Arquivo da tag: trauma dentário infantil

Seu filho caiu e o dente quebrou?

Entenda o que fazer

dente; criança; banguela (Foto: Casenbina / Getty Images)

Se isso aconteceu com o seu filho, saiba que esse problema é comum na fase dos primeiros passos ou de aprender a andar de bicicleta.  Pesquisas brasileiras recentes mostram que essa situação é frequente: varia de 14% a 36%, dependendo da fonte estatística, em crianças de 3 a 5 anos.

Como prevenir o problema?
Mantenha o seu filho sob supervisão, tome cuidado com escadas, compre sapatos adequados e coloque grades na cama. Ao andar de bicicleta, skate, patins ou patinete, faça com que ele sempre use o equipamento de segurança.

Meu filho bateu a boca, e agora?
Lave o local com água e verifique os danos. Se houver sangramento, comprima a região com gaze umedecida. O gelo ajuda a estancar o sangue e aliviar a dor.(Coloque o gelo no local mas não sobre o dente. Se o dente não chegou a quebrar, mas a batida foi forte, consulte o odontopediatra para descartar outros problemas.

Como saber se é uma emergência?
Caso haja sangramento intenso, cortes grandes, deslocamento das arcadas dentárias ou sintomas como tontura e sonolência, é melhor ir direto para o hospital. Já os quadros mais brandos costumam ser tratados em consultório. Há situações em que o dente sai inteiro da boca. Se ele for permanente, precisará ser reimplantado com urgência – se for de leite, não. Lave o dente e o leve ao consultório mergulhado em leite puro, soro fisiológico .

Quais as consequências comuns?

Além da dor, costuma haver sangramento na gengiva, na boca e até no rosto. Pode ser preciso dar ponto. Existe a possibilidade de o dente entrar na gengiva, a chamada intrusão dental, que deve ser avaliada por meio de radiografia ou tomografia dentária para mensurar o risco ao dente permanente – em formação embaixo do de leite –, além de rastrear fraturas internas.

Como é o tratamento?
Se só um pedaço do dente estiver quebrado, o odontopediatra irá restabelecê-lo com resina ou adotará uma solução provisória. Ela serve para proteger o dente quebrado até a sensibilidade diminuir e os exames para a restauração definitiva serem feitos. Também pode ser necessário um tratamento endodôntico, conhecido como canal.

Meu filho pode perder o dente?
Se o traumatismo for profundo, sim. Mas há solução. Em caso de dente de leite, coloca-se um aparelho que mantém o espaço aberto, impedindo alterações na fala e na estética bucal até que o dente definitivo apareça. Se ele já for permanente, será substituído por um implante.

É normal o dente ficar escuro?
Sim, devido a uma hemorragia dentro dele. Pode ser que regrida sozinha ou exija um canal.

Isso afeta a autoestima?
A criança pode ficar insegura, triste, evitar falar e sorrir. Pais e especialistas devem explicar como o problema será resolvido.

Fontes: Dóris Rocha Ruiz, odontopediatra da USP, Katyuscia Lurentt Pary, cirurgiã bucomaxilofacial e membro do Serviço de Cirurgia Bucomaxilofacial do Hospital Adventista Silvestre e do Hospital do Andaraí, ambos no RJ, e Maysa Guimarães, endodontista de
São Paulo (SP) /
Crescer

O que fazer se seu filho sofrer traumatismo dentário.

É comum crianças sofrerem quedas e os dentes serem atingidos.

As maiores complicações devido a traumas, tanto nos dentes de leite como nos dentes permanentes, acontecem por falta de atendimento imediato e controle de possíveis complicações, realizados no consultório pelo profissional.

O quê os pais precisam saber:

1o) Que o dente de leite tem raiz e que no seu interior existe um canal por onde passam nervos e vasos sangüíneos (polpa).

Também que o dente permanente está sendo formado muito próximo desta raiz, desde quando a criança nasce.

Assim,existe o risco do dente permanente ser atingido pela raiz do dente de leite, em um trauma(Figura 01).

13592772_10209972605142071_4863319029254196559_n

Figura 01: P > Dente Permanente / D > Dente de leite / C > Canal do dente de leite

2o) Que todo dente que sofre traumatismo tem que ter acompanhamento clínico e radiográfico no consultório, pelo período de no mínimo 1 ano e 6 meses para os dentes de leite e de 5 anos para os dentes permanentes, pois podem acontecer complicações decorrentes do trauma.

3o) Que nem sempre o dente afetado por trauma apresenta alteração da cor. No entanto, isto pode ocorrer e caberá ao profissional avaliar se haverá indicação de algum tratamento ou apenas da continuidade do controle periódico.

4o) Que “pequenos” traumas nos dentes de leite podem causar a morte da polpa e que se o tratamento de canal não for realizado a tempo, problemas nos dentes permanentes poderão ocorrer.

O que fazer no caso de trauma dental:

1o) Procure entrar em contato com o Dentista imediatamente, em qualquer horário.
2o) Nos casos em que acontecem leve sangramento e/ou aumento da mobilidade,pode ter ocorrido uma fratura de raiz, e o atendimento deve ser o mais rápidopossível.
3o) Quando o dente sai parcialmente da posição, quanto mais rápido for reposicionado maiores são as chances de ser recuperado.
4o) Quando o dente permanente sai totalmente, quanto mais rápido for reimplantado, maiores serão as chances de sucesso. Coloque o dente num recipiente com soro fisiológico, leite, saliva ou água, e procure imediatamente o
Profissional.
Se isso acontecer com o dente de leite, o reimplante não está recomendado, mas é muito importante que o profissional examine a criança o mais rápido possível.
5o) No caso de quebrar uma parte do dente e esta parte for encontrada, coloque-a na água filtrada e procure o dentista imediatamente, pois dependendo do tamanho do fragmento, é possível fazer sua colagem no dente, recuperando-o esteticamente.
Outro ponto importante é que nestes casos de fratura, a polpa pode estar exposta e precisa ser protegida o mais rápido possível.
Lembre-se: Tenha sempre o telefone do consultório, da residência e o celular do seu Dentista a sua disposição.
_____________________________________________________________________
 Fonte : ABO /* Percinoto C, Côrtes MIS, Bastos JV, Tovo MF. Abordagem do Traumatísmo
Dentário. In: Associação Brasileira de Odontopediatria. Manual de Referências para
Procedimentos Clínicos em Odontopediatra, 2009. p. 344-376.
www.abodontopediatria.org.br

Traumatismo dentário Infantil

 

As crianças pequenas, principalmente de 1 a 3 anos de idade correm um sério risco de sofrerem algum traumatismo dentário pois estão aprendendo a andar, correr e  ainda não tem equilíbrio.

Crianças maiores, de 3 a 7 anos correm risco de baterem a boca,quebrarem algum dente pois  praticam  esportes como skates, bicicletas,jogos com bola, etc.

37% das crianças sofrem em algum momento injúria traumática durante sua vida.

Os dentes mais acometidos são os anteriores e a luxação é o trauma mais comum. A sequela mais comum é a alteração de cor e reabsorção externa . O trauma no dente decíduo( de leite) pode afetar o permanente  podendo  ocorrer hipoplasia no esmalte.

Como Prevenir ??? 

Cuidados básicos em casa e na escola 

  1. Uso de meias anti derrapantes

2- Protetor bucal para esportes como lutas , esportes de contato.

 

3- Colocar   protetores para quinas de móveis

Resultado de imagem para protetor para quinas de mesas        

4- Uso de  capacetes e material de proteção ao fazer esportes:

 

Dentro do consultório dentário :

  •  Podemos fazer a prevenção da má oclusão .  Crianças com protusão maxilar, over jet são pacientes que necessitam uso de aparelhos ortodônticos/ortopédicos.

Resultado de imagem para protusao dentaria em crianças

  • Fazer a avaliação de paciente respirador bucal e possível encaminhamento para tratamento pois é paciente de risco.Ao levar  um tombo provavelmente baterá o dente que é o mais proeminente na face

  • Prevenção da obesidade : Pode ser uma forma de prevenção secundária pois a criança obesa  pode ter menor noção corporal e um reflexo não muito elevado e cair com mais facilidade sofrendo traumas.

  • Orientação em relação a  remoção de hábitos para funcionais : mamadeira, chupeta, dedo. Se possível amamentação natural até 6 meses.

 

A prevenção é importante. Consulte seu dentista.

Por : Dra Renata Ramos

As fotos foram tiradas da internet e podem ter direitos autorais.