Arquivo da tag: erosão ácida

O que fazer para evitar a erosão dental ?

Como Evitar a Erosão Dental  

Esse é um problema muito comum, mas que pode ser evitado e tratado.

Você sabe quando acontece a erosão nos dentes?A erosão ácida consiste na perda da superfície do dente (desgaste do esmalte), causada por ácidos intrínsecos (origem gástrica) ou extrínsecos (dieta), mas muito mais associada à dieta moderna. Os principais alimentos que danificam o esmalte dos dentes são: refrigerantes, suco de limão, vinagre, uvas, maçãs, laranjas, tomates, etc.

Se o ataque ácido acontece com muita frequência, a saliva, que neutraliza a acidez e ajuda na remineralização do esmalte, não consegue recuperar este esmalte.

Sintomas da Erosão Dental

Sensibilidade: À medida que o esmalte se desgasta e a dentina (tecido principal do dente) se torna exposta, ocasionalmente pode-se sentir uma pontada ao consumir bebidas geladas, quentes ou doces. Conheça outras causas da sensibilidade.
Descoloração: Os dentes podem ter aparência amarelada devido à exposição da dentina (diretamente ou pelo esmalte ter se tornado muito fino).
Dentes arredondados: Aparência arredondada e áspera na superfície e borda dos dentes.
O que fazer para evitar a erosão?    Uma das medida a ser tomada é: evite escovar os dentes imediatamente após as refeições, especialmente após o consumo de alimentos ou bebidas ácidas. Sim, o ideal é aguardar de 30 minutos até uma hora, justamente porque logo após a refeição é que o esmalte encontra-se mais vulnerável. O ideal é, imediatamente após a refeição simplesmente bochecar água, e somente escovar os dentes depois deste tempo.

Além disso, cabem também os seguintes cuidados:

Evite beber refrigerantes, mas se for beber use canudo.
Escove os dentes suavemente, de forma completa e sempre com escova macia.
Escolha um creme dental com baixa abrasividade.
Procedimentos preventivos simples minimizam o risco: vá ao dentista regularmente e converse com ele sobre quaisquer dúvidas que tenha. Minimizar a erosão ácida é conscientizar-se sobre os alimentos ácidos e seguir simples passos preventivos para ajudar a minimizar o risco.

OBESIDADE E EROSÃO DOS DENTES

Do Isotonic Vitamins Work Better?:

Adolescentes estão exagerando no consumo de bebidas esportivas

Estudo publicado recentemente no British Dental Journal revela que adolescentes com idade entre 12 e 14 anos têm consumido muitas bebidas esportivas socialmente, aumentando a ocorrência de obesidade e erosão dental. Sabor, preço, facilidade de aquisição e o fato de os pais não estarem a par dos riscos que essas bebidas representam para quem não é atleta se mostraram determinantes.  Quatro escolas participaram do estudo, com um total de 160 alunos nessa faixa etária. Metade deles confirmaram que consomem esse tipo de bebida regularmente. O principal problema é que as bebidas esportivas têm alta concentração de açúcar e níveis baixos de pH, favorecendo a formação de cárie, erosão do esmalte dos dentes e obesidade.

“Na última década, as bebidas esportivas – os isotônicos – se popularizaram bastante. Entretanto, não fazem bem aos dentes. Estudos indicam que os níveis de acidez dessas bebidas podem levar à erosão da superfície dental, comprometendo não só o esmalte e a aparência dos dentes, como também aumentando a sensibilidade e dor. É importante ressaltar, também, o consumo exagerado de sucos industrializados, que contribuem para o desenvolvimento da erosão”, diz Sandra Kalil, professora de Odontopediatria da Escola de Aperfeiçoamento Profissional da APCDAssociação Paulista de Cirurgiões-Dentistas).

De acordo com a especialista, as bebidas esportivas variam muito em sua composição de uma marca para outra. Mas todas têm algo em comum: devem ser consumidas preferencialmente por atletas. “Depois de treinos pesados, a hidratação com esse tipo de bebida alcança um resultado melhor do que a ingestão de água porque as substâncias presentes nas fórmulas repõem minerais e normalizam a quantidade de açúcar no sangue. Por outro lado, se ingeridas até mesmo por adultos que não estejam praticando exercícios, podem facilitar o sobrepeso e fragilizar os dentes, comprometendo a saúde bucal. “Crianças com uma dieta equilibrada jamais deveriam usar esse tipo de bebida. Normalmente, elas o fazem sem saber das consequências. Até mesmo os atletas de alta performance, que estão sempre com uma garrafinha de isotônico nas mãos, deveriam se acostumar a fazer bochechos ou escovar os dentes após a ingestão dessas bebidas altamente açucaradas”.

A cirurgiã-dentista explica que não é bem o açúcar que estraga os dentes, mas o ácido produzido na sequência. “Esse ácido ataca sem piedade o esmalte dos dentes, podendo resultar em lesões de cárie e outros problemas orais mais graves. Além de estimular os adolescentes a reduzir a ingestão dessas bebidas, é importante estimular as crianças desde cedo a beber muita água – que tem, entre outras tantas virtudes, a capacidade de ‘lavar’ a boca, impedindo altas concentrações de bactérias que resultam em cárie e mau hálito. Outra recomendação é preferir água filtrada à água engarrafada. Isso porque a água engarrafada não tem a mesma concentração de flúor que a água potável, tratada e distribuída nas residências brasileiras. E é graças ao flúor que a estrutura dos dentes se torna mais resistente a lesões de cárie. Sendo assim, o ideal é encher uma garrafinha com água várias vezes ao dia para se hidratar como se deve.”

Fontes: http://www.medicalnewstoday.com/releases/311255.php

Prof. Dra. Sandra Kalil Bussadori professora de Odontopediatria da EAP/APCD – Escola de Aperfeiçoamento Profissional da Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas – www.apcd.org.br/eap

Sucos de soja são tão erosivos quanto versões industrializadas de laranja e limão

Sucos de soja têm potencial erosivo similar ao de sucos industrializados de laranja e limão. Por outro lado, o leite de soja consegue proteger o dente desse processo. Essas são as conclusões de um estudo realizado na Faculdade de Odontologia (FO) da USP pelas doutorandas Karina Lachowski e Tatiane Alexandre de Oliveira. Sob a orientação da professora Maria Ângela Pita Sobral, as pesquisadoras analisaram os efeitos do leite e sucos de soja nos dentes, comparando-os com as suas respectivas versões sem o grão.

De acordo com a professora, o desgaste dental pode acontecer de duas formas. Uma delas é o desgaste mecânico, que acontece através da escovação e do próprio uso dos dentes. A outra é a erosão, ou seja, a ação de ácidos nos dentes. Essas substâncias podem ser encontradas em diversos alimentos, como sucos de laranja e limão, refrigerantes, isotônicos e, inclusive, medicamentos.

Tatiane explica que o leite funciona de maneira oposta aos ácidos. Segundo ela, a erosão dental é causada pela por ácidos que podem vir tanto da dieta quanto do próprio organismo, como no caso de pessoas com problemas de refluxo ou bulimia. Eles ocasionam a perda de estrutura do dente, como os íons cálcio e fosfato. O leite, por sua vez, é rico em cálcio e algumas proteínas, que favorecem a proteção do dente contra os ácidos. As pesquisadoras consideraram essa situação e se propuseram a avaliar se o leite de soja poderia proteger da mesma maneira que o leite de vaca e, além disso, se a presença da soja em alguns sucos causaria  um potencial de erosão menor que o dos sucos industrializados.

Maior desgaste

Segundo Karina, uma das causas do aumento desse desgaste é o fatos de os dentes durarem mais. Isso é reflexo do maior acesso à informação por parte da população de uma mudança de abordagem no tratamento, que passou a ter um foco mais preventivo. A professora Maria Ângela completa: “Antes o grande problema da odontologia era a cárie, e hoje nós lidamos com a questão do desgaste do dente”.

A mudança alimentar na população que aconteceu ao longo dos tempos aumentou o consumo dos alimentos ácidos. Tatiane explica que as pessoas procuraram comer ítens mais saudáveis, como frutas, por exemplo. Além disso, cresceu também a ingestão das bebidas industrializadas. No entanto, em excesso, alguns deles podem causar a erosão. “Como hoje as pessoas têm menos perda dos dentes do que antigamente , eles sofrerão as ações dos ácidos por tempo maior”, diz.

Leite x suco

Maria Ângela explica que os testes indicaram que sucos de soja são tão erosivos quanto os normais. Segundo ela, o suco está um pouco dissolvido na soja, mas a capacidade de causar erosão ainda é alta. O leite de soja, por outro lado, protegeu o dente contra a erosão. No entanto, Tatiane faz uma ressalva: “Ele protegeu por causa de outras substâncias que encontramos no leite, não por causa da soja”.

Tatiane ainda afirma que o potencial erosivo dos sucos normais e de soja pode ser aumentado pela própria escovação dentária. Ela explica que o ácido amolece o dente, porém a própria saliva consegue recuperar a situação em algum tempo. Porém, com a ação mecânica da escova, os íons são arrancados e não conseguem mais aderir ao dente. “O que se perde não se recupera”, sintetiza.

Por isso, Maria Ângela destaca que a odontologia hoje difunde a ideia não se escovar os dentes logo após a ingestão de uma bebida ácida justamente para proteger os dentes contra o desgaste da erosão. No entanto, ela adverte: “se a pessoa tiver problemas com cáries, ela vai precisar escovar os dentes em seguida porque os sucos em geral têm uma quantidade muito grande de açúcar”.

Fonte: FOUSP

Erosão ácida: sucos detox podem prejudicar a saúde bucal.

Ao contrário do que muitos pensam, escovar os dentes logo após a ingestão de alimentos nem sempre é o mais indicado. No caso, estamos nos referindo especificamente a alimentos ou bebidas ácidas que, se consumidos de forma excessiva à longo prazo, podem causar a erosão ácida dos dentes, que consiste na perda da superfície do dente, muitas vezes associada à dieta moderna.

Em conversa ao JETSS, o Dr. Thiago Avelar explicou quais fatores que podem causar a erosão ácida dos dentes.

“O principal fator são os alimentos ácidos, e ainda pior é o seu consumo seguido de escovação, pois esfregamos um ácido sobre uma superfície temporariamente suscetível a desgaste devido a alteração do ph bucal na sequência da alimentação ácida.”

Um estudo aponta que beber um litro de refrigerante por dia pode remover 1 milímetro do esmalte dos dentes em alguns anos. Beber em grandes goles, o hábito de bochechar ou reter o líquido na boca aumentam o risco. O ideal seria que bebidas gasosas fossem ingeridas através de um canudo, mantendo-se longe dos dentes.

Sucos e frutas como laranja e limão também podem influenciar na perda do esmalte dentário. Para se ter uma idéia, o esmalte do dente se dissolve em pH de 5,5 aproximadamente. O valor de pH indica o grau de acidez de determinado alimento. Qualquer valor abaixo de 7 é considerado ácido e alimentos com níveis de pH abaixo de 5,5 são potencialmente mais prejudiciais à saúde dentária.

Tratamento

Mas, afinal, uma vez que o estrago tenha sido feito, como tratar o dente afetado? “Se o tecido dental foi perdido, a única forma de tratamento é a restauração da área afetada,” diz o Dr. Avelar.
Sobre a possibilidade de regenerar o esmalte perdido e recuperar a brancura original através do uso de cremes dentais específicos ou tratamentos em consultório, ele explica:

“O esmalte dental sofre desmineralização diária, o consumo de produtos com flúor e cálcio, por exemplo, atuam na remineralização deste esmalte, o processo é continuo e quando há um desequilíbrio entre desmineralização e remineralização o esmalte perde mineral se tornando suscetível a cáries e erosão”, afirma o profissional. “As pastas dentais atuam aumentando a quantidade de flúor e cálcio disponível para que o processo de desmineralização não ocorra, porém nunca regenerando o esmalte já perdido.”

Fonte:APCD São José dos Campos

Sobre a erosão ácida

Saiba mais sobre a erosão ácida

Um problema causado pela perda de esmalte da superfície dos dentes

Você sabia que muitos dos alimentos e bebidas que ingerimos como parte da nossa dieta moderna – incluindo refrigerantes, sucos de frutas, vinhos, chás, certas frutas e vegetais, e vinagre balsâmico – contêm ácidos que podem amolecer o esmalte dental e levar à sua perda ? O consumo de alimentos ou bebidas ácidas 4 ou mais vezes por dia pode colocar você em risco de sofrer a erosão ácida.¹
Quando o esmalte se vai, é para sempre

Este problema, normalmente conhecido por “erosão ácida” ou “desgaste ácido” pode resultar em dor nos dentes, dentes descoloridos ou amarelados ou a aparência de dentes transparentes e afinados, caso não haja tratamento. Isto acontece pela perda do esmalte da superfície do dente. Quando o esmalte se vai, é para sempre. E como os sinais iniciais são muitas vezes de difícil visualização, e só podem ser vistos por seu dentista, a prevenção ativa e precoce é a melhor saída.

Dentes saudáveis - Pró-esmalte

Seus dentes podem parecer saudáveis

Dentes com erosão ácida - Pró-esmalte

Um dentista pode ver os sinais precoces da erosão ácida

A erosão ácida e dentes sensíveis

Além de outras causas bem conhecidas para dentes sensíveis, como escovação agressiva, retração gengival, gengivite e ranger ou apertar os dentes temos  também a erosão ácida .

O uso de um creme dental  especialmente formulado para proteger contra os efeitos da erosão ácida nos dentes- bem como aliviar a sensibilidade que pode acompanhar a erosão dental também pode ser utilizado

O que causa a erosão ácida?

Alimentos e bebidas que consumimos frequentemente contêm vários ácidos naturais que podem causar a erosão ácida

A erosão ácida, também conhecida como desgaste ácido, ocorre como parte do consumo diário de alimentos e bebidas. Alimentos com ácido estão em toda a parte e muitos normalmente fazem parte de uma dieta saudável. São os ácidos naturais nos alimentos, vinhos e sucos de frutas que podem amolecer o esmalte e levar ao desgaste ácido e, possivelmente, à erosão dental no longo prazo.Alimentos e desgaste ácido - Pró-esmalte

Se você bebe vinho, seus dentes podem estar vulneráveis à erosão ácida. O consumo regular de ácidos cítricos em alimentos como morangos ou em sucos de frutas podem expor seus dentes à erosão ácida. Na verdade, guloseimas comuns como refrigerantes com ácido e molhos para salada contendo vinagre balsâmico podem alterar de forma visível os dentes ao longo do tempo. Os ácidos escondidos nos alimentos e bebidas de todos os dias são as causas mais comuns da erosão ácida.
Um Exemplo

Vamos utilizar o ácido do suco de laranja como exemplo: quando ele entra em contato com o esmalte do seu dente, a superfície dura do esmalte amolece. Então, se você escovar os dentes logo após tomar o suco de laranja matinal, a erosão do esmalte pode acontecer. Se esta é sua rotina ao longo do tempo, você pode começar a experimentar os efeitos da erosão ácida.

Os valores de pH das comidas de todos os dias

O valor de pH é um indicador primário do conteúdo ácido que há em um alimento ou bebida em particular. O valor de pH de um alimento varia entre 0 e 14. Qualquer alimento com um valor de pH abaixo de 7 é considerado ácido – e alimento e bebidas com níveis de pH abaixo de 5,3 podem colocar seu esmalte em risco de erosão ácida. Como podemos observar nas ilustrações abaixo, boa parte do que comemos e bebemos diariamente possui valores de pH baixos. É por isso que você sempre deve seguir as orientações do seu dentista sobre como consumir alimentos ácidos da melhor forma.


pH 2,5 – 3,5

Maçã

Maçã
~ 3,0 pH

Molho de maçã

Molho de maçã
~ 3,3 pH

Geleia de frutas

Geleia de frutas
~ 3,0 pH

Mel

Mel
~ 3,0 pH

Suco de laranja

Suco de laranja
~ 3,3 pH

Abacaxi

Abacaxi
~ 3,2 pH

Morango

Morango
~ 3,3 pH

Vinho de mesa

Vinho de mesa
~ 3,5 pH


 

pH 3,6 – 4,5

Cerejas

Cerejas
~ 4,0 pH

Cream cheese

Cream cheese
~ 4,1 pH

Laranjas

Laranjas
~ 3,6 pH

Picles

Picles
~ 5,1 pH

Uva passa

Uva passa
~ 3,8 pH

Suco de tomate

Suco de tomate
~ 4,1 pH

Tomates

Tomates
~ 4,1 pH

 


pH 3,6 – 4,5

Queijo cottage

Queijo cottage
~ 4,8 pH

Sopa de vegetais

Sopa de vegetais
~ 4,0 pH

Acid Wear Placeholder Acid Wear Placeholder Acid Wear Placeholder

Quais os sinais da erosão ácida?

Evidências iniciais da erosão ácida podem ser difíceis de ver

Você deve ficar atento e procurar alguns sinais muito específicos da erosão do esmalte que ocorrem devido aos ácidos presentes em nossa dieta.

Como você não pode ver ou sentir no início, as evidências iniciais da erosão ácida são identificadas com maior exatidão por um dentista. Mas existem alguns sinais que você pode procurar.

Estágio inicial da erosão ácida - Pró-esmalte Estágio tardio da erosão ácida - Pró-esmalte
Sinais iniciais da erosão ácida
  • Superfície do dente com formato arredondado
  • Dentes com amarelo opaco ou descolorido
  • A aparência do afinamento dental a medida que o esmalte se torna mais fraco e a dentina começa a aparecer
Sinais tardios da erosão ácida
  • Dentes descoloridos ou que apresentam uma coloração amarela mais escura
  • Dentes transparentes que parecem brilhantes ou vitrificados, principalmente ao redor das bordas de mordedura
  • Pequenas fendas ou sulcos ao redor da borda do dente
  • Sensibilidade mais aguda como resultado de pequenas depressões que se formaram na superfície do dente e da maior exposição da dentina

A erosão ácida pode causar, por fim, erosão dental e perda do esmalte que não pode ser revertida. Caso seja ignorada, pode ser necessário passar por um tratamento com seu dentista para restaurar e proteger os dentes afetados.

Certifique-se de falar com seu dentista sobre a erosão ácida, durante suas consultas.

  1. Lussi, A; Dental Erosion – From diagnosis to therapy; University of Bern, School of Dental Medicine; 2006.

Fonte:Sensodyne