BRUXISMO DO SONO-SAIBA MAIS

Bruxismo do sono na criança merece atenção! Não é “fisiológico” e não tem origem nos dentes!

Vamos conversar sobre alguns conceitos que ainda são falados quando ao assunto é bruxismo do sono?  Minha lista de crenças sobre o assunto é enorme! Mas hoje vamos focar em apenas alguns tópicos para entender um pouco sobre a crença (ainda vigente!!) de que dentes desempenham papel importante na origem do bruxismo…

Bruxismo do sono está relacionado com troca de dentes? Não!  

– Isso é uma crença que se perpetuou e por isso fica a impressão para muitos que o bruxismo ocorre nessa fase.
– Não existe nenhum embasamento para isso!
– O bruxismo do sono se inicia por um comando de sistema nervoso central e os dentes não participam em nenhum momento da fisiopatologia!
Que tal ler esse artigo aqui => clique aqui e aqui nessa revisão do Prof Lavigne e cols.

troca dentes 1

Aparelhos ortopédicos, ortodônticos e/ou ajustes oclusais são condutas válidas para bruxismo? Não!
Vamos seguir o raciocínio da fisiopatologia?
– A origem é… Central!!! OK! Isso está bem sedimentado por pesquisas sérias!
Então, porque utilizar técnicas de alteração da oclusão (ortodontia e/ou ortopedia) nesses casos? Não faz o menor sentido. :/
– O contato dentário é o final de toda cadeia do processo de bruxismo do sono.
Vamos ler mais sobre o assunto? clique aqui  e aqui também 😉

troca dentes 1

Atenção para os outros fatores causais!
– Outros fatores têm sido mais estudados e entendidos como causal no caso de bruxismo do sono.
Precisamos avaliar cada paciente.  Para sabermos como tratar uma criança com bruxismo é necessária uma investigação complexa.Não podemos subestimar a importância dessa condição tão complexa !!

troca dentes 1

Bruxismo e stress

Bruxismo do sono e criança estressada. Essa dobradinha está sempre presente?

FONTE: Dra Adriana Lira Ortega

Será que a associação causal entre estresse e bruxismo do sono (BS) é direta e sempre frequente? É muuuitooooo comum ouvir mães e colegas sempre justificando a presença do BS porque a criança tem ou está com algum foco de estresse: trocou de escola, os pais brigaram, nasceu um irmãozinho, o peixinho morreu e por aí vai… Mas sem dúvidas, é muito fácil achar um foco de ansiedade em qualquer pessoa, inclusive em crianças! Procura que acha.

dtm-child-1

Bem, apesar da associação estar bem descrita na literatura, algumas considerações podem ser feitas. Vamos lá:

1.   A Associação é causal ?

Poderíamos encontrar uma justificativa biológica no movimento mandibular durante o sono frente a presença de um fator estressante ou ainda, uma personalidade ansiosa? Não vejo “motivo”… :/

O Bruxismo do Sono pode ser justificado na presença de refluxo ou na diminuição do fluxo de ar, porque nesses casos o movimento mandibular tem função. No caso de ansiedade e estresse não existe função para o movimento. A pessoa tensa contraí músculos e aperta os dentes, não range…

2.       Nem toda pesquisa encontra a associação… Ou seja, não existe “consistência”, que é um dos critérios de Hill para identificar associação causal. Leia sobre associação causal!!

Recentemente a Nélia Medeiros Sampaio, uma profissional comprometida e competente,  que tive o prazer de orientar no Doutorado, publicou o resultado de uma pesquisa onde investigamos estresse e BS em 246 indivíduos: crianças e suas mães. A avaliação psicológica foi feita por um psicólogo, especialista e professor universitário na área.

Resumidamente, o que encontramos?

  • Aumento na chance de ocorrência de BS nas crianças foi observado quando as mães também apresentavam (olha a genética aí!!!! 🙂 )
  • Stress psicológico não estabeleceu associação significante com BS, nem nas crianças nem nas mães, mesmo quando o instrumento de diagnóstico identificou níveis aumentados de stress.
  • Estresse materno, como um possível fator ambiental, não influenciou na ocorrência de BS na criança.
  • criança cobrindo rosto

Assim, os achados desse estudo dão uma dica…  É necessário procurarmos também causas orgânicas ao invés de focarmos a atenção apenas no aspecto psicológico. Obviamente é extremamente importante prestar atenção nos aspectos psicológicos. Mas não fazendo a associação imediata e sem investigar outros fatores etiológicos presentes!

Quer ler o artigo completo? Ele está disponível na íntegra no site da Sleep ScienceSampaio NM, Oliveira MC, Andrade AC, Santos LB, Sampaio M, Ortega AL. Relationship between stress and sleep bruxism in children and their mothers: A case control study . Sleep Sci. 2018;11(4):239-244.

Você sabe o que é o Bruxismo?

Você sabe o que é o Bruxismo? Essa alteração, que acomete cada vez mais crianças em todo o mundo precisa de diagnóstico preciso e especializado. O rangimento dos dentes pode trazer problemas aos dentes de leite e permanentes. Enquanto acomete os dentes de leite, não se justifica grandes terapias, caso haja ausência de sinais clínicos como dor muscular ou de cabeça. De qualquer forma a decisão de terapia só será realizada após consulta com seu odontopediatra. Por outro lado, quando os dentes permanentes aparecem na cavidade bucal, geralmente por volta dos 6 anos, mais atenção é necessária. Esse dente do fundo, chamado de primeiro molar permanente, aparece num antigo “vazio”, sem que nenhum dente de leite caia (muitos pais nem sabem de sua existência). Quando em contato com o outro dente permanente antagonista (o de cima tocando no de baixo), os mesmos podem se desgastar frente ao bruxismo. E, diferente dos dentes de leite, eles precisam resistir a muitas décadas de vida, por isso, qualquer mínimo desgaste pode significar a necessidade de um tratamento. Visite seu Odontopediatra para um diagnóstico precoce desse desgaste.

brux

 

LEGENDA: SETA 1 – PONTA DO DENTE AINDA INTACTA, SETA 2 – PONTA DO DENTE JÁ DESGASTADA AOS 7 ANOS DE IDADE

Fonte : Dr Gabriel Politano

Bruxismo: além da placa miorrelaxante

No controle do bruxismo, apenas indicar a placa miorrelaxante pode não ser suficiente. De acordo com as informações de Adriana Oliveira Lira Ortega, mestre em Disfunção Temporomandibular e Dor Orofacial, é necessário uma abordagem multidisciplinar.

A cirurgiã-dentista explica que o diagnóstico do distúrbio pode ser feito em três níveis: possível, onde há o relato do paciente; provável, onde há o relato e o desgaste da dentição; e definitivo, que reúne relato, desgaste e exame de polissonografia. “O dentista não pode diagnosticar o bruxismo sem que exista alguma reclamação do paciente”, ressalta a também professora do curso de Odontologia da Universidade Cruzeiro do Sul.

Além disso, é preciso que o cirurgião-dentista identifique os fatores associados ao quadro do paciente, como obstrução das vias aéreas superiores, apneia do sono e refluxo gastroesofágico, relacionados ao bruxismo do sono, ou ansiedade e concentração demasiada, no caso do bruxismo de vigília. “O bruxismo de vigília é de origem comportamental, então é preciso conscientizar o paciente a mudar”, explica Adriana.

O aplicativo Desencoste seus Dentes, idealizado pelo cirurgião-dentista Roberto Garanhani, de Florianópolis, pode ajudar nessa tarefa. O programa emite lembretes ao longo do dia, além de trazer informações de bruxismo e seus efeitos na saúde bucal.

Outro fator que pode provocar o bruxismo é o uso de medicamentos, como benzodiazepinas que atuam no sistema nervoso. Segundo a professora, após a identificação de todos os fatores, pode-se fazer o controle adequado do bruxismo, já que não é possível fazer um prognóstico de quando o paciente não sofrerá mais desse problema.

A especialista diz ainda que o dentista deve conciliar o seu trabalho com o de outros profissionais, como otorrinolaringologista, profissional de Medicina do Sono, gastroenterologista ou psicólogo, para tratar e acompanhar aquilo que está provocando o distúrbio. “Aí sim, indicar a placa de mordida ao paciente”, afirma a especialista.

Para a professora, o mais importante aos profissionais de Odontologia é a incessante informação a respeito dessa desordem, para assim orientarem os seus pacientes. “Antigamente pensava-se que o bruxismo era causado pela oclusão dentária, e hoje já se sabe que não é assim. Além disso, os estudos a respeito são bem diferentes, e apresentam resultados diversificados. Isso mostra como é importante a atualização do profissional”, conclui.

Fonte: ABO

O que é bruxismo?

 O que é bruxismo?

Bruxismo é o hábito de encostar, comprimir ou ranger os dentes. Então, quando alguém diz “Eu não tenho bruxismo, eu só aperto dentes”, na verdade apresenta um tipo de bruxismo, caracterizado por apertamento. A forma mais recente de se classificar o bruxismo é pelo período em que ele ocorre, se durante o sono ou quando estamos acordados.

 Quais as principais diferenças entre bruxismo do sono e bruxismo em vigília?

bruxismo em vigília é considerado um hábito parafuncional, como roer de unhas, morder objetos, etc. Normalmente o paciente permanece por períodos longos apertando ou encostando os dentes, principalmente em momentos de tensão, estresse ou até mesmo quando está concentrada lendo um livro, estudando, usando o computador ou assistindo TV. Por manter a musculatura em uma mesma posição por muito tempo, este tipo de bruxismo parece estar mais relacionado às dores musculares. O bruxismo em vigília pode também aparecer como efeito colateral de algumas medicações, sobretudo medicações utilizadas no tratamento da ansiedade; mal de Parkinson e outros problemas motores, o que não é tão comum.

bruxismo do sono (BS) é considerado um distúrbio de movimento relacionado ao sono. Neste tipo de bruxismo é mais comum o ranger de dentes, o que não ocorre durante toda a noite, mas vem em crises, principalmente nas fases de sono mais leves.

O BS pode ser primário (não relacionado a nenhuma outra alteração) ou secundário a medicações como inibidores seletivos da recaptação de serotonina (IRSS) (fluoxetina, paroxetina, venlafaxina, etc), mal de Parkinson, distúrbios respiratórios (ronco, apnéia), etc.

 

No BS primário parece haver uma desproporção de neurotransmissores no cérebro e pode ser que seja hereditário. Mas ainda estão se estudando o porquê de sua ocorrência. Os fatores emocionais não são causa de BS mas podem aumentar sua freqüência.

Fonte: Dra Juliana Stuginski-Barbosa

USP procura voluntários para pesquisa sobre bruxismo

USP procura voluntários para pesquisa sobre bruxismo

Muitas pessoas apertam e rangem os dentes enquanto dormem. E este é um problema progressivo que pode desgastar e até mesmo amolecer os dentes. O resultado é dor de cabeça, na coluna, fratura no dente, entre outros.

O Projeto Bruxismo, da Faculdade de Odontologia da USP, procura voluntários que sofrem com o problema para desenvolver o melhor tratamento inicial para o distúrbio – se deve começar com fisioterapia ou odontologia.

Para testar a eficácia inicial dos dois métodos juntos, serão aplicados dois tipos de intervenções fisioterápicas – alongamento muscular e massagem e terapia de relaxamento e imaginação – e o tratamento odontológico.

Os candidatos devem ter entre 18 e 60 anos, ter bruxismo, sentir dores em regiões como maxilar, pescoço e trapézio, e não terem desgastes dentais muito acentuados, nem mais de dois dentes faltantes.

O próximo passo são avaliações de fisioterapia e em seguida a escolha de um dos tratamentos. Depois serão feitas análises da qualidade do sono, da saúde bucal, dos níveis de ansiedade, estresse e depressão, além da medida do limiar de dor da sensibilidade dentária.

Os cadastros para triagem podem ser feitos pelo telefone (11) 4786-5844 ou pelo e-mail bruxismo.usp@gmail.com.

Beta
Terra

Conheça os sinais do bruxismo

Conheça os sinais do bruxismo

Conheça os sinais do bruxismo

O termo “bruxismo” refere-se ao hábito de pressionar e ranger os dentes presente em muitos adultos e crianças durante toda a vida. O bruxismo ocorre quando os dentes entram em contato de maneira forçada, quer esse contato seja silencioso ou produza sons, especialmente durante o sono.

Por que isso ocorre?
Muitos médicos e dentistas podem desconhecer a causa, mas o bruxismo pode ocorrer devido ao estresse psicológico experimentado pelas pessoas no dia-a-dia. O estresse pode ter sua origem em fatores internos e externos. Os fatores internos podem ser os alimentos que você consome, seu nível de preparo físico, sua estabilidade emocional, estado de saúde geral, nível de bem-estar e o número de horas que você dorme todas as noites. Os fatores externos relacionados com o estresse psicológico têm a ver com o ambiente em que você vive, sua interação com as pessoas quando está em casa e a maneira em que você enfrenta os desafios do dia-a-dia.

O impacto do bruxismo na boca
As consequências do bruxismo são:

– Desgaste do esmalte dentário e até mesmo da dentina;
– Quebra dos dentes e próteses;
– Sensibilidade dentinária;
– Dor e mobilidade dos dentes;
– Dor facial devido à força com que os músculos maxilares são pressionados;
– Dor de cabeça;
– Fadiga facial geral;
– Dor na articulação temporomandibular
– Tratamento

Os portadores de bruxismo devem procurar a ajuda de um dentista/especialista para determinar a causa do problema. O dentista pode recomendar o uso de placas oclusais para evitar a pressão ou o ranger de dentes durante o sono. Além disso, o dentista pode sugerir formas de reduzir o estresse e, portanto, o nível de bruxismo. Você pode também evitar alimentos como chocolate e bebidas que contenham cafeína e álcool. Evite mastigar com muita força e peça a seu dentista ou cirurgião maxilofacial que lhe indique alguns exercícios para relaxar os músculos maxilares durante o dia. Se seu caso dor de um bruxismo for mais severo, o especialista pode recomendar o uso de placa oclusal, assim como prescrever medicamentos para que você relaxe ou durma melhor. Seu dentista pode ajudá-lo a descobrir causa e a amenizar este problema.

Terra

O uso da toxina botulínica e preenchimento facial na Odontologia

O uso da toxina botulínica e preenchimento facial na Odontologia

O uso da toxina botulínica e preenchimento facial na Odontologia

A toxina botulínica, bastante conhecida por suas marcas comerciais (botox, dysport, prosigne, xeomin etc) inicialmente foi utilizada para tratamento de doenças musculares, mas depois foi constatado que ao tratar o estrabismo também atenuava as rugas ao redor dos olhos (pés de galinha). A partir daí passou a ser muito utilizada para eliminar as rugas, distonias, espasmos e hiperidrose (transpiração excessiva). A toxina botulínica é utilizada para tratamento do sorriso gengival ou assimétrico, cefaleia (dor de cabeça) tensional, disfunções temporomandibulares, apertamento dental, bruxismo (ranger dos dentes), hipertrofia do músculo masseter e correção de sequelas cirúrgicas, além de indicações em implantodontia, ortodontia e outras especialidades odontológicas.

O preenchimento facial é uma técnica que pode complementar tratamentos com próteses dentarias e ortodônticos, devolvendo volume dos lábios pode-se restabelecer sua sustentação evitando que as próteses dentarias sejam grossas e pesadas, como também ganho de volume papilar interdental e muitas outras indicações na odontologia.

Por
Dr. Luciano Artioli Moreira

Seu filho range os dentes enquanto dorme?

Seu filho range os dentes enquanto dorme?

Aprenda a identificar se seu filho tem bruxismo

Há pesquisas que registram crianças que rangem os dentes desde os três anos. Normalmente, a mãe ou a pessoa que fica a maior parte do tempo com os pequenos relata que ouve barulho de atrito entre os dentes durante o sono.
As causas do bruxismo podem ser as mais diversas, desde estresse até herança genética. O que espanta é que a doença pode acometer até crianças. Há pesquisas que registram crianças que rangem os dentes desde os três anos. Normalmente, a mãe ou a pessoa que fica a maior parte do tempo com os pequenos relata que ouve barulho de atrito entre os dentes durante o sono.

Segundo a odontopediatra Adriana Ortega, professora da Fundação para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico da Odontologia da Faculdade de Odontologia da USP, caso a mãe esteja desconfiada do problema, o diagnóstico deve ser complementado pelo exame físico, para o odontopediatra investigar se há sinais de desgaste nos dentes. “É importante ressaltar que a identificação dos desgastes é uma informação complementar e sozinha não é determinante para o diagnóstico”.

A parte boa é que nem sempre a criança que tem bruxismo levará o problema para a vida adulta. Ainda assim, caso o problema persista, há meios para controlar seus prejuízos, como o desgaste (irreversível) dos dentes, fratura de restaurações, dores de cabeça e face, além do som desagradável que pode ser incômodo para as pessoas que convivem com a criança.

Este controle é feito com as placas – como são chamados os dispositivos inter oclusais –, usadas durante a noite. “O uso de placas para preservação do tecido dentário é utilizado em todos os pacientes com bruxismo – adultos ou crianças –, o que diferencia é o desenho e adaptação desses aparelhos de acordo com a idade do paciente”, afirma a especialista.

Para investigar a fundo a causa do ranger de dentes é preciso marcar consultas com outros especialistas além do dentista. Isso porque existem fortes evidências que os fatores que desencadeiam o bruxismo estão relacionados com alterações no sistema nervoso central e não nos dentes. “Pesquisas demonstram que muitas crianças com bruxismo podem apresentar sinais de ansiedade, estresse, apneia, entre outras alterações, que precisam de avaliação de diversos profissionais da área da saúde que não o cirurgião-dentista”.
Via Terra