Arquivo da tag: açúcar

Saiba a quantidade de açúcar nos alimentos mais consumidos

O açúcar está presente em vários alimentos, sendo utilizado principalmente para deixá-los mais saborosos. Pequenas quantidades de alimentos como achocolatado e ketchup fazem com que a dieta fique rica em açúcar, favorecendo o aumento do peso e a propensão para desenvolver diabetes.

A lista abaixo traz a quantidade de açúcar presente em alguns alimentos, sendo representado por pacotinhos de 5 g de açúcar.

1. Refrigerante

Os refrigerantes são bebidas ricas em açúcar, e o ideal é trocá-los por sucos naturais de fruta, que contêm apenas o açúcar já presente nas frutas e além disso, os sucos naturais são ricos em vitaminas importantes para o bom funcionamento do organismo. Veja dicas para fazer compras saudáveis no supermercado e manter a dieta.

Saiba a quantidade de açúcar nos alimentos mais consumidos

2. Chocolate

Os chocolates são ricos em açúcar, principalmente o chocolate branco. A melhor opção é escolher o chocolate amargo, com pelo menos 60% de cacau, ou o ‘chocolate’ de alfarroba, que não é preparado com cacau, mas com alfarroba.

Saiba a quantidade de açúcar nos alimentos mais consumidos

3. Leite condensado

O leite condensado é feito apenas com leite e açúcar, devendo ser evitado na alimentação. Quando necessário, em receitas, deve-se preferir o leite condensado light, lembrando que mesmo a versão light também é muito doce.

Saiba a quantidade de açúcar nos alimentos mais consumidos

4. Creme de avelã

O creme de avelã tem como principal ingrediente o açúcar, sendo preferível utilizar patês caseiros ou geleia de frutas para consumir com torradas ou passar no pão.

Saiba a quantidade de açúcar nos alimentos mais consumidos

5. Iogurte

Para produzir iogurtes mais saborosos, a indústria adiciona açúcar na receita desse alimento, sendo ideal consumir iogurtes light, que são feitos apenas a partir do leite simples ou o açúcar natural.

Saiba a quantidade de açúcar nos alimentos mais consumidos

6. Ketchup

O ketchup e molhos barbecue são ricos em açúcar, devendo ser substituídos por molho de tomate, que é rico em antioxidantes que ajudam na prevenção de doenças como câncer.

Saiba a quantidade de açúcar nos alimentos mais consumidos

7. Biscoito recheado

Além de muito açúcar, os biscoitos recheados também são ricos em gordura saturada, que aumenta o colesterol ruim. Assim, o ideal é consumir biscoitos simples sem recheio, de preferência integrais, ricos em fibras.

Saiba a quantidade de açúcar nos alimentos mais consumidos

8. Cereais do café da manhã

Os cereais utilizados no café da manhã são muito doces, principalmente os de chocolate ou com recheio por dentro. Por isso, deve-se preferir cereais de milho ou as versões light, que contêm menos açúcar adicionado.

Saiba a quantidade de açúcar nos alimentos mais consumidos

9. Achocolatado

Cada colher de achocolatado normal contém 10 g de açúcar, devendo preferir as versões light, que além de serem ricas em vitaminas e minerais, também são saborosas.

Saiba a quantidade de açúcar nos alimentos mais consumidos

10. Gelatina

O principal ingrediente da gelatina é o açúcar, e por ela ser de fácil digestão, aumenta rapidamente a glicemia, favorecendo o aparecimento de diabetes. Por isso, o ideal é consumir a gelatina diet ou zero, que são ricas em proteínas, nutriente ideal para fortalecer o corpo.

Saiba a quantidade de açúcar nos alimentos mais consumidos

Fonte: Tua Saúde:dieta e nutrição

Você consome açúcar com muita frequência?

 

1920113_10151987257661638_1859364031_n
Alerta: Apenas uma lata de refrigerante por dia já ultrapassa o limite diário de açúcar, segundo ONU(Foto: via JornalCiencia )

açucar

 

 

 

 

 

 

Fonte : Crescer sorrindo

De olho no consumo de açúcar …

As bebidas vendidas em redes de cafeteria com ‘níveis alarmantes de açúcar’

Thinkstock

Um grupo de especialistas britânicos descobriu que bebidas vendidas em redes de cafeterias tem quantidades “alarmantes” de açúcar – mais até do que refrigerantes.

A Action Sugar analisou 131 bebidas quentes de redes britânicas como Starbucks, Costa e Caffe Nero e descobriu que um terço delas continha pelo menos tanto açúcar como uma lata de Pepsi ou Coca-Cola, que têm o equivalente a nove colheres de chá da substância.

A ONG britânica disse que em alguns dos casos mais extremos, as bebidas continham 20 colheres de chá de açúcar ou mais.

Segundo a Organização Mundial da Saúde a recomendação é de que o consumo diário de açúcar não ultrapasse 10% das calorias ingeridas diariamente, em uma dieta saudável, o que daria cerca de 50 g por dia. Mas a organização afirma que seria melhor diminuir até esta quantia mínima.

“Maiores benefícios à saúde podem ser alcançados se o consumo diário de açúcar for reduzido para 5% das calorias ingeridas (ou cerca de 25g de açúcar por dia)”, afirmou a OMS em um relatório de março de 2015.

Redes de cafeterias como a Starbucks e a Costa afirmam que se comprometem em reduzir o açúcar em suas bebidas.

Rótulo vermelho

Entre as bebidas avaliadas estavam cafés de sabores como mocha e latte, bebidas quentes com sabor de fruta e chocolate quente de cafeterias e também de redes de fast-food.

A organização britânica descobriu que 98% das bebidas testadas receberiam um rótulo vermelho com um alerta – se fossem produtos vendidos em supermercados – mostrando que a bebida é inadequada devido à grande quantidade de açúcar.

PA
Image caption
OMS recomenda consumo de 50g de açúcar por dia

Uma das bebidas encontradas no Starbucks da Grã-Bretanha, uma bebida quente com frutas – uva com chai, laranja e canela, no tamanho “venti” (grande) – é a com maior conteúdo de açúcar entre as bebidas analisadas, com 25 colheres de chá de açúcar por porção.

Em segundo lugar ficou o Chai Latte-Massimo-Eat In da rede Costa Café, com 20 colheres de açúcar.

E, em terceiro, novamente o Starbucks com o Mocha de Chocolate Branco com Chantilly, tamanho grande: 18 colheres de açúcar, segundo a Action Sugar.

A pesquisadora da ONG, Kawther Hashem, pediu que as redes de café reduzam a quantidade de açúcar em suas bebidas, coloquem mais informações nos rótulos e acabem com os copos de tamanho grande. Além disso, a pesquisadora também alertou para que o consumo diário dessas bebidas fosse evitado.

“Estas bebidas quentes devem ser algo ocasional, não uma bebida comum, de todo o dia. Elas estão carregadas com uma quantidade inacreditável de açúcar e calorias e, frequentemente, são acompanhadas de um petisco com muito açúcar e gordura”, disse.

Hashem disse à BBC que ficou “surpresa” com os resultados e disse que a Action Sugar testou apenas as bebidas vendidas em tamanho grande.

Graham MacGregor, presidente da organização, disse que “este é mais um exemplo das quantidades escandalosas de açúcar adicionadas à nossa comida e bebida”.

Uma porta-voz da rede Starbucks afirmou que a empresa está “comprometida em reduzir o açúcar adicionado” às bebidas em 25% até o ano de 2020 em sua linha de “bebidas indulgentes”.

“Nós também oferecemos uma grande variedade de opções mais leves, caldas sem açúcar, adoçantes naturais também sem açúcar e mostramos todas as informações nutricionais (dos produtos) na loja e online”, disse.

Kerry Parkin, chefe de comunicações da rede Costa, afirmou que a rede já tomou “medidas significativas” para reduzir a quantidade de açúcar em suas bebidas.

Fonte :  BBC Brasil

Parkin acrescentou que a rede vai estabelecer metas de redução de sal e açúcar até 2020.

Organização Mundial da Saúde associa diminuição de açúcar à redução de cáries e ganho de saúde

A saúde bucal é uma das principais preocupações da Organização Mundial da Saúde, que divulgou novas diretrizes sobre a ingestão de açúcar.

Organização Mundial da Saúde associa diminuição de açúcar à redução de cáries e ganho de saúde

Informações: APCD


O ideal é reduzir o consumo de açúcar em todas as suas formas para menos de 10% de todas as calorias diárias ingeridas. Em um passo adiante, reduzindo ainda mais esse consumo para 5% – seis colheres de chá por dia –, o ganho será maior.

Estudo publicado pela organização no ano passado diz que, para combater efetivamente o surgimento de cárie, a recomendação global é reduzir mais ainda a ingestão de açúcar, restringindo a 3%. Além do açúcar que usamos para adoçar bebidas e preparar sobremesas, também os alimentos que levam açúcar em sua composição, como refrigerantes, doces, balas, molhos, ketchup etc., contribuem para o enfraquecimento dos dentes e o aparecimento de lesões de cárie.

Apesar de os problemas de saúde bucal serem muito pouco comunicados à OMS, pesquisadores dizem que o açúcar também está associado a uma alimentação mais empobrecida do ponto de vista nutricional, ao ganho de peso e obesidade, além de aumentar os riscos para doenças crônicas. O intuito desse tipo de estudo é pressionar a indústria para que novas regras sejam estabelecidas com relação à adição de açúcar à composição dos alimentos e garantir que as campanhas defendam os interesses da população – como as campanhas antitabagistas.

“A bem da verdade, não é o açúcar que estraga os dentes. Mas, o ácido produzido quando comemos açúcares e carboidratos. Esse ácido ataca sem piedade o esmalte dos dentes, podendo resultar em lesões de cárie e outros problemas orais mais graves. Além de reduzir a ingestão de doces e balas, o ideal é escovar os dentes imediatamente depois de se alimentar, lembrando-se de jamais ir para a cama sem providenciar uma boa higiene bucal. Outra dica é reduzir a ingestão de café e chá durante o dia. Tem gente que, ao longo da jornada de trabalho, toma café de hora em hora. Além do tanino, que mancha o esmalte dos dentes, normalmente essas bebidas são adoçadas com açúcar refinado – uma combinação terrível para a beleza do sorriso”, diz Sandra Kalil Bussadori, professora de Odontopediatria da EAP-APCD, Escola de Aperfeiçoamento Profissional da Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas.

Outra recomendação da especialista é ingerir, desde pequenos, bastante água durante o dia. Além de fazer bem para a saúde, é ótimo para os dentes. “Uma grande qualidade da água é sua capacidade de ‘lavar’ a boca, impedindo altas concentrações de bactérias que resultam em formação de lesões de cárie e outras doenças orais. Mas, atenção: a água engarrafada não tem a mesma concentração de flúor que a água potável, tratada e distribuída nas residências brasileiras. E é graças ao flúor que a estrutura dos dentes se torna mais resistente a lesões de cárie. Sendo assim, o ideal é encher uma garrafinha com água por várias vezes ao dia para se hidratar como se deve”.

 

Especialistas em saúde se unem por campanha contra o açúcar

Especialistas em saúde se unem por campanha contra o açúcar

LONDRES, Reino Unido: Com o objetivo de encarar e reverter as epidemias de obesidade e diabetes, especialistas em saúde de todo o mundo formaram um grupo chamado Ação e Açúcar (Action and Sugar). A meta é educar o público sobre os perigos do açúcar invisível e alertar sobre as quantidades de açúcar adicionadas às comidas e bebidas, as quais acredita-se, contribuírem para a crescente crise de obesidade, bem como paras as doenças dentárias como o apodrecimento de dentes.

A iniciativa calcula que de 20 a 30 % da redução de açúcar utilizado na indústria alimentícia resultariam na redução do consumo calórico e, aproximadamente 100kcal por dia ou mais em pessoas particularmente mais propensas a obesidade. Eles acreditam que essa redução poderia reverter ou desacelerar a epidemia de obesidade, e teriam significativo impacto em reduzir outras doenças crônicas, incluindo as doenças bucais.

O chefe executivo da Fundação de Saúde Oral Britânica (BDHF – British Dental Health Foundation), Dr. Nigel Carter, OBE, aprovou a campanha, devido aos efeitos adversos de grandes quantidades de açúcar na saúde bucal. “O consumo exagerado de alimentos e bebidas adoçados podem potencializar o aumento do risco de erosão dental e apodrecimento dos dentes”.

De acordo com a BDHF os índices mais recentes demonstram que mais de 3 em cada 10 crianças em idade escolar têm sinais de apodrecimento de dentes, enquanto um terço das crianças de 12 anos tem problemas dentais visíveis.

Aubrey Sheiham, professor emérito da Universidade de Londres, que é um dos 18 especialistas do Action on Sugar, disse: “Açucares são a principal causa da doença dental mais comum no mundo: Cáries. Se qualquer produto da dieta causasse o apodrecimento de qualquer outra parte do corpo ele seria severamente controlado. Ainda sim, açúcares corroem o tecido humano mais duro –Dentes – e muito pouco é feito para controla-los. Assim, políticas deveriam ser formuladas para desenvolver produtos, como papinha de nenê, outros alimentos e bebidas, sem adição de açúcar.

O Action on Sugar é um grupo de especialistas trabalhando para chegar a um consenso com a indústria alimentícia e governo sobre os efeitos danosos de uma dieta rica em açúcar, e levar a uma redução da quantidade de açúcar em alimentos processados.
Via Dental Tribune

SUBSTITUTOS PARA O “VILÃO AÇUCARADO”!

A preocupação com a saúde estimula os segmentos de pesquisa a buscarem alternativas para o “doce veneno” chamado açucar.

Muito além do conhecido aumento no risco das cáries, especialmente para aqueles que comem muito açucar refinado e higienizam mal os dentes, valorizamos os danos a saúde gerados por esse produto e que levam a prejuízos orgânicos comparáveis aos de excessos com bebidas e cigarros.

Para os que não conseguem viver sem doces, pelo “paladar condicionado”, pintaram novidades interessantes a saúde e para o auxílo da boa dentição. O agave, por exemplo, é uma planta mexicana de onde é retirado um xarope adocicado com a consistência do mel.

Esse xarope pode ser usado para adoçar comidas e bebidas sem preocupação, pois não engorda como o açucar. Afinal tem apenas 3,34 calorias por grama.

Ao que parece, o agave é uma opção mais saudável que o açucar e o próprio mel, pois é um alimento orgânico, de baixo índice glicêmico, que apresenta poder adoçante maior do que o açúcar comum, é 100% natural, sem glúten e sem lactose.

Ele pode ser usado no preparo de alimentos, caso de bolos, doces e tortas, mas deve ser consumido com moderação. Como é uma fonte de frutose, seu consumo exagerado pode aumentar os níveis de triglicérides e de glicemia, não sendo indicado para os diabéticos. Apesar disso é uma opção nutritiva, rica em sais minerais, ferro, cálcio, potássio e magnésio a maioria das pessoas.

Já diabéticos ou não diabéticos e, especialmente os com medo das cáries tem uma outra opção, o FOS (fruto-oligossacarídeos). Além de não engordar, o FOS tende a cooperar com a redução no risco de cáries e pode ser usado por diabéticos. Ele não engorda porque sua molécula é muito grande para ser quebrada pelo organismo. Isso já não acontece com a do açúcar.

Atualmente é tido e reconhecido como um alimento funcional recomendado a saúde e a “doce prevenção de cáries”!

De resto fica a recomendação de uma boa higiene bucal para a preservação do melhor ao seu sorriso!

TePe