Arquivo da tag: bruxismo infantil

Como identificar Bruxismo Infantil?

Como identificar Bruxismo Infantil?

Bruxismo é definido como “a atividade muscular mandibular repetitiva caracterizada por apertar, ranger forçar ou empurrar a mandíbula, o que pode ocorrer durante a vigília e/ou sono”.

Pode ser classificado de duas formas:

Bruxismo primário

O bruxismo primário é um distúrbio crônico, persistente que aparece na infância e na adolescência.

Bruxismo secundário

É associado a algumas condições, ou após a exposição do paciente a fatores ambientais.

Cada vez mais as evidencias mostram que o bruxismo tem origem central e não periférica e suas possíveis causas baseadas em conhecimentos científicos são:

  1. Genética (21% a 50%);
  2. Estresse;
  3. Obstrução de vias aéreas superiores;
  4. Síndrome da apneia obstrutiva do sono;
  5. Hábitos para dormir;
  6. Transtorno de déficit de atenção e hiperatividade;
  7. Doenças neurológicas.

O diagnóstico pode ser feito através do auto relato do paciente, observando clinicamente o desgaste da estrutura dental e com exames de polissonografia, que também monitoram a atividade muscular do paciente durante o sono – este é considerado o diagnóstico mais confiável hoje em dia, porém, apresenta limitações como: o alto custo, disponibilidade do paciente e cooperação da criança durante o exame.

No caso do bruxismo infantil, é sempre mais difícil ser feito o diagnóstico, pois vai depender do auto relato da criança, que nem sempre percebe a mudança na sua postura mandibular, e as características físicas que auxiliam no diagnóstico, como: língua adentada e linha alba (hiperqueratose da mucosa da bochecha) que aparecem com mais frequência em adultos e adolescentes.

O tratamento se dá em controlar os fatores associados e proteger as estruturas dentais, que basicamente são feitas com o uso de placas de acrílico que recobrem as superfícies oclusais que estiverem em contato, sempre levando em consideração o crescimento dos arcos dentais da criança.

É importante lembrar que o tratamento deve ser realizado com um profissional capacitado, e que para cada caso será realizado um tratamento especifico.

E no seu consultório, já atendeu muitos casos de bruxismo infantil? Conte aqui nos comentários pra gente como foi o processo de diagnóstico!

Referências:

Seu filho range os dentes quando dorme? Saiba o que fazer

Ranger os dentes não é um problema exclusivo de adultos. Muitas crianças sofrem com o bruxismo, ou seja, apertam os dentes, principalmente enquanto dormem.

Problema está associado a múltiplos fatores que também devem ser tratados

Esse tipo de bruxismo é chamado de bruxismo do sono e parece estar associado com algumas condições. A primeira é a genética, uma vez que pesquisas apontam ocorrência da condição em determinadas famílias, além de indícios laboratoriais nesse sentido. Outras condições são ambientais e aparecem como fatores iniciadores ou exacerbadores, como obstrução de vias aéreas (casos de rinite e asma por exemplo), apneia obstrutiva do sono, qualidade do sono ruim, refluxo gastroesofágico, alguns medicamentos com ação no sistema nervoso central, Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH), alterações neurológicas (paralisia cerebral, síndrome de Down).

Como é possível perceber que isso está acontecendo?
O responsável pela criança (normalmente a mãe) relata escutar o barulho provocado pelo atrito entre os dentes. Essa informação é fundamental e pode ser complementada pela investigação clínica, feita pelo cirurgião-dentista, que pode perceber desgastes nos dentes. No entanto, o diagnóstico mais confiável é feito por um exame chamado polissonografia, que monitora o sono do paciente.

Tem cura?
Só se pode falar em “cura” a partir do momento em que se identifica a causa adversa causadora do bruxismo e ela possa ser sanada.  Vale ressaltar que é muito difícil para o profissional garantir essa remissão (cura) do bruxismo, visto que vários fatores podem estar presentes e nem sempre são fatores controláveis.

A maior complicação do bruxismo é a perda do tecido dentário
A maior complicação do bruxismo é a perda do tecido dentário

Foto: Julija Sapic / Shutterstock

Qual o tratamento?
O tratamento consiste em identificar e controlar fatores associados e proteger as estruturas dentárias com dispositivo bucal que deve ser usado durante o sono.

Quem range os dentes na infância vai rangê-los quando adulto?
Muito difícil fazer essa previsão (prognóstico), mas sabe-se que se o bruxismo for do tipo “primário”, possivelmente a causa é genética e pode persistir durante a fase adulta.

Quais as complicações que a criança pode ter por ranger os dentes?
A maior complicação é a perda do tecido dentário. O dente uma vez desgastado não se recupera e a reabilitação (restauração) é muito difícil e inviável na maioria das vezes.

Tem como prevenir?
Não se conhece um protocolo preventivo para bruxismo, entretanto, se o cirurgião-dentista conhecer bem os fatores associados, pode fazer as orientações no sentido de evitá-los para que não ocorra o bruxismo secundário.

Bruxismo Infantil – Causas e Soluções

Bruxismo Infantil - Causas e Soluções

BRUXISMO INFANTIL
Esse hábito tem gerado uma grande preocupação para os pais pois atualmente tem sido cada vez mais frequente nas crianças.

Afinal o que é o bruxismo?
O bruxismo é o ato de apertar ou ranger os dentes. Pode acontecer de dia ou durante o sono e ser de forma consciente ou inconsciente

E por que acontece?
Alguns profissionais chegam a comentar que é comum observar o ranger dos dentes em crianças até os 6 anos por uma necessidade natural do organismo de acomoda-los e se preparar para a troca da dentição. Até esta idade a criança através dos movimentos de lateralidade pode apresentar uma abrasão das pontas dos caninos, e esta atividade muscular ativa o crescimento e desenvolvimento fisiológico das bases ósseas. Esse é o bruxismo considerado “fisiológico”.
Precisamos no entanto ficar atento para o bruxismo “patológico”, onde o desgaste dental é mais importante e a criança pode apresentar dores musculares, dores de cabeça ou dores na ATM (articulação temporo mandibular). Nesse caso, o diagnóstico preciso é bastante difícil por se tratar de um problema com causas multifatoriais.

Dentre as possíveis causas podemos citar :
– fatores oclusais: quando existem interferências dentais que impedem que a mordida tenha um bom encaixe;
– fatores de ordem sistêmica: respiração bucal, deficiências nutricionais, disturbios neurológicos (p. ex. autismo);
– fatores emocionais : stress, agenda lotada de atividades, a chegada de um irmão, divórcio na família, escola nova, hiperatividade , entre outros;
– fatores hereditários;
– hábitos alimentares inadequados. Crianças que não mastigam alimentos consistentes e não usam a sua função mastigatória podem procurar suprir esta necessidade através do ranger dos dentes.

Como tratar?
A literatura sobre o bruxismo infantil é escassa e não existem certezas sobre as causas, nem fórmulas mágicas para eliminar rapidamente o hábito. Assim, cada paciente deve ser analisado e tratado individualmente pelo dentista.
Se a causa for uma interferência dental, um ajuste oclusal ou o uso de aparelho ortodôntico será necessário a fim de proporcionar maior conforto e equilíbrio para essa mordida. O uso de placas de mordida para crianças é um tanto controverso pelo fato de interferir no crescimento natural da arcada dentária. A idade para se começar algum tratamento depende da gravidade do caso e da colaboração da criança.
Algumas vezes pode ser necessária a ação de outros profissionais da saúde, como: pediatras, psicólogos, otorrinolaringologistas e fonoaudiólogas. Enfim, cada caso é único e deverá ser tratado o mais cedo possível.

Podemos prevenir o bruxismo?
É possível minimizar as chances da criança ter bruxismo através do acompanhamento periódico do odontopediatra, que estará atento aos possíveis sinais e sintomas

Dicas para os pais:
– Estimular alimentos fibrosos e em pedaços desde pequenos, para que possam desenvolver uma mastigação vigorosa e eficiente.
– Ter cuidados com hábitos prolongados de chupeta e mamadeira. Eles alteram a mordida da criança podendo criar interferências dentais e alterações musculares e ósseas.
– Procurar propiciar um ambiente tranquilo que anteceda o sono. Evite deixar luzes acesas, assistir televisão ou usar o computador ou videogame antes de ir para a cama
– Atenção na hora de programar a rotina de atividades de seu filho. Lembre que crianças precisam de tempo para brincar.

Fonte:Pediatria em Foco