulpite aguda. Nesta situação a reversibilidade é problemática.

——————————————————————————–
Referência: odontologika.

Nutrição simplificada

Nutrientes são aquelas substâncias presentes nos alimentos fundamentais para o bom funcionamento do corpo. Entenda melhor cada um deles e como eles podem contribuir para a sua saúde e bem-estar.

1
Água e líquidos
Assim como nosso planeta, nosso corpo, em sua maior parte, é constituído por água. Os líquidos compõem cerca de 2/3 dele. E, como diariamente ocorrem perdas destes líquidos corporais através da respiração, suor e urina, é preciso repor o que foi perdido.
2
Carboidratos
Os carboidratos são os nutrientes responsáveis por fornecer energia para todas as atividades do dia a dia. Por isso, são recomendados como a base de uma alimentação equilibrada. No mínimo 55% das calorias da alimentação devem vir deste nutriente.

3
Fibras
As fibras são um tipo de carboidrato que não é digerido pelo corpo humano. Elas são encontradas em grãos, verduras, legumes, feijões, frutas e em produtos derivados desses alimentos, como cereais matinais e pães integrais.

Gorduras Trans
As gorduras trans são um tipo de gordura presente em diversos tipos de alimentos. Saiba um pouco mais sobre elas.

4
Gorduras
As gorduras são nutrientes fundamentais para o bom funcionamento do corpo. Elas fazem parte do processo de absorção de algumas vitaminas, da manutenção das membranas das células e são importantes para dar sabor, consistência e textura aos alimentos.

5
Proteínas
As proteínas são os nutrientes responsáveis pela composição dos músculos e tecidos do corpo, como a pele, por exemplo. Elas também são importantes para o crescimento, a cicatrização, a formação do sistema imunológico e a composição de enzimas e hormônios.

6
Sal e Sódio
O sal e o sódio muitas vezes são confundidos, apesar de serem dois nutrientes diferentes. O sal de mesa é composto por dois elementos: sódio e cloreto. O sódio, portanto, é apenas um dos elementos que compõe o sal, representando 40% da sua composição.

7
Vitaminas e Minerais
Vitaminas e minerais são nutrientes essenciais para o corpo funcionar corretamente, mesmo que necessários em pequenas quantidades.

Via Vida Saudável – Sadia

Ao beber ou comer alimentos ácidos, Aguarde para ESCOVAR seus dentes.

Ao comer ou beber alimento ácidos, Aguarde para  ESCOVAR

Não é uma boa ideia correr ao banheiro para escovar os dentes logo depois de ingerir um suco de laranja ou uma fruta cítrica. Após o consumo de algum alimento mais ácido, espere aproximadamente 40 min para fazer sua escovação. Antes disso, você pode fazer apenas um bochecho com água para retirar o excesso de acidez pois o ácido “ataca” o esmalte dental e, se a escova e a pasta entram rapidamente em ação, vão ajudar a desgastar ainda mais essa proteção natural. Só uns 40 minutos mais tarde você deve realizar a higiene completa.

Existe também o fato de que qualquer alimento ou bebida com índices elevados de acidez, como o tomate, os frutos cítricos, os sumos de frutas ou o vinho tinto, pode aumentar o nível de acidez da sua boca. Com o tempo, a acidez acumulada na boca pode corroer o esmalte dos dentes e isso afeta consideravelmente a beleza do seu sorriso. Para que isso não aconteça, é essencial conhecer quais são os alimentos ricos em ácidos e isso não é uma tarefa de fácil execução, pois eles não são assim tão óbvios. Deve consultar todas as informações que se encontram no verso das embalagens e ter em atenção que alguns cereais, pães e até determinados tipos de peixe podem ser classificados como ácidos.

Engula essa: mastigar gelo pode fazer mal para seus dentes

Engula essa: mastigar gelo pode fazer mal para seus dentes

Enquanto liqüidificadores e moedores de gelo são perfeitos para triturar cubos de gelo, os dentes não são.

Muitas pessoas habitualmente mastigam gelo, especialmente nos meses de verão. É nesse período que os consultórios odontológicos ficam lotados de pacientes sofrendo de lesões gengivais e dentes quebrados. A American Dental Association afirma que evitar mastigar gelo é uma forma simples de evitar lesões dentais.

Para se refrescar, em vez de triturar grandes pedras de gelo com os dentes, os dentistas recomendam deixar o gelo derreter na boca como bala. O dentistas recomendam também cenouras ou maçãs para refrescar os “mastigadores” que desejam um barulho crocante.

Porém, qualquer um que tenha um hábito persistente de mastigar gelo e sinta dificuldade de abandoná-lo deve informar seu dentista. Desejos específicos, como o de mastigar gelo, geralmente estão associados com anemia ferropriva.

Como sugere o nome, a anemia ferropriva deve-se à quantidade insuficiente de ferro. O corpo necessita de ferro para formar a hemoglobina, uma substância presente nas células vermelhas do sangue que possibilita o transporte de oxigênio.

Esse tipo de anemia é comum. Cerca de 20% das mulheres, 50% das gestantes e 3% dos homens têm deficiência de ferro. Freqüentemente ela é corrigida com a suplementação de ferro.
Associação Dental Americana.

Dica de App

Dica de App

Where’s my Water
Esse aplicativo da Disney pede que a criança ajude o jacaré a tomar banho. Vai ser preciso cavar a terra e desviar o esgoto, além de achar patinhos, buchas e sabonetes perdidos. “O João adora as músicas e as caras que o jacaré faz. Ele ri bastante quando joga”, diz Silvia Baliero, editora do site da Época Negócios. “A interface é intuitiva e as crianças gostam de ver o que acontece com a água de acordo com os movimentos que fazem”, diz Maurício.
Plataformas: Android, iPad e iPhone / Idade: 4 anos