Arquivo da tag: cárie não é transmissível

“Cárie pega?”

A imagem pode conter: 1 pessoa
Cárie pega????

Vez por outra assistimos na TV ou lemos em matérias jornalísticas que a cárie pega e que se pode evitar transmitir cárie para crianças evitando beijá-las, evitando provar ou soprar a comidinha, etc. Entretanto, não existe evidência científica de que essas medidas contribuam efetivamente para reduzir o risco de cárie em crianças. Todas as pessoas têm na boca microrganismos que podem produzir ácidos que vão promover a desmineralização dos tecidos duros dos dentes. Entretanto, para que isso aconteça, é necessário consumir açúcares. Assim, devemos pensar na cárie como uma doença associada ao estilo de vida e não como doença transmissível e para preveni-la devemos evitar que hábitos de dieta prejudiciais à saúde dos dentes sejam transmitidos.

Cárie pega pelo beijo ?

Então, cárie é doença transmissível? Não.

Cárie pega pelo beijo? Não.

E será que devemos continuar nos referindo à cárie como “doença infecciosa”? No sentido convencional, provavelmente não.

Em um instigante artigo científico publicado este ano Simón-Soro e Mira explicam porque a cárie dentária deve ser considerada uma disbiose e não uma doença infecciosa.
http://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25435135 

Nenhum texto alternativo automático disponível.

Fonte:Crescer Sorrindo UERJ

Cárie é transmissível ?

Vez por outra assistimos na TV ou lemos em matérias jornalísticas que a cárie pega e que se pode evitar transmitir cárie para crianças evitando beijá-las, evitando provar ou soprar a comidinha, etc. Entretanto, não existe evidência científica de que essas medidas contribuam efetivamente para reduzir o risco de cárie em crianças. Todas as pessoas têm na boca microrganismos que podem produzir ácidos que vão promover a desmineralização dos tecidos duros dos dentes. Entretanto, para que isso aconteça, é necessário consumir açúcares. Assim, devemos pensar na cárie como uma doença associada ao estilo de vida e não como doença transmissível e para preveni-la devemos evitar que hábitos de dieta prejudiciais à saúde dos dentes sejam transmitidos.

“Porque cárie NÃO PODE e NÃO DEVE ser considerada uma doença infecciosa e transmissível”

Desde Junho deste ano a cárie  passou a não  ser conceituada como uma doença infecciosa e transmissível .O indivíduo não adquire os microorganismos patógenicos e passa a ter cárie ,eles são da microflora residente, eles vivem na boca do indivíduo.Mesmo que o indivíduo usasse , caso existisse, um anti-microbiano capaz de matar apenas as bactérias cariogênicas , ele eliminaria as cariogênicas mas elas voltariam pois fazem parte da microflora da cavidade oral .Todas as pessoas tem microorganismos cariogênicos .O  S.Mutans é o mais cariogênico mas são vários que agem na microbiota em desequilíbrio que causarão a doença.  A cárie é Multifatorial.

A cárie é uma disbiose (desequilíbrio) desencadeada pelo consumo de açúcar.O consumo de alimentos cariogênicos é mais importante para causar a cárie do que apenas a presença destes microorganismos pois  estes em contato com açúcar, carboidrato farão metabolização, deixarão o meio mais ácido e se multiplicarão.Eles transformarão o açúcar em ácidos e deixarão o meio inapropriado para outras bactérias que estavam em equilíbrio na cavidade oral , deixando apto para sua multiplicação e transformando o sítio em local apropriado para eles , gerando a doença.

 “Cárie  não pega pelo beijo”, “Provar ou assoprar a comidinha dos filhos” não vai ” transmitir cárie”. O que provocará cárie serão os  hábitos adquiridos.